Archive | Setembro 2015

Para além da tecnologia

Cibertec“Vimos algo muy cierto en estos tiempos, y es que las personas ya no eligen un producto solo porque tenga buena tecnología, sino porque existe una buena gestión de la marca, un diseño único y una excelente comunicación de por medio. La tecnología, por sí sola, ya no es suficiente para el éxito”.
(Tin Sánchez e Fernando Ivo, directores criativos executivos da campanha).

Este anúncio da Cibertec (Perú) é convincente. Pela escolha do smartphone como objecto técnico, pela inscrição dos três novos cursos da Cibertec (Design, Gestão e Comunicação) e pelo objectivo: conseguir que os “chicos se sientan movidos a optar por un instituto que vaya más allá de enseñar solo tecnología” (Claudia Horna, directora de marketing da Cibertec). Este discurso por parte de uma escola centrada nas tecnologias é admirável. Reconheça-se ou ignore-se, a realidade espera-nos. E a realidade é mais construída pelos homens do que pelas coisas.

Marca: Cibertec. Título: Smartphones. Agência: Young & Rubicam Perú. Direcção: Toño Sarria. Perú, Setembro 2015.

Martelada

Thomas Muntzer

Thomas Muntzer. Na paisagem, uma cena de decapitação.

Escrevi, em 1980, um trabalho extenso sobre Thomas Muntzer. Emprestei-o a uma psicóloga grega e nunca mais o vi. Ainda estávamos no tempo da galáxia da máquina de escrever. Thomas Muntzer (1489-1525) foi um teólogo “revolucionário”, dissidente de Martinho Lutero. Muntzer foi uma figura proeminente na Guerra dos Camponeses que incendiou a Europa Central entre 1924 e 1926. Capturado em Mühlhausen, em 1925, foi decapitado com 35 anos de idade.Thomas Muntzer misturava o misticismo com uma espécie de comunismo, granjeando a simpatia póstuma dos marxistas. Friedrich Engels dedicou-lhe um livro (A Guerra dos Camponeses na Alemanha, 1850) e Ernst Bloch outro (Thomas Munzer, Théologien de la Revolution, 1921). Inspirou um filme realizado por Martin Hellberg, na Alemanha de Leste, em 1956.

Thomas Muntzer opunha-se à nobreza e à Igreja, Lutero incluído. A sua linguagem era, no mínimo, expressiva:

“A maior infâmia neste mundo consiste em que ninguém quer tomar para si a miséria dos necessitados, os grandes deste mundo fazem o que lhes apetece. Eis, pois, o cúmulo da usura, do roubo e da pilhagem, eis os nossos senhores e os nossos príncipes: apossam-se de toda criatura, sejam peixes n’água, aves no céu ou plantas na terra; tudo deve ser deles. Em seguida, apregoam o mandamento de Deus entre os pobres, e dizem: Deus ordenou que não roubeis! Contudo, quanto a eles, não se sentem obrigados a obedecer a este preceito” (Thomas Muntzer).
“Agora, vê-se bem como fornicam juntas, apinhadas, as enguias e as serpentes. Os Padres e todos os maus homens da Igreja são as serpentes (…) os senhores e potentados deste mundo são as enguias” (Thomas Muntzer).

A razão de ser deste artigo não radica neste esboço histórico. O meu trabalho intitulava-se Thomas Muntzer: a sutana e o martelo. Thomas Muntzer assinava os textos que afixava na porta das igrejas do seguinte modo: “Thomas Muntzer à martelada” (au marteau). Sempre pensei que esta “martelada” era mais simbólica do que real. O que condiz com o carácter de Thomas Muntzer. Mas não, a martelada era mais real do que simbólica. Nos meus atalhos pelas imagens, encontrei várias gravuras com textos pregados com um martelo na porta das igrejas. Incorri em erro durante 35 anos! Mas não! As referidas imagens retratam Lutero a afixar, em 1517, as 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg. As imagens não são da época. Estamos perante uma lenda: Lutero a martelar alto e bom som as suas 95 teses. A martelada volta a ser mais simbólica do que real.

Banho a dois

SakuraTantos anúncios publicitários vejo todos os dias e, no entanto, um ou outro acaba por me surpreender. Por exemplo, este anúncio chinês a uma caldeira deixa-me sem palavras.

Marca: Sakura. Título: Sakura Water Heater. Agência: JWT Shangai. Direcção: She Tiejun. China, 2015.

Paris num zootrópio

AIRBNB_A_DIFFERENT_PARIS_4

De Singapura a Paris, pela mão da Airbnb. Além da cidade monumental, dos parques e dos jardins, existe um outro Paris que até os parisienses desconhecem: antiquários e bouquinistes, pequenas livrarias onde moram livros esgotados, praças, bistrots e caves, onde se toca jazz , carrosséis de sonho (Jean Loup Passek, que esteve na origem do Museu do Cinema, em Melgaço, é proprietário de um carrossel no Jardin du Luxembourg).

Só um golpe de sorte nos dá acesso a este Paris diferente. Ou um guia da Airbnb…

Marca: Airbnb. Título: A different Paris. Agência: TBWA Singapore. Direcção: Norman Yeend. Singapura, Setembro 2015.

O anúncio recorre a uma técnica de animação criada em 1833, o zootrópio. Uma técnica que exige trabalho, precisão, tempo e meios (ver https://tendimag.com/2013/03/25/fotografar-o-movimento-do-corpo/). O vídeo nº 2 mostra como foi feito o anúncio e o terceiro exemplifica como funciona um zootrópio moderno.

Behind the scenes. A different Paris. Setembro 2015.

Sony Bravia. Zoetrope. 2009.

É difícil falar de Paris sem que nos venham à memória algumas canções: por exemplo,  Sous le ciel de Paris, de Edith Piaf, e À Paris, de Yves Montand. Yves Montand foi um grande ator e cantor francês. Teve uma relação com Marilyn Monroe e com Edith Piaf.

Yves Montand. Olympia. Paris. 1982.

Edith Piaf. Sous le soleil de Paris. Carnegie Hall, 1957.

007

james-bond-bintangi-iklan-bir-00É possível parodiar os filmes do 007? As tentativas são tantas que não ouso negá-lo. No entanto, mantenho-me céptico. É possível distanciar-se o suficiente do 007 para logo se aproximar diferente mas igual? A maioria das paródias confunde-se com o próprio 007 ao ponto de se tomar a paródia pelo original. Mais um episódio! Por outro lado, quem não confunde a paródia com o original costuma passar-lhe ao largo. Neste anúncio da Heineken, The Chase, a paródia confunde-se, primorosamente, com o original. Parece um 007.

Marca: Heineken. Título: The Chase. Agência: Wieden + Kennedy Amsterdam. Direcção: Tom Kunz. Holanda, Setembro 2015.

A decomposição da realidade e a recomposição da ilusão

Giuseppe Arcimboldo. Flora Meretrix. 1590.

Giuseppe Arcimboldo. Flora Meretrix. 1590.

A arte de Giuseppe Arcimboldo (1527-1593) paira sobre a actualidade (ver https://tendimag.com/2012/01/22/comer-com-os-olhos-os-alimentos-em-arcimboldo/). Apraz-nos “decompor uma ordem e recompor uma desordem”, segundo a expressão de Severo Sarduy (Barroco, Paris, Ed. du Seuil, 1975). Esta recomposição de uma desordem gera um efeito, uma ilusão, de realidade. Pode ser complexa, como nos quadros de Arcimboldo, ou simples como no anúncio da Moe’s Southwest Grill: um pedaço de nachos funciona como corpo de uma guitarra elétrica.

Marca: Moe’s Southwest Grill. Título: Chip Guitars Rock. Agência: Focus Brands. Direcção: Chris Bailey. USA, Setembro 2015.

O site Culture Pub (http://www.culturepub.fr/) contempla uma categoria chamada “quand la musique est bonne”. Este anúncio é um sério candidato. Pete Townshend, guitarrista dos The Who, participa no anúncio. Pretexto para relembrar a banda: Baba O’Riley e Behind blue eyes, são duas canções do álbum Who’Next, de 1971.

The Who. Baba O’Riley. Who’s Next. 1971.

The Who. Behind blue eyes. Who’s Next. 1971.

Visto de cima

O astronauta. Nazca. Perú.

Figura 1. O astronauta. Nazca. Perú.

A publicidade excede-se. Não há nicho ou alvo que escape. O anúncio indiano ao filme Baahubali (figura 2) mede 4 794 m2 e é recordista do Guinness. O anúncio da BMW, junto ao aeroporto de Frankfürt, mede 30 075 m2, sem homologação pelo Guinness (Figura 3).

Global United Media Company. em Kochi, India, 27 de junho de 2015. 4794 m2.

Figura 2. Global United Media Company. em Kochi, India, 27 de junho de 2015. 4794 m2.

Importa atender aos olhares das alturas, como no caso dos geoglifos do deserto de Nazca, no Perú (ver galeria de imagens no fim do artigo). Os publicitários louvam o consumidor, outros, o sagrado. Se calhar, como anda tudo baralhado, a diferença não é muita.

BMW. Anúncio gigante. Frankfürt. Alemanha. 30 075 m2. Do 14 ao 27 de Setembro.

Figura 3. BMW. Anúncio gigante. Frankfürt. Alemanha. 30 075 m2. Do 14 ao 27 de Setembro.

Vem a propósito a canção Eye in the sky (1982) dos Alan Parsons Project, inserindo-a no enfiamento do artigo dedicado aos Pink Floyd (https://tendimag.com/2015/09/22/caes-porcos-e-carneiros/). Ambos convocam George Orwell: os Pink Floyd, Animal Farm, Alan Parsons Project, 1984. Acresce que Alan Parsons foi engenheiro de som dos Pink Floyd em The Dark Side of the Moon. A canção Eye in the Sky está um pouco datada. Como eu.

Alan Parsons Project. Sirius/Eye in the sky. Eye in the sky. 1982.

Mas não é apenas com pedras, terra e placas que se constroem figuras gigantescas. Também se desenham e animam imagens compostas por pessoas para condor ver. Por exemplo, na abertura dos jogos olímpicos ou dos campeonatos mundiais de futebol.

Pyongyang, North Korea. 2015.

Figura 4. Pyongyang, North Korea.

Os ditadores têm particular apetência por estas “coreografias” (Figura 4). Muitos anúncios publicitários entregam-se a estas configurações com humanos. Um dos mais célebres, por sinal em movimento, é a Big Ad, da Carlton Draugh (https://tendimag.com/2012/09/08/o-grande-bebedor/).

Galeria de imagens: Geoglifos. Nazca. Perú.

Cães, porcos e carneiros

Estive aqui! Nunca mais voltei a assistir a um espectáculo como este.

Estive aqui, no dia 22 de Fevereiro de 1977. Nunca mais voltei a assistir a um espectáculo como este.

Nunca vi tanto cachaço ao sol, nem tanta besta num pedestal.
Assim gira o mundo dos animais. Como na quinta de George Orwell.

Pink Floyd. Seamus The Dog. Meddle. 1971.

Pink Floyd. Pigs on the wind. Animals. 1977.

Pink Floyd.Sheep. Animals. 1977.

A felicidade e o sucesso

johnnie-walker-joy-will-take-you-further-eva-hakansson_fotor

Um novo anúncio da Johnny Walker costuma ser um acontecimento. A máxima mudou: mais do que caminhar, convida-nos a caminhar felizes, porque a felicidade é fator de sucesso. Este anúncio cativou-me por vias travessas: a música é do cantor belga Plastic Bertrand, um caso à parte da canção francófona. “Ça plane pour moi” estreou em 1977. Um anúncio dos Estados Unidos com música de um cantor francófono? Admirável! Se o anúncio fosse português, nenhuma hesitação: qualquer coisa anglo-saxónica sem mácula latina, por exemplo, os Kraftwerk, os Queen ou os Kiss. Nós somos assim. Gostamos do que somos e escolhemos os outros! Avançados no tempo como o velho do Restelo… O anúncio da Johnny Walker apregoa que a felicidade ajuda a progredir e a ter sucesso. A fazer fé nos inquéritos, os portugueses constam entre os povos menos felizes da Europa. Se calhar, é este fado lusitano que nos afasta do progresso e do sucesso. E se fosse o contrário? O nível de sucesso a espalhar tristeza neste país encalhado?

Um último apontamento: a felicidade da Johnny Walker rima com velocidade. Mas tudo acaba em voo.

Marca: Johnny Walker. Título: Joy will take you further. Agência: Bartle Bogle Hegarty. Direcção: Max Malkin. USA, setembro 2015.

Senhora do Vale

Medalha de Nossa Senhora do Vale (Manuel Pinho)

Fig 1. Medalha de NS do Vale 

O Manuel Pinho desafiou-me a fazer um pesquisa a partir da medalha de Nossa Senhora do Vale (Figura 1). Na Internet, surgem medalhas semelhantes, algumas brasileiras. Percorri sete países: Portugal, Espanha, França, Itália, Suíça, Brasil e Argentina. Todos promovem o culto a Nossa Senhora do Vale.

Em Portugal, sobressai a Nossa Senhora do Vale de São Pedro de Cête, em Paredes (ver Figura 2: postal ilustrado de 1913).

Nossa Senhora do Vale. Cliché Claudiniz. 1913. São Pedro de Cete. Paredes.

Fig 2. Nossa Senhora do Vale. 1913. São Pedro de Cete. Paredes.

Na Argentina, impressiona a Catedral Basílica de Nuestra Señora del Valle (Catamarca). Duvido, porém, que esta Senhora pertença à mesma linhagem que a europeia. A Itália, com um número elevado de igrejas dos sécs. XII e XIII, destaca-se no culto à Senhora do Vale. Justifica dois apontamentos:

Fig. 3. Rock-cut church of Santa Maria della Valle (or Vaglia), VIII century.

Fig 3. Rock-cut church of Santa Maria della Valle, Matera. VIII century.

Fig. 4. Chiesa Rupestre di Santa Maria De Idris . Matera. Séc. XII.

Fig 4. Chiesa Rupestre di Santa Maria De Idris . Matera. Séc. XII.

A Basílica de Santa Maria do Vale, em Matera, foi escavada na rocha no séc. VIII. Na região, existem várias igrejas “rupestres” (Figura 4), património mundial da UNESCO desde 1993 (http://www.basilicatatour.com/en/stone_churches_matera.html).

Fig. 5. Parrocchia di San Vincenzo, Santa Maria della Valle

Fig 5. Parrocchia di San Vincenzo, Santa Maria della Valle

Na Paróquia de San Vicenzo Ferrer (Atessa, Itália), a imagem da Senhora do Vale é associada ao trabalho (Figura 5). O menino Jesus segura, na mão direita, o Evangelho e, na esquerda, três ferramentas de carpintaria: um martelo (força), um esquadro (inteligência) e um pincel (beleza ou harmonia):

Nuestra Sra del_Valle. Monasterio de Rodilla. Espanha. Séc. XII.

Fig 6. Nuestra Sra del Valle. Monasterio de Rodilla. Espanha. Séc. XII.

“Il Bambino, assiso come maestro e lavoratore sulle ginocchia della madre, presenta con la mano destra il vangelo e con quella sinistra tre attrezzi da falegname, lavoro che la tradizione gli attribuisce agli anni vissuti a Nazaret.
Essi indicano tre rispettive dimensioni dell’attività umana: il martello, che il lavoro è forza, fatica, sacrificio, quantità produttiva; la squadra, che è espressione di intelligenza, competenza, professionalità, qualità; il pennello, in quanto arte e ingegno umano, bellezza di lavorare insieme, nel rispetto dell’ambiente” (http://www.madonnadellavalle.it/la_madonna_della_valle.asp).

Catedral Basílica de Nuestra Señora del Valle. Catamarca, Argentina.

Fig 7. Catedral Basílica de Nuestra Señora del Valle. Catamarca, Argentina.