Arquivo | Adolfo Luxúria Canibal RSS for this section

A maestrina encantada

Mozart. A Flauta Mágica.

Tantas vacinas! Não chegam? Por este andar, vão sobrar. Tanto espantalho. A vacina é tóxica? As palavras é que são tóxicas. O problema não repousa na ignorância mas no excesso de sabedoria. O voo e a aterragem coprológica das moscas. No burburinho quotidiano, na televisão, na Internet e nas redes sociais. “Eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada”. Toxicidade por toxicidade, a minha última vontade: quero fumar no caixão, sem acender o cigarro em discursos iluminados. Prefiro o cigarro e a estupidez. O silêncio é o contratempo da comunicação pós-moderna.

O anúncio 5G: Reimagina Tudo, da Vodafone Portugal, é notável. Ritmo, imagens e música, num encadeamento mágico. Lembra o anúncio Opera de  Bruno Aveillan para a Nintendo: maestrina, condução, música, público e fantasia. O título deste artigo inspira-se na Flauta Mágica, a última ópera de Mozart. Acrescenta-se um excerto.

Marca: Vodafone Portugal. Título: 5G: Reimagina. Agência: Wunderman Thompson Portugal. Com Joana Carneiro. Portugal, fevereiro 2021.
Anunciante: Nintendo / Game Boy Advance. Título: Symphony. Agência: Leo Burnett. Direcção: Bruno Aveillan. França, maio 2002.
Wolfgang Amadeus Mozart. The Magic Flute – Queen of the Night aria. 1791, Soprano: Diana Damrau. The Royal Opera. 2017.

Como peixes num aquário

Allegoria della Peste. Biccherna senese. Opera tratta da Giovanni Di Paolo, Siena, XV sec.

E para dizer simplesmente o que se aprende no meio das pragas, que existe nos homens mais coisas a admirar do que coisas a desprezar (Albert Camus. La Peste. 1947)

Ah! Se fosse um terramoto! Um bom abalo e não se falava mais… Conta-se os mortos, os vivos e pronto. Mas esta porcaria de doença! Mesmo aqueles que não a têm trazem-na no coração (Albert Camus. La Peste. 1947).

Escrevi um texto para a página Communitas, do Centro de Estudos Comunicação e Sociedade. Versa sobre vários aspectos da vida quotidiana em tempo de coronavírus. Segue a ligação: http://www.communitas.pt/ideia/nem-a-morte-nos-reune/

Folhas

LIbreria Norma. Don Quijote.

Tantas folhas, senhor! E as folhas crescem nas árvores! E as árvores não são monstros! A impressão de milhões de livros do Dom Quixote, da Bíblia e do Principezinho devorou florestas inteiras. Não obstante, é possível que ainda não tenhamos devorado a dose recomendável de florestas de papel. Nesta excelente campanha, a Libreria Norma faz a apologia dos e-books. Menos árvores abatidas e um camião de livros num tablet. Mas, por que será que, no meu tablet, a maioria dos livros não tem fim? Nostalgia de virar a página? O fado do cansaço a meio do caminho? Um bocejar electrónico?

Marca: Libreria Norma. Título: Don Quijote De La Mancha. Agência: Ddb, Bogota. Direção: Reichart De Alcocer. Colombia, Abril 2013.

libreria-norma-the-holy-bible-2000-29865

Libreria Norma. The Holy Bible. Ddb, Bogota. Colombia, Abril 2013.

libreria-norma-the-little-prince-2000-12524

Libreria Norma. The Little Prince. Ddb, Bogota. Colombia, Abril 2013.