Arquivo | turismo RSS for this section

Balada marítima. Dormir com as ondas

“Dorme menino
Que aí vem o papão
Comer meninos
Que não dormem, não
(Balada popular, excerto)

No inverno, o mar continua a molhar a areia. Frente à praia, há quem dispense sair do carro. Ajusta-se o assento e toca a dormir. Uma soneca balnear. Junto ao paredão, proliferam os adeptos do sonho ao ar livre. O murmúrio das ondas embala e a humidade do ar descongestiona. Não é mas parece uma nova religião. Perdoem-me, mas vem-me à memória a rumba de Los Payos, Maria Isabel.

Los Payos. Maria Isabel. Vídeo original. 1969.

Turismo mágico e radical

O anúncio 5 places, do Ministério do Turismo da Argentina, mostra-nos as férias que provavelmente não tivemos. De desejo em desejo, um casal salta de ambiente em ambiente: mar, montanha, estuário, deserto, lagoa. Com paixão, risco, aventura e contacto com a natureza. Este anúncio combina componentes que anúncios congéneres tendem a negligenciar: narrativa, magia, humor, amor e sintonia com o público- alvo (jovens adultos radicais, presume-se). Falha, talvez, a música. Onde está a magnífica música argentina? Pense-se, por exemplo, em Astor Piazzolla ou Mercedes Sosa.

Marca: Argentina Ministry of Tourism. Título: 5 places. Agência: La Comunidad Buenos Aires. Direcção: Luisa Kracht. Argentina, Fevereiro 2017.

Astor Piazzola. Oblivion. 1982.

Mercedes Sosa. Sólo le pido a Dios. Live in Argentinien. 1982.

Inversão de papéis

Aruba

“Aruba es uno de los destinos más románticos del caribe. #HeSaidYes es una iniciativa de la Isla Feliz que invita a las mujeres a cambiar los roles del amor”.

Trata-se de uma inversão dos papéis de género num gesto densamente simbólico: o pedido de casamento. Um anúncio polémico? Sinais dos tempos? Crítica de clichés? Pequenos passos a caminho de grandes mudanças?

Ressalvando o Mamma Mia, o pedido de casamento é um ritual em vias de esvaziamento social e simbólico. Ainda do meu tempo, a família do futuro noivo deslocava-se a casa da futura noiva para pedir a sua mão. Algumas décadas atrás, negociavam-se os dotes e os contratos de casamento. Há alguns séculos, a comitiva da prometida deslocava-se em coche durante dias e dias para ir ao encontro do prometido. Quanto às novas gerações, vai chegar a altura em que um sms basta (ou talvez não).

Ao visionar o anúncio, insinua-se uma dúvida: quem influencia a escolha dos destinos turísticos? Ele? Ela? Ambos? Os filhos? Pelos vistos, elas são as mais influentes na escolha dos paraísos terrestres, como a ilha Feliz, em Aruba.

Marca: Isla de Aruba. Título: #HeSaidYes. Agência: Mullen Lowe Bogotá. Colômbia, Agosto 2018.

Saudades! Saudades de quê? De pedidos de casamento como o do anúncio Marry Me, da Siemens.

Marca: Siemens. Título: Marry me. 2006.

 

As férias e a natalidade

Spies travel

O artigo Fecundidade (https://tendimag.com/2018/06/20/fecundidade-2/) aguçou-me a curiosidade para os anúncios dedicados à natalidade. Consultei, com as entradas Natalidade e Fertilidade, duas bases de anúncios: Culturepub e Ads of the world. Resultado: uma meia dúzia de anúncios, alguns de questionável qualidade. Pelos vistos, o assunto não é relevante. Em cada acto sexual, 200 a 500 milhões de espermatozóides procuram o óvulo. Não é por falta de espermatozóides e de óvulos que os bebés não nascem. Estamos a falar de heterossexualidade. Ora, o prefixo hetero não está na moda. Nem nos organismos de governo, nem nas organizações não-governamentais, nem nas empresas altamente responsáveis. Os bebés, antes de nascer, não têm voz, nem votam, nem pertencem a grupos de pressão. É forçoso admitir que, na publicidade, o marcador dos bebés se resume às fraldas. A pesquisa vale o que vale, aponta, no entanto, para uma inexplicável negligência. Entretanto, a agência de viagens Spies Rejser descobriu que as férias são amigas da natalidade.

Marca: Spies Travel. Título: Do it for Denmark. Dinamarca, Março 2014.

Marca: Spies Travel. Título: Do it for Mom. Agência: Robert/Boisen & Like-Minded. Direcção: Niels Norlov. Dinamarca, Setembro 2015.

Kayak nas cascatas do rio Laboreiro

“Ó Natureza, a única Bíblia verdadeira és tu!…” (Guerra Junqueiro, O Melro, A Velhice do Padre Eterno, 1885).

Cascatas do rio Laboreiro. Castro Laboreiro. Fotografia cedida pela câmara municipal de Melgaço.

Cascatas do rio Laboreiro. Castro Laboreiro. Fotografia cedida pela câmara municipal de Melgaço.

“Portugal revela-se, cada vez mais, um paraíso para os amantes dos desportos de água” (http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/video-irao-os-rapidos-de-castro-laboreiro-ficar-tao-famosos-como-as-ondas-da-nazare=f755521). As cascatas do rio Laboreiro são, nessa exaltação, a porta do céu situada mais a norte.

Maxime Mitaut, vice-campeão mundial de kayak extremo por equipas pela selecção francesa, afirma o seguinte:

“Este fim-de-semana em Portugal, no último mês de Fevereiro, foi provavelmente o melhor que tive em 2013. Para mim, o Laboreiro é um dos rios mais belos da Europa. É um concentrado de rápidos classe V e de encadeamentos de belas quedas. Tudo num contexto magnífico, na fronteira entre a Galiza e Portugal (…) O melhor momento é o encadeamento das três quedas num eixo, o troço mais conhecido do Laboreiro, sendo cada uma espaçada por uma grande bacia sem sifões nem repuxos (com pouca água)” (http://max-mitaut.blogspot.pt/search?q=laboreiro).

Maxime Mitaut. Extreme Kayak au Portugal. Rio Laboreiro. 2013.

Estágio de campo em Melgaço

Nos dias 5 e 6 de Maio, há Estágio de Campo em Melgaço, organizado pela Câmara Municipal de Melgaço e pelo Departamento de Sociologia da Universidade do Minho, com o apoio do NECSUM, Núcleo de Estudos dos Estudantes de Sociologia da Universidade do Minho. O que vamos fazer? Viajar, observar, interagir e reflectir. Vamos dar e receber. Os alunos do Mestrado em Sociologia e os finalistas da licenciatura em Sociologia são os principais parceiros desta iniciativa. Insistem que querem ver fotografias para ponderar a decisão e estragar a surpresa. Segue um ramalhete de imagens minimamente identificadas.

Sábado, de manhã, instalação na Pousada da Juventude, no Centro de Estágios de Melgaço.

 

Durante a manhã, trilho do rio Minho.

 

À tarde, visita ao Espaço Memória e Fronteira,

 

ao Museu do Cinema

e ao castelo e à torre de menagem.

As termas do Peso são um local propício a uma pausa, com um breve concerto de guitarra e canto, na Fonte Velha.

A tarde termina no miradouro de Arbo, na Galiza.

À noite, na Casa da Cultura, ocorre a apresentação do livro Volta a Portugal, com a participação do autor: Álvaro Domingues. A apresentação, a cargo de Albertino Gonçalves, será precedida por um momento de guitarra clássica interpretado por Francisco Berény.

Na manhã de domingo, espera-nos Castro Laboreiro, com a subida ao castelo e as cascatas do rio Laboreiro.

A tarde começa em Lamas de Mouro, sítio ideal para uma pausa e recreio.

Com o corpo e o espírito refrescados, é o momento para uma reunião, no auditório da Porta de Lamas, para uma avaliação do ano lectivo.

De regresso à Vila de Melgaço, um Alvarinho de Honra no Solar do Alvarinho oferecido pela Câmara Municipal: vinho alvarinho, presunto, chouriço e broa, tudo produtos locais.

E, para terminar, o regresso a Braga.

Doçura ou travessura

Melgaço Noite do Medos

Melgaço Noite do Medos. 2017

Em vésperas de Halloween, a Renault aposta em zombies e vampiros. Facilita-lhes o estacionamento e a limpeza dos assentos. O Halloween é um sucesso de globalização, pela rapidez e pelo alcance. Até a minha terra festeja o Halloween. Tenho pena de não poder ir. Doçura e travessura. O Halloween pegou como erva do rio! Tanta irradiação norte-americana! A “coisa” foi para lá e, volvidos séculos, volta para cá. Hoje, dia 28, em Malta, já se festeja. Novos e velhos. É certo que o calendário não é o mesmo dos nossos avós, habituados a poucas, mas grandes, festas no Outono e no Inverno. Demasiado poucas para os netos. Faça-se como de costume: Importem-se da América. São Martinho, Janeiras, Carnaval? Deu-lhes alguma mazela? No Minho e na Galiza, abundam tradições semelhantes ao Halloween. Ressuscitá-las em dia de mortos? Resgatá-las? Enxertá-las?

Marca: Renault. Título: Easy “Zombie” Life. Agência: Publicis Conseil. Internacional, Outubro 2017.

Marca: Renault. Título: Easy “Vampire” Life. Agência: Publicis Conseil. Internacional, Outubro 2017.

O prazer da publicidade

wanderwegzeichen2_foto_fuer_zeitschriften

Vou contar um segredo: gosto da publicidade. Sei que é reflexo condicionado denegri-la. Pois, não a considero nem vazia, nem alienante, nem cacofónica.  Cada anúncio é uma interpelação. É obra de gente competente e criativa. Aprende-se mais com a publicidade do que com muitas agências de ensino. Sente-se mais com a publicidade do que com muitas paradas e promessas de prazer colectivo. Enfim, gostar do que se gosta é a nossa maior liberdade.

O anúncio Every spot a masterpiece, do Graubünden Tourism, é um bom exemplo. Centra-se num pormenor: as marcas dos trilhos transformadas em obras de arte. Marcas que, ao jeito dos fragmentos, convocam o todo: as majestosas montanhas suíças. E assim a arte se refaz. Regressa ao meio ambiente para ajudar a guiar os passos do homem.

“Everyone knows them: the white-red-and-white trail markers that show hikers the way. From today, these look a little different on three trails in Graubünden. For an artist has set his hand, or rather his brush, to these and made these signs live up to the beauty of the surrounding nature. True to the motto: every spot a masterpiece” (Graubüngen Tourism).

Marca: Graubünden Tourism. Título: Every spot a masterpiece. Agência: Jung Von Matt. Suíça, Setembro 2017.

A nova canção de Paris

paris-je-taimeEm Paris, até os passos se perdem. O anúncio da Câmara de Paris é empolgante, mas há tanto Paris esquecido. O museu Rodin mantém-se secreto, o Jardim do Luxemburgo, reservado aos habitués e a Sainte Chapelle, aos aficionados de banhos de luz… É certo que as atrações de Paris não cabem em 150 segundos. Il faut choisir! As imagens correm tão a galope que o olhar não as consegue ver. Deve ser um vídeo para connaisseurs. E a canção? Tem sotaque inglês ou é mesmo inglesa? Deve ser isto o French Kiss. Não é? O vídeo mostra? Cantar Paris em inglês é uma opção. Presume-se ser a língua dos destinatários. Voilà! Assim resulta melhor. A França está no bom caminho. Em tempos de cortesia linguística, a melhor língua é aquela que mais vende. I love Paris!

Anunciante: Mairie de Paris. Título: Paris je t’aime. Direcção: Jail Lespert. França, Setembro 2016.

Paris num zootrópio

AIRBNB_A_DIFFERENT_PARIS_4

De Singapura a Paris, pela mão da Airbnb. Além da cidade monumental, dos parques e dos jardins, existe um outro Paris que até os parisienses desconhecem: antiquários e bouquinistes, pequenas livrarias onde moram livros esgotados, praças, bistrots e caves, onde se toca jazz , carrosséis de sonho (Jean Loup Passek, que esteve na origem do Museu do Cinema, em Melgaço, é proprietário de um carrossel no Jardin du Luxembourg).

Só um golpe de sorte nos dá acesso a este Paris diferente. Ou um guia da Airbnb…

Marca: Airbnb. Título: A different Paris. Agência: TBWA Singapore. Direcção: Norman Yeend. Singapura, Setembro 2015.

O anúncio recorre a uma técnica de animação criada em 1833, o zootrópio. Uma técnica que exige trabalho, precisão, tempo e meios (ver https://tendimag.com/2013/03/25/fotografar-o-movimento-do-corpo/). O vídeo nº 2 mostra como foi feito o anúncio e o terceiro exemplifica como funciona um zootrópio moderno.

Behind the scenes. A different Paris. Setembro 2015.

Sony Bravia. Zoetrope. 2009.

É difícil falar de Paris sem que nos venham à memória algumas canções: por exemplo,  Sous le ciel de Paris, de Edith Piaf, e À Paris, de Yves Montand. Yves Montand foi um grande ator e cantor francês. Teve uma relação com Marilyn Monroe e com Edith Piaf.

Yves Montand. Olympia. Paris. 1982.

Edith Piaf. Sous le soleil de Paris. Carnegie Hall, 1957.