Archive | Julho 2013

Labirinto de Amor e Morte

Marta Carvalho é actriz de teatro associada ao projecto Fafe, Cidade das Artes. Também é aluna do curso de mestrado em Comunicação, Arte e Cultura, da Universidade do Minho. Labirinto de Amor e Morte é um monólogo talhado à sua medida. Teve a gentileza de o representar no Simpósio Olhares sobre o Teatro, na Universidade do Minho, no dia 8 de Maio de 2013. Encontra-se em digressão por terras do Brasil, com merecido sucesso, como se pode comprovar nesta reportagem do Programa Diversidade, da TV ITARARÉ. Carregar aqui TV IRARÉ. Marta Carvalho ou na imagem.

Marta Carvalho. Labirinto de Amor e Morte

Imaginário Salgado

O mar e a floresta são viveiros de sonhos. São espaços vizinhos, lugares de inquietação e travessia. Este anúncio, Mad about the sea, da Swatch, submerge-nos em águas invisíveis, a transbordar de desejo.

.

Marca: Swatch. Título: Mad about the sea. Agência: com.unico.Italy. Direção: Leberato Maraia. Itália, Junho 2013.

Beyond the Sea é uma canção famosa interpretada por Bobby Darin,  Frank Sinatra e, recentemente, Robbie Williams. Acontece, e não é caso único, que o original é francês. Salomonicamente, seguem Beyond the Sea, com um excerto de The Little Nemo e voz de Robbie Williams, e La Mer, com interpretação de Charles Trénet. Com esta e outras adaptações, pergunto-me quanta fama norte-americana não é colhida na Europa.

Porque existe um “mar português”, existem canções como a Garça Perdida, de Dulce Pontes. Dando o braço ao disparate, pergunto: se esta canção em português fosse um projecto de investigação, passava nos concursos nacionais da Fundação para a Ciência e a Tecnologia? Há quem dobre a língua. Há quem dobre tudo para dobrar os outros. Dava jeito um acordo ortográfico com os anglo-saxões. O actual é um bom estorvo à concentração na escrita.

“Só vei voar dentro de mim
neste sonho de abraçar
o céu sem fim, o mar, a terra inteira!
E trago o mar dentro de mim,
com o céu vivo a sonhar e vou sonhar até ao fim,
até não mais acordar…”

Ernest et Célestine

Ernest et CelestineErnest et Célestine é um filme de animação estreado nos últimos dias do ano passado. Ernest é um urso insatisfeito e Célestine um rato intrometido. A sua relação é muito complicada. O filme é uma delícia e a música, também. Este post rápido é para a Rita.

Fábula das Abelhas

Toshiba BeeEm 1714, Bernard de Mandeville escreve a Fábula das Abelhas: ou, Vícios Privados, Benefícios Públicos, um texto tão inovador quanto polémico: se cada um se orientar pelos seus próprios interesses, acabará, no conjunto, por concorrer para o bem comum. Trezentos anos depois, a apicultura continua a aguilhoar os nossos espíritos: se cada abelha contribuir com uma pequena excreção de cera, o resultado pode ser uma maravilha tecnológica. Um belo anúncio de animação da Toshiba.

Marca: Toshiba Kira. Título: Bee. Agência: Goodness Mfg. Direção: Jens Gehlhaar. EUA, Julho 2013.

Homem objecto

StihlA Axe não tem o monopólio de exibição de homens objectos. Este anúncio brasileiro para a Stihl Tools apresenta um belo espécimen. E aqueles olhares predadores do sexo oposto? Viram? E a passividade da presa? Que desclassificação de género! E agora, o que é que os homens objectos vão queimar?

Marca: Stihl Tools. Título: Handsome. Agência: Giacometti. Brasil, Julho 2013.

Pós-género

Hermès.A caminho do “pós-género” (tema da revista Comunicação & Cultura, nº 9), nada como o “sex-appeal do inorgânico” (Mario Perniola).

Marca: Hermès. Título: The Sound of Hermès Silver. Agência: DAN Paris. Direção: Caswell Coggins. França, Julho 2013.

Pós

Sissy Boy JeansEste anúncio da Sissy Boy Jeans acaba de inventar a figura da Pigmaleoa Narcisa? Pelos vistos, a identidade não se fragmenta, duplica-se. Na fragmentação, a aritmética é feita de divisão e subtracção. Esta aritmética é diferente, é feita de multiplicação e adição. Não produz retalhos, antes réplicas. Uma mitose. Fragmentação ou clonagem? Caberá a Pigmaleoa Narcisa na pós-modernidade? E na pós-humanidade? Há conceitos felizes. Albergam tudo. Ocos como os fantasmas. Quase tudo por fora e quase nada por dentro. Como diria o meu avô paterno, se calhar, é tudo uma questão de escala. E o meu avô materno acrescentava: e de perspectiva. Está tudo dito! Apesar da liquidez em que navegamos, continuo a preocupar-me com a réplica, com a mesmidade arregimentada, com as identidades sedimentadas em moldes comuns. Não se afoitem a arquivar a primeira metade do séc. XX como período historicamente extraordinário. Extraordinários somos nós! Brinquemos, pois! Com coisas sérias.

Marca: Sissy Boy Jeans. Título: Unwrapped. Agência: M&C Saatchi. Direção: Ian Gabriel. África do Sul, Julho 2013.

No canto da boca

ronald_mcdonald_jumpingPost rápido:

O algodão não engana, mas a boca… Como os olhos, é humana!

Marca: McDonald’s. Título: Entretien. Agência: TBWA Paris. França, Julho 2013.

O Poder

Jacques Brel. Les Bourgeois

Post rápido:

Quanto mais lido com o poder, mais lhe sinto o veneno.
E não há retórica que o elimine.

Jacques Brel. Les Bourgeois.

Figuras

Gaston Lagaffe

Na praia, há vagar para quase tudo. Para contar as ondas, alisar a areia e ver as nuvens passar. Algumas lembram pessoas. E as figuras de banda desenhada, não lembram ninguém?

Abraracourcix

Abraracourcix

Fantasio

Fantasio

Iznogoud

Iznogoud

Peter Pan

Peter Pan