Archive | Dezembro 2012

Entusiasmo: Wafers

Freska. MonkeysJá nada excita o ser humano, nada o empolga. Nada? Talvez umas wafers egípcias… Nestes anúncios da Freska, o grotesco convoca dois tópicos típicos: a violência e a sexualidade.

Marca: Freska.Títulos: Be wowed! Kuffar / Be wowed! Monkeys – Zoooo. Agência: Kairo. Direção:  Omar Hilal. Egipto, Dezembro 2012.

Entusiasmo: Futebol

CANAL+. Fuel for fansO entusiasmo pode roçar o delírio. O anúncio Fuel for Fans, para o Canal+, centra-se na descarga energética associada à celebração futebolística. Um simples golo pode conduzir ao impossível, ao êxtase do esférico. Um golo, uma trip; dois golos, duas trips; um nulo, uma seca; uma derrota, uma ressaca…

Anunciante: Canal+. Título: Fuel for fans. Agência: BETC Paris. Direção: Bart Timmer. França, Dezembro 2012.

Entusiasmo: Hino

First National Bank. AnthemO famoso anúncio Worlds da Ford (2006: http://www.youtube.com/watch?v=KaEO8td6N-M) foi dirigido por Greg Gray, um dos melhores realizadores de publicidade da actualidade. Alguns dos seus anúncios são autênticos hinos à vitalidade e ao entusiasmo humanos. Selecciono dois. O primeiro, Clap, ressuma música, ritmo, contacto e efervescência colectiva. O segundo, Anthem, revela a seiva que anima o grupo solidário, a generosidade do abraço humano.

Marca: MTM. Título: Clap. Agência: The Jupiter Drawing Room South Africa. Direção: Greg Gray. República da África do Sul, Junho 2007.

Marca: First National Bank (fnb). Título: Anthem. Agência: Velocity Metropolitanrepublic. Direção: Greg Gray. República da Africa do Sul, Agosto 2011.

Culinária económica

fuel. Sociedade civil solidáriaUma paródia oportuna num anúncio de sensibilização português. Para bom entendedor. O que transborda na realidade bem pode circular no ecrã.

Anunciante: Sociedade Civil Solidária. Título: Unemployed Chef’s Kitchen. Agência: Fuel Lisboa. Portugal, Dezembro 2012.

Nus, Ferozes e Canibais

Marca: Pantene. Título: Gisele made of salt. Agência: Wunderman. Direção: Andrew Peleikis. Brasil, Dezembro 2012.

Gisele Bündchen com sal! E não digo mais, para não sair pecado. Este anúncio brasileiro da Pantene lembra-me, por vias travessas, as aventuras de Hans Staden (1525-1579), um marinheiro mercenário alemão que chegou a Portugal no dia 29 de Abril de 1547 a bordo de um “navio que tencionava tomar carga de sal”.

Theodore de Bry. Cannibalism in Brazil in 1557 as described by Hans Staden. 1562.

Theodore de Bry. Cannibalism in Brazil in 1557 as described by Hans Staden. 1562.

Hans Staden embarcou duas vezes para o Brasil. A primeira, em 1548, rumo a Pernambuco, a bordo de um barco português. Na segunda viagem, parte de Sevilha num navio espanhol rumo a Rio da Prata. O navio naufragou na costa brasileira. Depois de várias peripécias, é capturado pelos Tupinambá, uma tribo de “selvagens nus, ferozes e canibais”, localizada perto de São Paulo. Durante meses, se não anos, consegue refrear-lhes o apetite. Acaba por ser comprado por franceses. No dia 30 de Outubro de 1554, levanta âncora do porto de Rio de Janeiro. Chega a França no dia 20 de Fevereiro de 1555.

Theodore de Bry. Dritte Buch Americae. A partir de Hans Staden, Frankfurt.M., 1593

Theodore de Bry. Dritte Buch Americae. A partir de Hans Staden, 1593

Regressado à Alemanha, escreve e ilustra minuciosamente as suas memórias que publica numa primeira edição, menos cuidada, em 1556, e numa segunda edição, mais aprimorada, em 1557, com o título: “Descrição Verdadeira de um País de Selvagens, Nus e Canibais, Situado no Novo Mundo América, Desconhecido na Terra de Hessen antes e depois do Nascimento de Cristo, até que , há dois Anos, Hans Staden, de Homberg, em Hessen, por sua própria experiência, o conheceu e agora o dá à luz pela segunda vez, diligentemente aumentada e melhorada”.

Hans Staden - Viagem ao Brasil (1930)

Hans Staden – Viagem ao Brasil (1930)

Trata-se de um documento de elevado valor histórico, antropológico e literário. Inspirou um filme (Hans Staden, 1999) e uma banda desenhada (Jô Olveira, Hans Staden: um aventureiro no novo mundo, Conrad Editora, São Paulo, 2005). Tive o ensejo de ler, nos anos setenta, a tradução francesa: Nus, Féroces et Anthropofages. Recomendo a leitura. Pode fazer download da edição da Publicações da Academia Brasileira, de 1930 (184 pp; 11,3 MB), carregando aqui: Hans Staden – Viagem ao Brasil (1930)

Hans Staden - Viagem ao Brasil (1930), p. 163.

Hans Staden – Viagem ao Brasil (1930), p. 163.

A crise chega aos animais do presépio

O Papa dispensou a vaca e o burro do presépio, não obstante tantos séculos de antiguidade e uma assiduidade irrepreensível. Logo no meio desta crise. Mas a vaca e o burro não baixam os braços. São animais pró-activos. Este anúncio da Opal conta toda a história. Carregar na imagem para aceder ao vídeo.

Opal Publicidade. Natal Vitae. Dezembro 2012.

Opal Publicidade. Natal Vitae. Dezembro 2012.

Anunciante: Opal. Título: Natal Vitae. Agência: Opal Publicidade, Porto. Direcção artística: Tiago Ribeiro e Gonçalo Santos. Portugal, Dezembro 2012.

 

A Arte pela Arte

Gautier. AvatarEste anúncio, Let Art Decide: Dog, remete-nos para a divisa “a arte pela arte”, adoptada por Théophile Gautier nos anos 1830. Pierre Bourdieu considerou esta divisa como a expressão mais emblemática da autonomia do campo da arte. Como reivindica este anúncio, “a arte pela arte” requer que a avaliação das obras artísticas se paute exclusivamente por princípios e critérios intrínsecos à arte, emancipando-se, assim, da moral, da religião, da economia e da política. Téophile Gautier escreveu vários textos fantásticos, entre os quais Avatar (1856), um conto em que as almas das personagens migram de corpos em corpos. Segue o pdf em português: Théophile Gautier. 1856 Avatar.

Anunciante: Art Directors Club. Título: Let Art Decide – Dog. Agência: The Conquistadors Collective. Direção: Jordi Soler. EUA, Dezembro 2012.

Anúncio vintage

1300576213-17Há anúncios que, ano após ano, reaparecem nos ecrãs. Lembro-me de marcas como Old Spice, Ferrero Rocher ou Nespresso. O fenómeno é antigo: em Itália, o Martini, e em França, os anúncios Fruit d’Or, com Tintim, e Panzani, com Don Camillo, resistiram longos anos. Mas estes anúncios venceram o tempo renovando-se. Apresentam novas versões. Não é o caso deste anúncio da agência kbs+p para o perfume Acqua di Gioia, de Giorgio Armani. Estreado em 2010, mantem-se tal e qual nos ecrãs. O que é que ele tem que os outros não têm? A música “Arrival of the Birds”, dos The Cinematic Orchestra? Ajuda, mas não basta. A modelo norte-americana Emily DiDonato? Também ajuda, mas não basta… O que é que este anúncio tem que os outros não têm?

De perder a vista

HD+. Abandoned.O terror é boa receita! Nos anúncios e não só. É um excelente contraponto seja lá ao que for, desde tecnologias prodigiosas a experiências de encantar. Gera picos de emoção quase instantâneos. Depois dos tempos de cólera, aguarda-se o amor em ambientes de arrepio. Uma boa oportunidade para investir neste nicho do mercado. A empresa poderia chamar-se “O Cupido da Transilvânia”, “A Gárgula do Amor” ou “A Orgia dos Zombies”. Peço desculpa por este coro de asneiras mas acontece-me, por vezes, entrar em disforia asnática. Nada a fazer, só aguardar que passe.

Marca: HD+. Título: Abandoned. Agência: Hello, Munich. Direção: Misko Iho. Alemanha, Outubro 2012.

Feliz Natal

Riu, riu chiu é um cântico de Natal espanhol do séc. XVI, que alguns atribuem a Mateo Flecha, o Velho (falecido em 1553). Dá para ouvir dentro e fora da igreja. A interpretação é de The Sixteen, sob a direcção de Harry Christophers. Boas festas!


Riu, riu chiu (letra):

Refrão:
Riu, riu, chiu
La guarda ribera
Dios guarde el lobo
De nuestra cordera.

El lobo rabioso la quiso morder,
Mas Dios poderoso la supo defender;
Quisole hazer que no pudiesse pecar,
Ni aun original esta Virgen no tuviera.
Riu, riu, chiu, etc.

Este qu’es nascido es el gran monarca,
Cristo patriarca de carne vestido;
Hanos redimido con se hazer chiquito,
Aunqu’era infinito, finito se hizera.
Riu, riu, chiu, etc.

Muchas profecias lo han profetizado,
Y aun en nuestros dias lo hemos alcancado.
A Dios humanado vemos en el suelo
Y al hombre nel cielo porqu’er le quisiera.
Riu, riu, chiu, etc.

Yo vi mil Garzones que andavan cantando,
Por aqui bolando, haciendo mil sones,
Diziendo a gascones Gloria sea en el cielo,
Y paz en el suelo qu’es Jesus nascieta.
Riu, riu, chiu, etc.

Este viene a dar a los muertos vida
Y viene a reparar de todos la caida;
Es la luz del dia aqueste mocuelo;
Este es el cordero que San Juan dixera.
Riu, riu, chiu, etc.

Pues que ya tenemos lo que desseamos,
Todos juntos vamos presentes llevemos;
Todos le daremos nuestra voluntad,
Pues a se igualar con el hombre viniera.
Riu, riu, chiu, etc.

Bedford Hours. 1430. London, British Library.

The Nativity. Bedford Hours. 1430. London, British Library.