Arquivo | Música RSS for this section

Música divertida

Klaus Nomi

Caiu-me no sapatinho eletrónico o anúncio Opera, da Amazon. À primeira vista, a ópera é rebaixada por um indivíduo deitado rente ao chão em trajes menores que a estima enfadonha. Não rebaixa quem quer! Mas o certo é que o maestro, a orquestra e a cantora mudam o repertório. Para benefício do intérprete seguinte, Klaus Nomi? Na realidade, Klaus Nomi mais do que “divertido” é humano, demasiado humano. As trocas de música destinam-se a enaltecer um novo produto sonoro: o Alexa. Segue o anúncio, mais a canção de Klaus Nomi.

Marca: Amazon / Alexa. Título: Opera. Agência: Droga 5 London. Direcção: Andreas Nilsson. Reino Unido, Outubro 2020.
Klaus Nomi. I Feel Love (Cover de Donna Summer). Klaus Nomi – In Concert. 1986.

Morrinha

Moledo do Minho visto de Santa Tecla.

Em Moledo, sinto-me galego. Quando a chuva é miudinha, há quem lhe chame morrinha. Na Galiza, a morriña é um sentimento de melancolia com enxerto de saudade. Seguem dois cantos a Galiza distintos: Romeiro Ao Lonxe, dos Luar Na Lubre, e Un Canto a Galicia, de Júlio Iglesias, ao vivo com Amália Rodrigues.

Luar Na Lubre. Romeiro ao lonxe (con Diana Navarro). Ao vivo. 2009.
Júlio Iglesias (com Amália Rodrigues). Un Canto a Galicia. Ao vivo. 1980.

Tangerine Dream

Tangerine Dream. Atem. 1973.

Ouvir os Kraftwerk  trouxe-me à memória os Tangerine Dream, bandas alemães fundadas, respetivamente, em 1970 e 1967. Os Tangerine Dream remetem, também, para o Krautrock e para o rock psicadélico estilo Pink Floyd. Têm músicas mais amigáveis e mais “estratosféricas” do que Wahn (1973), mas Wahn, estranha, lembra as óperas de Stockhausen. O que é critério.

Tangerine Dream. Wahn. Atem. 1973.

Insónia

Eugèle Delacroix, Le lit défait. 1828.

Tirar o sono aos autocratas é vocação da Deutsche Welle, empresa pública de comunicação alemã. A música é meio anúncio.

Marca: Deutsche Welle. Título: Insomnia. Agência: Nylon Film. Alemanha, setembro 2020.

Os Punk e as aulas não presenciais

The Offspring

Este semestre dou aulas por teleconferência. Sou uma imagem digital. Os alunos moram algures do outro lado do ecrã. Não ligam as câmaras. Televisão versus rádio. É este o retorno. A participação dos alunos é mínima. Exceto no intervalo. Digo disparates e eles verdades. Recomeçada a aula, arrefece a comunicação. Para a próxima, a aula vai ser toda um intervalo.

Hoje, durante a aula, abordámos o imaginário grotesco. Deu-se o exemplo dos punk. Lembrei-me da banda The Offspring. Seguem três vídeos. O segundo é um caso sério de grotesco.

The Offspring. Self Esteem. Ao vivo em 1998. Álbum Smash. 1994.
The Offspring. The Kids Aren’t Alright. Americana. 1998.
The Offspring. You’re Gonna Go Far, Kid. Rise and Fall, Rage and Grace. 2008.

Lembrete. O efeito Frankenstein.

Publicidade antitabaco.

Na embalagem de cigarros, uma imagem deveras feia: uma perna com cortes e suturas (ver, no mosaico, a imagem em baixo à direita). Quem, por coincidência, aguarde cirurgia à perna, não por obstrução das artérias mas por uma veia alargada, deve agradecer esta simpatia ou lembrete de Estado. Não há nada como a propaganda de massas a exalar falta de decoro. Quando o bem se diz com choque é chocante. É terrível e histórica a tentação de pregar o bem com o mau.

Serge Gainsbourg com Catherine Deneuve. Dieu fumeur de havanês. Single. 1980.

O mundo

Imago Mundi, o mais antigo mapa-múndi conhecido, século VI a.C., Babilônia.

“Quem tem uma mãe tem tudo / Quem não tem mãe não tem nada” (Zeca Afonso. Minha Mãe, Baladas e Cancões, 1964).

Não me entusiasma a mobilização para a internacionalização. Tão pouco a obsessão pelo rótulo internacional. Aprecio, no entanto, a internacionalidade. Mas mais do que ouvir, em Portugal, que o Fernando Pessoa, a Amália Rodrigues ou o Rodrigo Leão são internacionais, prefiro ouvir em Paris, em Roma ou em Berlim que são portugueses. Não é apenas uma questão de perspetiva. Não é preciso desaninhar nem acumular milhas para se internacionalizar. Basta fazer obra internacional. Existem instituições altamente responsáveis que pensam de outro modo.

“«O Mundo» é uma compilação lançada internacionalmente em 2006 por Rodrigo Leão”.

Rodrigo Leão – “O Mundo” (2006) – Ao Vivo / Live,

O Gorila e os Queen

Um anúncio da Peta que não é chocante.

Anunciante: Peta. Título: Break Free. Agência: Peta inhouse. Direção: Jesper Ohlsson. Alemanha, outubro 2020.

A beleza faz bem à vida

Apetece-me um banho de beleza. Também? O anúncio Merci é simplesmente belo. Imagens surpreendentes, mágicas, numa antologia de excertos de anúncios que a agência BETC criou para a Air France, numa colaboração de 21 anos.

Marca: Air France. Título: Merci. Agência: BETC (Paris). França, outubro 2020.

Com auscultadores sem fios

Slade. Slade Smashes.1980.

A técnica tem uma característica interessante: permite usos inapropriados. Nos encontros e nas reuniões, dava jeito colocar uns auscultadores sem fios e migrar para outras paisagens sonoras. A música suave não se presta a esta audição clandestina. Corre-se o risco de adormecer. O ideal é uma música brutal. Mas temos que nos treinar a não “abanar o capacete”. É uma tentação usar auscultadores nas aulas por videoconferência. Em quarenta alunos, apenas um tinha a câmara ligada. No ecrã, dezenas de bolachas. Dar uma aula acompanhado pelos Slade deve ser empolgante. Retenho quatro músicas, ao todo 15 minutos. É muito atendendo à vossa disponibilidade, mas pouco comparado com a duração de uma reunião ou de uma aula. E parece-me ser mais divertido.

Slade. Cum On Feel The Noize. Sladest. 1973.
Slade. Coz I luv you. Play It Loud. 1970.
Slade. My Oh My. The Amazing Kamikaze Syndrome. 1983.
Slade. Run Runaway. The Amazing Kamikaze Syndrome. 1983.