Arquivo | Música RSS for this section

Noturnos

Nunca descansei tanto. Investigo pouco e escrevo menos. Ouço os pássaros e os noturnos de Chopin.

Frédéric Chopin. Nocturne in B-flat minor, Op. 9, No. 1. Played by Vadim Chaimovich.

 Frédéric Chopin. Nocturne nº 20 in c-sharp Minor. Intérprete: hong-Sin Liou.

Televisão

A televisão é excelente para fechar os olhos. Discursos repetitivos, parciais e alinhadas. A televisão é boa para fechar os olhos e ouvir a música. Detesto catequeses, televisivas ou outras. Sou um ingrato do maná digital. Prefiro um Mozart a um milhão de jornalistas, convidados e moderadores.

Wolfgang Amadeus Mozart. Piano Concerto No. 21 – Andante. 1785. Intérpretes: Sir Colin Davis; Alicia De Larrocha.

Rodrigo Leão. Ruínas. Theatrum. 1996.

Outras músicas

Música na corte de Alfonso X.

Temos, hoje, acesso a uma infinita diversidade de músicas. Multiplicam-se as fontes, os instrumentos e os géneros, ora mais distantes, ora mais distintos. Apraz-nos contrapor, por exemplo, uma música eletrónica japonesa (1978: no auge dos Kraftwerk) e uma canção medieval em galego português (Alfonso X, o Sábio, século XIII). Como seria a música eletrónica dos Yellow Magic Orchestra interpretada com instrumentos antigos? Os ouvidos adaptam-se numa acústica imaginária. E as imagens? Não é maior a sua infinita diversidade? As imagens são tantas que se tapam umas às outras. Às vezes, a aproximação de duas realidades desvaloriza-as. Será o caso destas músicas? Dialogam? O que é humano dialoga.

Clemencic Consort. Cantiga 166 (Como Poden). Cantigas de Santa Maria. Alfonso X, o Sábio. Clemencic Consort, Les Cantigas de Santa Maria Vol.2. 1976.

Yellow Magic Orchestra. Computer Game (Theme from the invader), Yellow Magic Orchestra. 1978.

Ryuichi Sakamoto

Não é quando temos força que precisamos ser fortes.

Ryuichi Sakamoto é um músico, compositor, produtor e ator japonês radicado em Tóquio e em Nova Iorque. Colaborou com Rodrigo Leão.

Ryuichi Sakamoto. Put your hands up. Ryuichi Sakamoto: Playing The Piano 2009 Japan.

Ryuichi Sakamoto. energy flow. BTTB 20th Anniversary release. 1999.

Rodrigo Leão. Rosa. Cinema. 2006. Com Rosa Passos e Ryuichi Sakamoto.

O Método

Rodrigo Leão. O Malabarista.

Por um prazer simplificado.

Rodrigo Leão. O Método. O Método. Com Federico Albanese. 2020,

Santana

Carlos Santana. Woodstock.

Bom dia, nostalgia. Samba pa ti foi, a seu tempo, uma forma de vida.

Carlos Santana. Samba pa ti. Abraxas. 1970. Ao vivo em Montreux. 2011. Com 64 anos de idade.

Narcisismo extrovertido

Equinox.

Existem anúncios que frisam a obra de arte. Com a assinatura de Floria Sigismondi, o anúncio The most selfless act of all, da marca de luxo Equinox, viaja pelos símbolos e pelos mitos da humanidade para nos provocar: mais do que narcisista, importa ser o mais narcisista possível, o melhor narcisista do mundo. Um narcisismo extrovertido. “Uma dádiva para o mundo”. Há anúncios que são mais do que anúncios.

Equinox, renowned for its bold, thought-provoking campaigns that channel the collective mindset, explores the theme of healthy self-obsession to provide a fresh take on a concept already central to its mission of empowering a life well lived. In 2020, the brand challenged people to commit to becoming the best version of themselves through self-devotion, and in so doing, become a better person, better friend, better partner — improving the world around them (Droga 5 NY).

Marca: Equinox. Título: The most selfless act of all. Agência: Droga5 NY. Produção: Quad Productions. Fotografia: Glen Luchford. Direção: Floria Sigismondi. Janeiro 2020.

Música e publicidade

Georgettes.

É habitual a música integrar a banda sonora dos anúncios publicitários e, embora menos, o próprio conteúdo. Por vezes, é acompanhada por dança. Música e dança, a que propósito? Neste caso, para promover peças de joalharia, as georgettes.

Marca: Les georgettes. Título: And you, are you a georgette. Agência: Birth. Direção: Matvey Fiks. França, Maio 2021.

Mafalda Veiga

“E deixar-me devorar pelos sentidos
E rasgar-me do mais fundo que há em mim
Emaranhar-me no mundo
E morrer por ser preciso
Nunca por chegar ao fim
(Mafalda Veiga).

Tenho um nó na palavra. Para escrever cinco letras, preciso de uma dúzia de teclas. Chama-se a isto tremura de mãos e gaguez digital. Desfasada do pensamento, a escrita não discorre, tropeça. Encolhe como o caracol. Gosto da Mafalda Veiga

Mafalda Veiga. Por outras palavras. Zoom. 2011.

Deixa-me chorar

Caricatura do ano 1724, representando Farinelli em trajes femininos.

A música Lascia ch’io pianga, de Händel, integra a banda sonora do filme Farinelli, famoso castrato do século XVIII. Nesta interpretação, a voz é uma combinação de um contratenor e de uma soprano.

Händel. Lascia ch’io pianga. Ópera Rinaldo (HWV 7), de 1711