Arquivo | Humor RSS for this section

Consolo tóxico

Na publicidade dos anos sessenta, os cigarros faziam bem à saúde e o fumador era um homem de sucesso. Nos anos oitenta, o fumador é um contrariado compensado pelo tabaco. Nos anos 2 000, o tabaco é um veneno e o fumador, um cadáver em potência. Atendendo à censura vigente, não é curial colocar estes quatro anúncios da marca Hamlet. Mas o eclipse do mal nunca fez bem ao bem. São dezenas os anúncios desta campanha cujo conceito remonta aos anos sessenta e se prolongou até aos anos noventa. Retenho quatro curtas “histórias sem palavras” que evidenciam que o prazer pode não provir da virtude.

Marca: Hamlet. 1966.
Marca: Hamlet. Título: Robots. Reino Unido, anos setenta.
Marca: Hamlet. Título: Football. Reino Unido, 1989.
Marca: Hamlet. Título: La Photo de Famille. Agência: Cdp. Reino Unido, 1990.

Um sopro de vida

O mundo dá voltas. E o catavento, também. Importa escrever a vida com um tinteiro novo.

Marca: Optus. Título: A declaration of yes. Agência: M&C Saatchi, Sydney. Direcção: Paul Middleditch. Austrália, 2013.

Menina estranha

Walt Disney em 1956.
Walt Disney. Alice no País das Maravilhas. 1951. Excerto. Dobrado em português.

Alice, desenhada por Walt Disney, parece sair do papel. Uma ilusão! No filme de animação, Alice está sempre em apuros. Uma fantasia! É uma menina estranha, “a strange little girl”. Uma história bizarra. Talvez seja o sol, “always the sun”. Fusíveis queimados. Aproveito para colocar duas músicas dos Stranglers.

The Stranglers. Strange little girl. La Folie. 1981
The Stranglers. Always de sun. Always the sun. 1990.

E a vida sorri!

Azeite, bacalhau, broa, alho e vinho. Para um mergulho no nevoeiro pátrio. Em Janeiro de 1986, Portugal adere à Comunidade Europeia. No mesmo ano, sai um anúncio da Olá: “Um corneto para mim, um corneto para ti. Olá! Olá! E a vida sorri”.

Escultura de máscara de teatro. Ruínas de Myra, na Turquia. © Gerhard Huber.

Este anúncio da Olá marcou as pessoas. Respira promessa, aventura, prazer, ternura e música. Um País despreocupado, apostado em desfrutar o presente. Trinta e quatro anos depois, o impacto do anúncio e da música resiste. “E a vida sorri”? Como uma máscara grega.

Marca: Olá – Corneto. Título: E a vida sorri. Portugal, 1986.
Apanhado de anúncios antigos dos gelados Olá.

O roubo das caras

Francis Bacon, Self-Portrait, 1971. Centre Georges Pompidou,

Para os lados do Japão, andam a roubar as caras às pessoas! Evite uma aberração facial, recorra à loção para a pele Gatsby. Esta é a mensagem principal do anúncio The Kawaii Tweak Hazard Song. Pelo meio, espalha-se muita imaginação e humor.

Marca: Gatsby Perfect Skin Lotion. Título: The Kawaii Tweak Hazard Song. Agência: Dentsu (Tokio). Direcção: Wataru Sato. Japão, Abril 2019.

Quarentena com arte

Edward Hopper. Morning Sun. 1952

Que bueno! La idea, la selección y el montaje. “Un regalo”. Buenos vientos vienen de España . Así los días cuentan, sin salir de casa. Gracias por compartir.

Cuarentena con arte, de Friking.

O gnomo, a gula e a ira

O anúncio tailandês The Box, da marca Voiz Cracker, é um presente criativo cheio de boa disposição. Duração longa, pouca história, repetida com variantes, interpretada por “gnomos” sósias, numa espécie de paródia da magia. Receita apropriada para a destilação de um humor insólito, que namora o pecado. Neste caso, dois pecados capitais, a gula e a ira, tudo por causa de uma bolacha.

Marca: Voiz Cracker. Título: The Box. Tailândia, 2018.

Sucesso

Quino

“Encarrega-se os homens, desde a infância, do cuidado da sua honra, dos seus bens, amigos e ainda do bem e da honra dos seus amigos. Enchemo-nos com problemas, com a aprendizagem das línguas e com exercícios, e faz-se-lhes entender que não podem ser felizes sem que a sua saúde, honra, a fortuna e a dos amigos estejam em bom estado e que basta falhar uma só coisa para os tornar infelizes. Assim, atribuem-se-lhes cargos e questões que os inquietam desde o despontar do dia. Direis que esta é uma estranha maneira de os tornar felizes! Ora, o que se poderia fazer de melhor para os tornar infelizes” (Pascal, Pensamentos, Artigo XXI: Miséria do Homem).

Tenho um amigo que, desde os trinta anos, tem receio do sucesso. Produz, o melhor que sabe, livros, artigos, comunicações… Enterra-os como as tartarugas os ovos. Trinta anos depois, continua a evitar o sucesso. Nunca mo disse, mas creio que, para ele, o sucesso é coisa pouco saudável.

Nick Cave & The Bad Seeds. Faraway, So Close!. Filme Faraway, So Close. 1993.

Anjos tecnológicos

Dependentes de computadores, consolas e telemóveis? Com a quarentena, a situação agudiza-se. Prontos para viajar no ecrã mágico? Mãos autónomas e olhar táctil. A casa é uma ponte, os outros são bem-vindos e o tempo é uma pastilha elástica. Será que existem fadas ou anjos electrónicos? O anúncio With love, Jack, da marca de whiskey Jack Daniel’s, oferece uma excelente ilustração do “milagre” tecnológico.

Marca: Jack Daniel’s. Título: With love, Jack! Agência: Energy BBDO. Estados-Unidos, Março 2020.

O aperto de mão em tempos de pandemia

A publicidade não está imune ao coronavírus. Multiplicam-se os anúncios que aludem à pandemia. Com mais ou menos propósito. Nalguns casos, é preciso algum esforço para descobrir a ligação. Seleccionei dois anúncios em língua portuguesa. O primeiro, brasileiro, Keep your distance, da Universidade do Futebol, assinala como um gesto, a recusa do aperto de mão, pode mudar de sentido, de feio para bom, de ofensa para consciência, consoante o contexto. O segundo, português, It’s Victor Fault, da Lobby, inspira-se na origem, presumivelmente vampírica, do vírus. Dois vampiros conversam sobre as vantagens e as desvantagens do coronavírus. A agência aproveita para fazer auto-promoção.

Marca: Universidade do Futebol. Título: Keep your distance. Agência: Liberdade. Direcção executiva: Fabiana Zat Livardi. Brasil, Março 2020.
Marca: Lobby. Título: It’s Victor Fault. Agência: Lobby. Portugal, Março 2020.