Archive | Teatro RSS for this section

A tentação surrealista: António Pedro

01. Catálogo da Exposição António Pedro 1909 1966.

01. Catálogo da Exposição António Pedro 1909-1966.

Para variar, já fez sol em Moledo do Minho. Nada como um cigarro! Em frente, do outro lado da rua, a casa de António Pedro. Nascido em 1909, “o gigante esquecido” (Vasco Rosa, Jornal Observador, 17 de Agosto de 2016) é uma figura incontornável da arte portuguesa do século XX. De muitos modos e feitios. Foi pintor, escultor, escritor, poeta, dramaturgo, encenador, jornalista, radialista, galerista… Passou a infância em Moledo do Minho, estudou na Galiza, em Coimbra e em Lisboa. Entre 1934 e 1935, viveu em Paris, tendo frequentado o Instituto de Arte e Tecnologia da Universidade da Sorbonne. Junto com 25 artistas dos movimentos surrealista e Dada, entre os quais Joan Miró, Hans Harp, Sonia Delauney, Marcel Duchamp, Wassily Kandisnky e Francis Picabia, assinou, em 1936, o Manifeste Dimensioniste (carregar para aceder ao pdf). Em 1941, expõe a sua obra no Brasil. Entre 1944 e 1945, foi cronista e crítico de arte na BBC, em Londres.

02. António Pedro, Refoulement, 1936.

02. António Pedro, Refoulement, 1936.

Em 1933, cria a Galeria UP, a primeira a acolher em Portugal uma exposição de Helena Vieira da Silva (1935). Em 1940, participa, com dezasseis pinturas, na realização da primeira exposição surrealista em Portugal, na Casa Repe em Lisboa. Em 1947, integra o Grupo Surrealista de Lisboa.

04. António Pedro. O anjo da guarda. 1939.

04. António Pedro. O anjo da guarda. 1939.

Homem de teatro, foi director do Teatro Apolo, em Lisboa. Foi fundador e director, entre 1953 e 1962, do Teatro Experimental do Porto. Entre vários textos dramáticos, escreveu a Comédie en un acte. Viveu os últimos anos em Moledo do Minho onde faleceu no dia 17 de Agosto de 1966. Para uma apresentação mais detalhada e circunstanciada, sugiro o artigo “António Pedro Pintor”, de José-Augusto França, publicado na revista Portuguese Cultural Studies 5, Spring 2013 , bem como o vídeo António Pedro Presente! I apresentado, também, por José-Augusto França e publicado pela Companhia de Dança de Lisboa (ver vídeo 1).

05. António Pedro. Ilha do Cão. 1940. Ver vídeo 2.

05. António Pedro. Ilha do Cão. 1940. Ver vídeo 2.

Pesquisar imagens da arte portuguesa manifesta-se, muitas vezes, frustrante. Poucas estão acessíveis na Internet e com fraca resolução. Às vezes, só com a ajuda de uma lupa. Não sei se é por causa dos direitos, se é por causa dos tortos. Aposto nos tortos, mais precisamente, na aristocracia dos direitos e na irresponsabilidade dos tortos. No que respeita à obra de António Pedro, fiz o que pude, nem sempre bem. Vale a dezena de vídeos publicados pela Companhia de Dança de Lisboa.

Está fresco em Moledo. Apago o cigarro. António Pedro fumava. As andorinhas continuam a voar em bando à volta da sua casa.

António Pedro: Galeria de Imagens

Vídeo 1. ANTÓNIO PEDRO – 1909 / 1966 – Presente! ( I ). Companhia de Dança de Lisboa.

Vídeo 2. António Pedro – Óleos sobre tela, 1936 / 1946. Companhia de Dança de Lisboa.

Vídeo 3. António Pedro – Óleos sobre Tela – 1944, 1939 e 1936. Companhia de Dança de Lisboa.

Vídeo 4. “Tríptico solto de Moledo” 1943 – António Pedro. Companhia de Dança de Lisboa.

Vídeo 5. ” Paz Inquieta “- 1940 – António Pedro. Companhia de Dança de Lisboa.

Ventos

A edição da Deutsche Grammophon de 1970 do Concerto de Aranjuez, de Joaquín Rodrigo, interpretado por Narciso Yepes, incluía no lado B a Fantasía para un Gentilhombre. Habituei-me a virar o disco. Neste vídeo, observa-se Narciso Yepes a tocar uma guitarra de dez cordas.

Paula Rego. Inês de Castro. 2014.

Paula Rego. Inês de Castro. 2014.

De Espanha, também vêm bons ventos. Tenho andado às voltas com a história de Inês de Castro. Não sei se é uma tragédia, mas pontificam os excessos da fraqueza do poder. De Espanha, veio Inês de Castro, na comitiva de Constança, que casou com D. Pedro. Foi a incerteza quanto às reacções de Espanha que levou D. Afonso IV a decidir a morte de Inês de Castro. A meteorologia é complicada. Nem sempre se sabe de onde sopram que ventos.

Joaquín Rodrigo. Fantasía para un Gentilhombre. Interpretação de Narciso Yepes.

Marta

MartaMarta é actriz e aluna no curso de mestrado em Comunicação, Arte e Cultura, da Universidade do Minho. Participa neste anúncio sueco do Chapel Hill Sparkling Wine: Heavenly wines, delicious moments. Uma pista: é a mais bonita.

Marca: Chapel Hill Sparkling Wine. Título: Heavenly wines, delicious moments. Suécia, Maio 2014.

Feliz Natal

WWF. Wonder World Fur. 2013

WWF. Wonder World Fur. 2013

Para todos os amigos, em especial para os que estão no estrangeiro, votos de Feliz Natal e de um óptimo Ano Novo!
Seguem dois vídeos de boas festas. São muito diferentes: um é o de cima e o outro é o de baixo. Para visualizar com boa resolução o de baixo, carregar no canto superior direito em HD.

Marca: Atresmedia. Título: Mucha televisión, mucha navidad. Agência: Swing, Swing. Direção artística: Gabriel da Silva. Espanha, Dezembro 2013.

Marca: Théâtre de la Bastille. Título: Edgar & Kelly. Agência: Leo Burnett France. Direção: Jean-Marc Gosse. França, França, Dezembro 2013.

Labirinto de Amor e Morte

Marta Carvalho é actriz de teatro associada ao projecto Fafe, Cidade das Artes. Também é aluna do curso de mestrado em Comunicação, Arte e Cultura, da Universidade do Minho. Labirinto de Amor e Morte é um monólogo talhado à sua medida. Teve a gentileza de o representar no Simpósio Olhares sobre o Teatro, na Universidade do Minho, no dia 8 de Maio de 2013. Encontra-se em digressão por terras do Brasil, com merecido sucesso, como se pode comprovar nesta reportagem do Programa Diversidade, da TV ITARARÉ. Carregar aqui TV IRARÉ. Marta Carvalho ou na imagem.

Marta Carvalho. Labirinto de Amor e Morte

Olhares sobre o Teatro

O Simpósio Olhares sobre o Teatro tem lugar quarta-feira, dia 8, no Auditório do Instituto de Educação. Organizado pelo curso de mestrado em Comunicação, Arte e Cultura e pela Farfalla Borealis, o Simpósio culmina com a apresentação de uma peça teatral, Labirinto de Amor e Morte, com actriz Marta Carvalho.

Cartaz - Simpósio 'Olhares sobre o Teatro'

FAFE CIDADE DAS ARTES – Convite

CIDADE DAS ARTES - frenteFafe Cidade das Artes é uma iniciativa que visa “projetar o município de Fafe como exemplo de Cidade das Artes, do Teatro, da Dança, da Música, da Literatura, da Cultura”. Aposta na criação de oficinas de formação teatral, de residências artísticas temporárias e de intercâmbios com criadores de todo o mundo, nomeadamente do Brasil.

O projeto Fafe Cidade das Artes será apresentado, e discutido, com a participação de alguns dos seus promotores, no dia 23 de Abril, às 18 horas, na Sala de Atos do Instituto de Ciências Sociais, da Universidade do Minho. Haverá ainda oportunidade para uma conversa com o encenador Marcelo Bones e a atriz Ângela Mourão, do teatro brasileiro Andante, bem como com o encenador Moncho Rodriguez e a atriz Marta Carvalho, a propósito do espetáculo teatral “Labirinto de Amor e Morte”.
Não quer vir? Tem lugar reservado.

Fafe Cidade das Artes png
labirinto de amor e morte - foto de manuel meira

Labirinto de amor e morte – foto de Manuel Meira