Archive | Janeiro 2015

Correr sentado

Mercedes. FableA publicidade anda zoófila. “A lebre e a tartaruga” é uma fábula de Esopo (séc. VI a.C), retomada por La Fontaine, no século XVII, e pela Mercedes, no século XXI. Cada versão propõe a sua moral.
Moral de Esopo: “Quem segue devagar e com constância sempre chega à frente”.
Moral de La Fontaine: “De nada serve correr, é preciso partir a tempo”.
Moral da Mercedes: “Correr sentado descansa as pernas”.

Marca: Mercedes. Título: Fable. Agência: Merkley + partners (New York). Direcção: Robert Stromberg. USA, Janeiro 2015.

Sociologia sem palavras 17. A publicidade.

 

licornesA publicidade é um repositório do imaginário contemporâneo. Lembra um livro de horas votado à salvação pela mercadoria. O anúncio Os unicórnios do Canal Plus é fantástico.

Sociologia sem palavras 17. A publicidade. Canal Plus. Les Licornes. BETC.  Jan 2015.

Solidariedade animal

.Budweiser-Lost-Dog-Superbowl-Commercial-JR2-12815Este anúncio da Budweiser é tão sweet, que lhe acrescento un soupçon de sel.
“Fizestes o caminho do verme ao homem, e muito, em vós, ainda é verme. Outrora fostes macacos, e ainda agora o homem é mais macaco do que qualquer macaco” (Nietzsche, Assim falou Zaratustra).

Marca: Budweiser. Título: Lost Dog. Agência: Anomaly. Direcção: Jake Scott. USA, Janeiro 2015.

O apetite do poder

Há quem se sinta no poder como um abutre num galho: a carne dos mais fracos é sempre a mais apetitosa.

Abutres

A Padroeira das Cabeleireiras

Estou a preparar um artigo dedicado a Santa Maria Madalena. Não tenho tido tempo disponível para o terminar. Como penhor, deixo a imagem de uma escultura  do início do século XIV: Madalena penitente, retirada no deserto, nua, com o cabelo a cobrir o corpo (Igreja Notre-Dame d’Écouis, França).

Statue de Marie-Madeleine d'Écouis (Eure), Église Notre-Dame, 1311-1313

Statue de Marie-Madeleine d’Écouis (Eure), Église Notre-Dame, 1311-1313

Interrogação

Praia em Mindanao

Praia em Mindanao

Qual é o motivo por que nos sentimos tão satisfeitos quando alguém tem os mesmos gostos que nós? Por exemplo, a canção Royals, da Lorde. Afinidade eletiva? Por que nos sentimos extasiados quando alguém nos fala de algo que nunca faremos? Por exemplo, descer, numa cápsula submarina, a Fossa do Mindanao (ponto oceânico nas Filipinas com 10 540 metros de profundidade). Disparidade projetiva? E se, na escuridão da Fossa do Mindanao, colocarmos os auscultadores para ouvir a canção Royals?
E que sentimos ao ver dois automóveis a fazer patinagem artística?
Este vídeo foi enviado pela Joana Ferraz Ribeiro. Uma gentileza.

Sergei Romanchikov. Tango on Ice.

A exceção

É raro, mas hoje, depois de ontem, não resisto a escrever um texto politizado.

Mordillo

Mordillo

“Se um homem tiver cem ovelhas e uma delas se extraviar, não deixa as noventa e nove e vai aos montes procurar a que se extraviou? Se acontecer achá-la, em verdade vos digo que se regozija mais por causa desta, do que pelas noventa e nove que não se extraviaram” (Mateus 18:10-14).

The world is full of rules, be the exception. Challenge all givens!”

Marca: Audi. Título: Swim. Agência: Venables Bell & Partners. Direcção: Matt Aselton. USA, Janeiro 2015.

Homens do lixo

Mizuno. Invisible RunnersAlguém havia de se lembrar deles. Em boa hora. Com dignidade. Imagem com valor acrescentado. A diversidade humana passa pela publicidade, num mundo comunicacional cada vez mais dedicado a marretas e clones.

Marca: Mizuno. Título: Invisible Runners. Agência: F/Nazca Saatchi & Saatchi. Direcção: Fabricio Brambatti. Brasil, Janeiro 2015.

Humor frutado

3_-_cancer_now_available_print_strawberry_aotwL’homme n’est ni ange ni bête, et le malheur veut que qui veut faire l’ange fait la bête” (Blaise Pascal, Pensées).

“O homem nem é anjo nem é besta, e o infortúnio dita que quem quer fazer de anjo faz de besta”.

Humor macabro destilado nos alambiques da consciencialização rumo a uma prevenção provavelmente eficaz entre os humanos. Qual será a opinião dos vermes?

Anunciante: Canadian Cancer Society. Título: Operating room. Agência: Rethink. Direcção: Michael Schmidt. Canadá, Janeiro 2015.