Arquivo | Festival RSS for this section

Festival para Gente Sentada

Acalmia em Moledo. Fotografia de Fernando Gonçalves

Acalmia em Moledo. Fotografia de Fernando Gonçalves. 2018.

As férias terminaram, mas Moledo continua. Não me lembro de ver tantos carrinhos de bebé, tantas mulheres grávidas, tantas pessoas com cão e, sobretudo, tamanha afluência de carros a banhos. Moledo, no verão, está a mudar, a mudar no sentido inverso. Não estranhava ver nas redondezas de Moledo o Sufjan Stevens, cantor e compositor norte-americano, nascido em 1975. Tenho dois cd de Sufjan Stevens: Seven Swans (2004) e Illinoise (2005). Adquiri-os por altura da sua participação no Festival para Gente Sentada, em Braga, em 2004, no mesmo ano que Devendra Banhart. As três músicas seleccionadas pertencem ao disco Seven Swans.

Sufjan Stevens. We Won’t Need Legs to Stand. Seven Swans. 2004.

Sufjan Stevens. A good man is hard to find. Seven Swans. 2004.

Sufjan Stevens. Seven Swans. Seven Swans. 2004.

Canteiros do prazer: pleasuredomes

Festa do Alvarinho

Festa do Alvarinho e do Fumeiro. Melgaço.

Dizem os sábios que Portugal é um anfiteatro virado para o mar. Quem der uma volta ao país fica impressionado com a profusão de palcos e cenografias. Não há modo de ignorar a multiplicação de toldos, estrados, pistas, equipamentos, decorações, iluminações, letreiros e cartazes, tudo pronto a servir. Não há vila que não aspire ser uma Meca do espectáculo. Os eventos parecem cogumelos. Circulam de terra em terra, como os circos. Repetem-se, copiam-se e vingam. Em alguns casos, promovem-se produtos e recursos locais. Noutros, os palcos são ninhos para cucos forasteiros. Alguns revitalizam, por um tempo, sociedades envelhecidas, com atracções para os jovens. Portugal abraçou uma vocação: jardinar prazeres nos canteiros do rectângulo. Tanta “arte efémera”! Tanta « busca de excitação » ! Tanto “orgiasmo colectivo” (Beauchard, Jacques, 1985, La Puissance des Foules, Paris, Presses Universitaires de France). Welcome to the Pleasuredome!

Frankie Goes To Hollywood. Welcome to the Pleasuredome. Wellcome to the Pleasuredome. 1984.

 

Pompa e Circunstância 1

edward elgar

Edward Elgar (1857-1934)

Cansado. Até dar aulas cansa. Dispenso letras e números. Talvez música. Um concerto de música clássica que pareça um concerto de música popular. Edward Elgar? A Marcha de Pompa e Circunstância nº 1 (Terra de Esperança e Glória), de 1901. Os ingleses têm destes arrebatamentos com carga nacionalista. Não desligue antes do segundo minuto.

Elgar. Marcha de Pompa e Circunstância nº 1 (Terra de Esperança e Glória). Proms 2012. BBC Synphony Orchestra. Royal Albert Hall, 8 de Setembro de 2012.

Chover ou não chover no molhado

 

Volkswagen 2

O anúncio Rain, da Volkswagen, retoma os tempos dos festivais hippies e dos míticos “carocha” e “pão de forma”. Não aparece nenhuma versão recente! É certo que o trio hippie, carocha e pão de forma desfruta de uma carga simbólica ímpar. Mas também é verdade que ainda não desapareceu da memória a falsificação dos resultados das emissões de poluentes em motores diesel. Fazer a ponte entre as versões “históricas” e as versões em lançamento é procurar não chover no molhado.

Tive um carocha 1 500 cor de laranja. Era quase um tractor, mas bebia gasolina como quem bebeu petróleo. Como quem bebeu petróleo? Era criança, no tempo do Woodstock, a família tinha uma mercearia. Numa esquina, um dispositivo imponente para medir petróleo. Naquele tempo, consumia-se muito petróleo. Volta e meia, era necessário encher a “máquina”. Os barris de petróleo estavam numa divisão afastada. Um dia, coube-me ir buscar um balde de petróleo. O processo era simples: colocar a extremidade de uma bicha dentro do barril, aspirar com a boca na outra extremidade e colocá-la no balde. Cheio o balde, a operação também era simples: tapar com um dedo a bicha e levantá-la para que o petróleo da bicha regressasse ao barril. Pois bem, eu aspirei com toda a vontade e não retirei a bicha a tempo. Resultado: bebi umas boas goladas de petróleo. Deu-me tamanha sede que quase sequei o fontanário. Não há palavras! Estou convencido que parte da sede que agora sinto ainda me vem desse episódio.

Marca: Volkswagen. Título: Rain. Agência: Deutsch Los Angeles. Direcção: Lance Acord. USA, Outubro 2017.

O espelho invertido

Detalhe da Tapeçaria do Apocalipse, por Jean Bondol e Nicholas Bataille, no Castelo de Angers. 1382.

Detalhe da Tapeçaria do Apocalipse, por Jean Bondol e Nicholas Bataille, no Castelo de Angers. 1382.

Quando a auto-derisão se extrema, é bom sinal, é sinal de que a identidade o admite. Pelos vistos, nem fumar, nem ser doente mental conseguem ser piores do que ser argentino! O absurdo, bem destilado, é um bom comunicador.

Marca: Argentina New Cinema Fillm Festival. Título: Transplant. Agência: Connil Advertising Los Angeles. Direcção: Dos Ex Maquina, USA, 2016.

Ontem, dia 13 de Maio, Salvador Sobral, representante de Portugal, venceu o Festival Eurovisão da Canção de 2017. Foi a primeira vitória de Portugal, com a maior votação de sempre. Esta notícia é sobejamente conhecida em Portugal, mas como cerca de 80% das consultas deste blogue provêm do estrangeiro, partilho a boa nova.

Salvador Sobral – Amar Pelos Dois (Portugal) Eurovision 2017 – Official Music Video.

Se

Sol

Se é, porventura, a palavra mais preciosa do pensamento humano.

“Quem quiser conhecer por completo a vaidade do homem não tem senão que considerar as causas e os efeitos do amor. A causa é um não sei quê (Corneille) e os efeitos são espantosos. Esse não sei quê, tão pouca coisa que não se pode reconhecê-lo, revolve toda a terra, os príncipes, os exércitos, o mundo inteiro. Se o nariz de Cleópatra tivesse sido mais curto, toda a face da terra teria mudado (Blaise Pascal, Pensamentos).

E se, em vez do nariz de Cleópatra, fosse o sol a apagar-se? Este anúncio, estreado hoje, propõe um cenário.

Anunciante: Festival El Sol. Título: 8:20. Agência: Publicis España. Direcção: Jérôme Walter. Espanha, Março 2017.

Filmes do Homem. Melgaço, 2 a 7 de Agosto

filmesdohomem

Existem, sempre, bons motivos para visitar Melgaço. Os Filmes do Homem 2016, Festival Internacional de Documentário de Melgaço, é um motivo muito especial. Decorre de 02 a 07 de Agosto, em várias localidades do concelho. Para aceder ao catálogo, carregar numa imagem ou no seguinte endereço: http://www.filmesdohomem.pt/doc/FDH2016.pdf.

Filmes do Homem. Projecção junto à Torre de Menagem. Melgaço, Agosto 2016.

Filmes do Homem. Projecção junto à Torre de Menagem. Melgaço, Agosto 2016.

Dar um salto: Filmes do Homem 2

Começa hoje, dia 4 de Agosto, a segunda edição dos Filmes do Homem – Festival Internacional de Documentário de Melgaço. É uma iniciativa oportuna e original, promovida, com entusiasmo e competência, pela Câmara Municipal e pela associação Ao Norte. Pode aceder à página do evento no seguinte endereço: http://filmesdohomem.pt/. Quanto ao catálogo, belíssimo, a versão em pdf está disponível no endereço: http://filmesdohomem.pt/doc/filmes-do-homem-2015.pdf ou carregando na seguinte imagem.

Filmes do Homem Catálogo 2015

Escrevi um pequeno texto no catálogo (pág, 14 -17) sobre o filme O Salto (1966) de Christian de Chalonge. No dia 8, faço uma visita guiada ao Espaço Memória e Fronteira. Dê um salto, um salto a Melgaço. Vale a pena!