Tag Archive | Alemanha

Os gatos são como a felicidade

Roberto Chichorro., Janela com gato e mulher de vermelho. 2010.

Os gatos são como a felicidade. Sabe-se quando se afastam, não se sabe quando voltam (AG)

O anúncio Katzen, da Netto, apresenta gatos a fazer compras. É uma paródia dos gatos virais na Internet: o OMG Cat (23 942 793 visualizações); Surprised Kitty (78 935 700 visualizações); No No Cat (12 843 138 visualizações); o Keyboard Cat (55 947 719 visualizações); ou o gato Maru (23 854 637 visualizações).

A banda sonora do anúncio é uma adaptação da música Magic Fly dos Space, uma banda francesa dos anos setenta, por sinal, muito desconhecida. Acrescento duas músicas menos alegres dos Space: Blue Tears e Secret Dreams, ambas do álbum Magic Fly (1977).

Marca: Netti Marken-Discount. Título: Netto-katzen. Direcção: Brian Lee Hughes. Alemanha, Junho 2016.
Space. Blue Tears. Magic Fly. 1977.
Space. Secret Dreams. Magic Fly. 1977.

Quando a causa é justa…

Edekas neue Schock Kampagne Baby in Plastik. 2019

“Le dégoût et les soucis naquirent de l’abondance” (Píndaro, poeta grego).

A causa ecologista destaca-se como uma das maiores causas da história da humanidade. Pelo alcance e pela mobilização. As grandes causas convocam tanto a nossa bondade como a nossa maldade. A elevação e o disgusto. A causa ecologista cresce na publicidade. Se a causa é boa, o resto pode ser reciclável. Uma espécie de efeito PETA.

No anúncio alemão Unverpackt, da cadeia de supermercados Edeka, uma mulher em trabalho de parto dá à luz um boneco envolto em plástico. Na realidade, está a ter um pesadelo provocado pelo homem a abrir uma embalagem plástica com fruta. Existem imensos diabos. Nunca os contei. Plástico é o mais recente.

Marca: Edeka. Título: Unverpackt. Agência: Virus. Direcção: Robert Maciejewski. Alemanha, Setembro 2019.

Sonolência divina

Hornbach. Every change needs a beginning. 2011.

Domingo é bom dia para acordar devagar. Na companhia de um vídeo delirante e de uma música tranquila. O anúncio Every Change Needs A Beginning, da Hornbach, propicia um momento de humor pintalgado de absurdo. A música Short Trip Home, composta por Edgar Meyer, com Joshua Bell no violino, presta-se a uma escuta meio acordada: o dever entorpecido e o prazer em vigília mínima. Hoje, nada de frases esquisitas, comentários retorcidos e lembranças de cemitério. Hoje, dia do Senhor, é dia de sonolência divina em alerta mínimo.

Marca: Hornbach. Título: Every Change Needs A Beginning. Agência: Heimat Berlin. Direcção: Pep Bosch. Alemanha, Agosto 2011.
Mike Marshall, Sam Bush, Edgar Meyer, Joshua Bell. Short Trip Home. Compositor: Edgar Meyer. 1999.

Uma pincelada na personalidade

Lang Lang, Piano / 18.12.2006 / Philharmonie Essen

À família.

Gosto do Concerto para piano nº 5 (dito do Imperador) de Beethoven. Comprei o vinil há uma quarentena de anos. Foi uma pincelada na personalidade! O concerto reconcilia-nos com Beethoven, com o mundo e com nós próprios. Não creio que nos reconcilie com os outros. Gosto do pianista chinês Lang Lang. Lembra, pela versatilidade, o violoncelista, de origem chinesa, Yo-Yo Ma. Lang Lang salta da música clássica para a contemporânea, passando pela música tradicional chinesa. Surpreende-nos, ainda, a tocar hard rock com os Metallica. Gosto do Concerto do Imperador interpretado por Lang Lang. Procurei um vídeo de alta qualidade com o Adagio Un Poco Mosso, mas não tive sorte. Segue a melhor resolução que encontrei. Para quem possa interessar, anexo o concerto na globalidade, com melhor resolução, precedido por um discurso do director, em alemão, de quase quatro minutos.

Ludwig van Beethoven. Piano Concerto No. 5 in E-Flat Major, Op. 73: Adagio un poco mosso. Berliner Philharmoniker. Piano: Lang Lang. 2012.
Metallica: One (featuring Lang Lang) (Beijing, China – January 18, 2017).
Ludwig van Beethoven. Piano Concerto No. 5 in E-Flat Major, Op. 73. Berliner Philharmoniker. Piano: Lang Lang. 2012.

Sobre rodas

Bertha Benz. Motorwagen.

Em 2018, por altura do Dia Internacional da Mulher, a Mercedes-Benz dos Estados-Unidos lançou um anúncio intitulado “First Driver” dedicado a Bertha Benz, mulher do inventor e empresário do primeiro automóvel (ver vídeo 1). Este ano, por altura do Dia Internacional da Mulher, a Mercedes-Benz alemã lança um anúncio intitulado “The journey that change everything” dedicado, também, a Bertha Benz. Para o próximo ano, por altura do Dia Internacional da Mulher, não estranhará se a Mercedez-Benz lançar um anúncio intitulado “Visita à família em quatro rodas”, dedicado, mais uma vez, a Bertha Benz. A consumar-se esta eventualidade, consolida-se uma saga internacional com Bertha Benz como protagonista.

Marca: Mercedes-Benz. Título: The First Driver. Agência: R/GA. Estados Unidos, Agosto 2018.

Os dois anúncios partilham a mesma protagonista e a mesma história: a viagem de cerca de 60Km em automóvel até à residência da mãe. Ela própria cuidou que o evento justificasse uma grande cobertura mediática e publicitária. Bertha Benz, uma mulher notável, é uma referência para a marca Mercedes-Benz, bem como para a emancipação da mulher. Nestes anúncios, Bertha Benz é uma dupla embaixadora.

Marca: Mercedes-Benz. Título: The Journey That Changed Everything. Agência: antoni garage. Direcção: Sebastian Strasser. Alemanha, Março 2019.

Os dois anúncios são semelhantes no conteúdo, mas bastante distintos no estilo. First Driver, a preto e branco, acusa um pendor clássico. The journey that change everything comporta, a começar pelo título, uma propensão barroca, por vezes, grotesca. A acção é exuberante e sobram as personagens feias, porcas e más. Esta diversidade no estilo intriga. Poucos anos atrás, a Mercedes-Benz primava por cultivar uma imagem robusta, ver previsível. Recentemente, a saída de um novo anúncio gera expectativa. Não se consegue adivinhar, à partida, qual é o estilo, o conteúdo e o público-alvo. A publicidade da Mercedes-Benz parece ter adoptado uma estratégia de comunicação poliédrica e polifónica.

Johann Sebastian Bach

Johann Sebastian Bach.

Hoje, a chuva não molha!

J. S. Bach. Well-Tempered Clavier Book 1. Prelude and Fugue No. 1.
J. S. Bach. Concerto No- 5 In F Minor Bwv1056 – Ii- Largo.
J. S. Bach. Prelude from Suite No. 1 in G Minor, BWV 1007.
J. S. Bach. Concerto for Violin and Oboe in C minor – Adagio.

Apologia

Somewhere Over the Rainbow #PrideMatters Pride in London 2018.

A autopromoção está no vento. Multiplicam-se as alavancas de pessoas e categorias sociais, nos mais diversos domínios: marketing, publicidade, comunicação, religião, política, arte, ciência, moda, desporto, género… Ao contrário dos vasos comunicantes, na sociedade, a exaltação de si tende a deprimir o outro. Acontece, por exemplo, nos anúncios publicitários. O mundo gira aos saltos e em bicos de pés. O anúncio Somewhere Over the Rainbow, da Pride of London, está bem feito. Exprime uma força tranquila. A presença do outro, maioritariamente disfórica, é reduzida ao mínimo. Desprende-se, porém, a impressão de que os LGBT se compreendem, sobretudo, entre si. Duvido que seja verdade. Duvido, também, que seja uma estratégia de sensibilização interessante. Será o isolamento um reforço da comunicação?

Junto o vídeo, de rara qualidade, com Klaus Nomi a interpretar, em 1981, a Cold Song de Henry Purcell (King Arthur, 1691).

Anunciante: Pride of London. Título: Somewhere over the rainbow. Agência: BMB. Direcção: Billy Boyd Cape. Reino Unido, Julho 2018.
Klaus Nomi interpreta, em 1981, a Cold Song, de Henry Purcell.

Pois bebamos!

Conhece os Corvus Corax? Nem é tarde, nem é cedo. Originários da Alemanha de Leste, dedicam-se à música neomedieval, com instrumentos da época. Desde a fundação em 1989, publicaram cerca de 25 álbuns. Os concertos ao vivo proporcionam uma encenação entre o barroco e o grotesco, ao gosto de muitos intérpretes germânicos, tais como Klaus Nomi e Nina Hagen. Seguem duas músicas: a primeira, Mille Anni Passi Sunt, numa versão de estúdio, a segunda, Ergo Bibamus (Pois bebamos), ao vivo.

Corvus Corax – Mille Anni Passi Sunt. Mille Anni Passi Sunt. 2000.
Corvus Corax – Ergo Bibamus. Cantus Buranus. 2005. Ao vivo em Munique.

Delhia de France. Três dedos de música

Delhia de France.

Estava no céu
E vi uma gaivota
Que me mergulhou no mar
Estava no mar
E vi um peixe
Que me atirou contra as rochas
Estava nas rochas
E vi um caranguejo
Que me arrastou para a areia
Estava na areia
E vi um ser humano
Que não me viu.

Os dias sucedem-se ora burocraticamente académicos e tensos, ora academicamente burocráticos e lentos. Não sobra espaço para a deriva do pensamento. Nestes tempos de coágulo mental, a música é boa companheira. Não é ciumenta e sabe ser pouco intrusiva.

Ouvi pela primeira vez a cantora alemã Delhia de France no anúncio Earth Rising, da Sony (https://tendimag.com/2019/01/05/o-nascer-da-terra/). Cativou-me.

Ontem, 7 de dezembro, a Dra. Ana Macedo concluiu, com brio, as provas de doutoramento em Estudos Culturais. Tive o gosto de ser orientador. Dedico-lhe estes três dedos de música.

Robot Koch and Savannah Jo Lack – Heart as a River (feat Delhia de France). 2016.
Delhia de France. Blank. Moirai. 2018.
Delhia de France. Waterfalls. Moirai. 2018.

Comprar o arco-íris

Apple. Color Flood. 2018

Say it with colour! Resulta mais bonito e mais tentador. Há anúncios que são autênticas explosões de cores. Por exemplo, o Balls e o  Petals Volcano, da Sony Bravia (ver https://tendimag.com/2013/11/05/erupcao-de-cores/). O anúncio Big Ad, da Carlton Draugh (https://tendimag.com/2017/11/20/epico-de-massas/), é mais parecido com o anúncio do dia, o Color Flood, do iPhone XR da Apple. Nestes dois últimos anúncios, pessoas coloridas formam, como peças de um puzzle, massas dinâmicas. Ao Color Flood, acrescento um anúncio congénere da Sony Bravia: More Brilliance More Beauty. A publicidade consta entre as actividades mais coloridas do nosso tempo. Bom dia! Bom ano! A beleza vitaliza.  

Marca: Apple. Título: Color Flood. Direcção: Rupert Sanders. Estados Unidos, Dezembro 2018.
Marca: Sony. Título: Balloons. Agência: DDB (Berlim). Alemanha, Setembro 2016.