Arquivo | família RSS for this section

Happy Meal casamenteiro

Quando se proporciona, apraz-me relevar o sentido de oportunidade de algumas campanhas publicitárias. Estimo que, nas mais diversas iniciativas, o sentido de oportunidade representa um dos fatores de sucesso mais decisivos.

Muitos casamentos foram adiados devido à covid-19. Uma vez aliviada a pandemia, o congestionamento não surpreendeu. Neste quadro, a McDonald’s torna-se casamenteira: facilita o matrimónio a 60 casais, anunciando o evento e os resultados.

Num sábado de agosto, um McDonald’s em Nacka abriu seu drive-thru, ao estilo de Las Vegas. Casou 60 casais oferecendo-lhes um menu personalizado que incluía um Happy (Ever After) Meal. / O conceito da Nord DDB para o McDrive Thru Wedding ressuma amor. Havia decorações, balões, um carro clássico, um fotógrafo de casamento, um cenário de arco de volta para posts nas redes sociais e ramos de flores com a marca McDonalds. Com um timbre pessoal: a certidão de assumiu a forma de um recibo do McDonald’s (…) / O vídeo compila os destaques do evento, evidenciando que alguns casais se casaram depois de muitos anos juntos e um renovou após 60 anos de separação. A noiva contou com humor que o seu marido se ajoelhou e a pediu em casamento, mas “depois tive que ajudá-lo a levantar-se” (The Times, ” 60 Couples Got Married at a McDonald’s Drive-Thru in Sweden & More Latest News Here”: https://www.thetimes.com.ng/2022/09/60-couples-got-married-at-a-mcdonalds-drive-thru-in-sweden-more-latest-news-here/; consultado em 27.09.2022).

Mas o que me impressiona neste anúncio não é tanto o sentido de oportunidade como o efeito de realidade ou naturalidade. Aparentemente, dispensa modelos e efeitos especiais.

Marca: McDonald’s. Título: McDrive Thru Wedding. Agência: Nord DDB. Suécia, setembro 2022.

O valor da duração

A duração altera a história. Na publicidade, o tempo, designadamente o compasso, escasso e caro, possui o seu efeito. Sensibiliza de outro jeito. Devagar. Com tranquilidade.

Anunciante: Danish Road Safety Council. Título: Helmet has always been a good idea. Agência: & Co. Direção: Tore Frandsen. Dinamarca, 2021.

Maternidade. O cordão umbilical e o ursinho de peluche

Equal Pay Day. The Umbilical Cord. 2022

“Na UE, as mulheres recebem em média 14,1% menos por hora do que os homens. Isso equivale a quase dois meses de salário. É por isso que a Comissão Europeia marca o dia 10 de novembro como um dia simbólico para aumentar a conscientização de que as trabalhadoras na Europa ainda ganham, em média, menos do que seus colegas do sexo masculino (Comissão Europeia – Dia de igualdade salarial: https://ec.europa.eu/info/policies/justice-and-fundamental-rights/gender-equality/equal-pay/equal-pay-day_en; acedido em 11-08-2022).

Entretanto têm ocorrido alguns progressos no cuidar das crianças. O ursinho de peluche Ector, detetor de fumo de tabaco, parece ser um deles. Aproveito para acrescentar a canção Woman, de John Lennon.

Anunciante: Equal Pay Day. Título: The Umbilical Cord. Agência: Mortierbrigade Brussels. Direção: Lionel Goldstein. Bélgica, março 2022.
Anunciante: Roche Italia. Título: Ector The Protector Bear. Patrocínio: WALCE Onlus – Women Against Lung Cancer in Europe. Agência: Integer, Milan, Italy. Direção: Nico Malaspina. Itália, outubro 2018.
John Lennon. Woman. Double Fantasy. 1980.

Egoísmo elegante

Harvey Nichols. Sorry I Spent It On Myself. 2013.

Na adolescência, quando regressava de férias a casa, a minha priminha corria a meu encontro e perguntava: “O que é que me trouxeste?” Respondia-lhe invariavelmente: “Um nada muito bonito”. Devia ter registado a patente. Para o Natal de 2013, a cadeia de lojas britânica Harvey Nichols concebeu uma coleção de prendas insignificantes com marca de luxo: palitos, elásticos, clips, devidamente etiquetados e embalados. O mote era simples e atraente: Sorry I Spent It On Myself, ou seja, não há nada como investir o máximo no próprio e deixar o resto para os outros, incluindo os mais íntimos. Antes de pensar duas vezes, pense primeiro em si! Escusado será acrescentar que a campanha foi premiada e bem-sucedida.

Marca: Harvey Nichols. Título: Sorry I Spent It On Myself. Agência: Adam & Eve DDB UK. Direção: James Rouse. Reino Unido, dezembro 2013. Versão 1:45.
Marca: Harvey Nichols. Título: Sorry I Spent It On Myself. Agência: Adam & Eve DDB UK. Direção: James Rouse. Reino Unido, dezembro 2013. Versão 2:02.

Caras sorridentes

No batizado da neta

I just want to celebrate another day
Oh, I just want to celebrate another day of livin’
I just want to celebrate another day of life
Don’t let it all get you down, no, no
Don’t let it turn you around
And around and around and around and around
Round, round, round
Round, round, round, round, round
Don’t go round

(Rare Earth. I Just Want To Celebrate. 1971).

Inauguração da praia. Primeira experiência da areia e do mar

Rare Earth é o nome de uma excelente banda dos anos sessenta e setenta bastante ignorada na altura e muito esquecida depois.

Rare Earth. I Just want to celebrate. One World. 1971
Rare Earth. Smiling faces sometimes. Ma. 1973.

Vida à distância

Samsung. The Awesome Product Adventure, abril 2022.

Cúmulo de grotesco, fantasia e magia, o anúncio The Awesome Product Adventure, da Samsung é, parafraseando Luc Boltanski (La souffrance à distance, 1994), uma paródia criativa e desenfreada de uma vida à distância refastelada num sofá ubíquo. A instalação Emoções Confortáveis da exposição Vertigens do Barroco, no Mosteiro de Tibães, em 2007, já convocava o fenómeno: chamava-se Emoções confortáveis. Esta género de paródia tem precedentes na própria publicidade, por exemplo, o anúncio chileno Digital Tv, da VTR CABEL TV (2008). Mas existe quem aprecie abandonar o sofá para desfrutar de outras vidas.

Marca: Samsung. Título: The Awesome Product Adventure. Agência: Wieden + Kennedy (Amsterdam). Direção: Keith Schofield. Reino Unido, abril 2022.
Marca: VTR CABEL TV. Título: Digital Tv. Agência: Lowe Porta Santiago. Direção: Cucho Olivares. Chile. 2008.

Vítima do seguro de vida

Romances policiais

O homicídio motivado pelo resgate do seguro de vida da vítima é tema recorrente nos romances policiais. Com ou sem inspiração, o humor do anúncio Crocodile, da Ladder, é cinzento, brutesco e gratuito.

Marca: Ladder. Título: Crocodile. Agência: Fred & Farid Los Angeles. Direção: Casey Storm. Estados-Unidos, abril 2022.

Geração e criação

Fernando – O Grove

Um filho gera-se, não se cria (inspirado em C.S. Lewis: “uma pessoa gera um filho, mas cria uma estátua” – Cristianismo puro e simples, Vida Melhor Editores, 2017, p. 211)

Sociólogo da arte, da cultura e dos estilos de vida, interesso-me pelos gostos partilhados pelas pelos indivíduos, na senda de autores tais como Norbert Elias, Erwin Panofsky, Howard S. Becker, Paul-Henry Chombart de Lauwe, Roland Barthes, Jean Duvignaud, Umberto Eco, Jean Baudrillard, Pierre Bourdieu e Bernard Cathelat.

Ensaiar acertar no gosto desta ou daquela pessoa é um dos meus desportos favoritos. Mas nem sempre é óbvio. Existem, porém, aves especiais. Oferecer-lhes algo que apreciem é um desafio. Dedico estas duas músicas, da compositora inglesa Imogen Holst (1907-1984) e do compositor japonês Tôru Takemitsu (1930-1996), a uma dessas raras aves do paraíso.

Tōru Takemitsu – November Steps for Biwa. 1967. Charles Dutoit & NHK Symphony Orchestra Salzburg Festival 2013. Biwa: Kakujo Nakamura; Shakuhachi: Kaoru Kakizakai.
Imogen Holst – The fall of the leaf. 1963. Intérprete: Steven Isserlis. A fly on the wall. 2016.

A um filho emigrante

João e Fernando no rio Minho.

“O que o pai calou aparece na boca do filho, e muitas vezes descobri que o filho era o segredo revelado do pai” (Friedrich Nietzsche, Humano, Demasiado Humano, 1878).

“O Filho de Deus tornou-se homem para possibilitar que os homens se tornem filhos de Deus” (C.S. Lewis, Mere Christianity, 1952).

Passaram trinta e um anos, toda e metade de uma vida. A primavera e o outono. Revejo-me como num espelho maior e melhor, com invulgar determinação em crer, querer, arriscar e criar. Quem tem a bênção de um filho não precisa renascer, simplesmente congratular-se e agradecer.

Como lembrança, acrescento, sem surpresa, quatro músicas. É o bem mais disponível, pessoal e rápido para enviar para a Holanda. Podem não entusiasmar de imediato, mas estou convencido que pertencem àquelas que se prestam a que as interrompamos a meio para voltar a escutá-las com outros ouvidos. Possuem a virtude de nos sintonizar à distância. Formam dois pares: um, “primaveril”, que abre com um bailado de Pina Bausch, o outro, “outonal”. Duas músicas para adormecer a Sara, outras tantas para a acordar.

João e Sara

Ígor Stravinski. A Sagração da Primavera. Parte 2 – O Sacrifício (Introdução). Estreia: 1913 (versão de 1947). Coreografia Pina Bausch. Artista: Pierre Boulez. Das TantzTheater Wuppertal. The Cleveland Orchestra.
Edvard Grieg. To Spring. Lyric Pieces Book III, Op. 43, nº 6. Wonderland.1886. Intérprete: Alice Sara Ott.
Scott Joplin. Maple Leaf Rag. 1899. Piano: Dario Ronch.
Fanny Mendelssohn (1799 – 1847; irmã de Felix Mendelssohn). “November”, The Year, cycle for piano (H. 385), 1841. Intérprete: Jae Hee Min.

A riqueza humana

Os tios Celina e João Luís em Paris

Prima irmã (beneficiei do cuidado e do afeto de quatro “mães”: a mãe Ilda e as tias Celina, Leonor e Edite), a Salomé enviou-me, discretamente, esta “muy hermosa y sencilla canción”, The Haves, do Eddie Vedder. Mais do que qualquer outra realidade, a partilha da música é uma entrega pessoal, uma dádiva de si. Como é bom receber! Embora esteja em crer que é mais grato dar.

O avô Amadeu e as gémeas Rute e a Salomé

Bem hajas, pelo gesto e pelo exemplo! Não hesites em repeti-lo. Na autoestrada entre Viana de Castelo e Braga, destaca-se, num dos suportes para publicidade, o seguinte provérbio: “O que não é visto não é lembrado”. É uma meia verdade. Pelo sim, pelo não, junto três fotografias para regalar o olhar e a memória.

Com a Salomé

Dou-me bastante bem com o isolamento. Não convivo mal a sós comigo próprio. Aflige-me, no entanto, a clara consciência de que o outro é que é a minha maior riqueza.

Eddie Vedder. The Haves. Earthling. 2022.