Arquivo | lazer RSS for this section

Tédio e lentidão

A um amigo que me ofereceu histórias de imagens, de Robert Walser.

A lentidão é um luxo, o tédio um tormento. Onde está a fronteira?

Regresso às “minhas” músicas; deixo os “tops of the pops” para outras oportunidades. Hoje, estive a ouvir o álbum Astral Weeks (1969), de Van Morrison. Coloco as três últimas faixas.

Van Morrison. Madame George. Astral Weeks, 1969
Van Morrison. Ballerina. Astral Weeks, 1969
Van Morrison. Slim Slow Slider. Astral Weeks. 1969.

Como ser mais humano?

Reebok. Be More Human. 2015.

Os nossos tempos andam confusos e divididos. Ora apelam à superação, ao esforço e ao rendimento ((anúncios 1 a 3), ora sugerem a descontração, a lentidão e a sensibilidade (anúncios 4 e 5). Os nossos tempos ou nós?

Reebok. Be More Human. Agência: Venables Bell & Partners. Estados-Unidos, 2015.
Marca: Reebok. Título: Find Your Way – Be More Human. Direção: Maicon Desouza. Estados-Unidos, julho 2016.
Marca: Under Armour. Título: Rule Yourself – Michael Phelps. Agência: Droga5, New York. Direção: David Droga. Estados-Unidos, março 2016.
Marca: Alabama Tourism Department. Título: Take Your Mind to Alabama’s Beaches. Agência: Intermark Group. Direção: Jason Wallace. Estados-Unidos, maio 2022.
Marca: Alabama Tourism Department. Título: Mind Trip to Alabama’s Outdoors :30. Agência: Intermark Group. Direção: Jason Wallace. Estados-Unidos, maio 2022.

Sentir-se bem

“o homem nasceu para o prazer. Sente-o.” (Blaise Pascal).

“A maior parte das coisas que dão prazer não são razoáveis” (Montesquieu).

O vento leva, o vento traz. Retomo este artigo adiado há dois dias.

Funciono por vagas. Ora música, ora publicidade, ora imagens, ora escrita. Assim me disperso. Esta semana, escrevi, escrevi, escrevi: ruminação obstipada com destempero de letras. Coisa séria e ensimesmada. Apetece-me fechar as palavras e abrir a janela às notas, à música. Deixar entrar prazer descontraído. Com os olhos desembaciados. Quero sentir-me bem! Com minudências. Por exemplo, a partilhar Bobby McFerrin, Anne Murray e Nina Simone.

Bobby McFerrin. Sing! Day of song – Improvisation. Ao vivo. Veltins arena. 2010.

Anne Murrey. I Can See Clearly Now (versão original). There’s a Hippo in My Tub. 1977.
Nina Simone. Feeling Good (Official Video). 2021.

Paródia culinária

Movistar. Tenemos la receta para lucharla hasta el final ¡Vamos Perú! 2022

Segue uma receita peruana de um bom prato de futebol, com tribalismo, religiosidade, heroísmo e emoção. De rapar o tacho.

Anunciante: Movistar. Título: Tenemos la receta para lucharla hasta el final ¡Vamos Perú! Agência: 121 Perú. Perú, março 2022.

Inocêncio e Felicidade

Domingo de Páscoa fui a Melgaço. Reencontrei familiares e amigos, almocei na Tasquinha da Portela, pasmei no pátio de infância, visitei a casa paterna e trouxe comigo o aparelho de rádio em que escutava o programa Quando o Telefone Toca, do Rádio Clube Português. Recarreguei a alma e reforcei os laços! Nota-se, não nota? Menos porque “aqui começa Portugal”, também começa a Galiza, mas talvez porque na minha aldeia morou um senhor chamado Inocêncio e uma senhora chamada Felicidade.

Insisto em colocar imagens fantásticas de Melgaço radical. Desta vez, percursos fluviais, Canyoning, pela mão da Montes de Laboreiro Animação Turística LDA, uma empresa de desporto aventura vocacionada para as práticas de turismo de natureza, sedeada na Vila de Castro Laboreiro.

Carregar na imagem seguinte para aceder ao vídeo. E ligar o som.

Montes de Laboreiro. Water Canyoning no Rio Laboreiro

Para sempre jovem

Cristoforo de Predis. Influence of Venus. the garden of love and the fountain of Youth (miniature c1470.

Há ano e meio que não ia a Moledo, não via o mar, não apanhava tanto sol, não bebia um sumo de laranja numa esplanada, não esperava encontros inesperados, não almoçava um arroz de tamboril tão saboroso e não dava tantos passos. Afinal, ainda pareço um hospedeiro e um peregrino da vida.

Rod Stewart. Forever young. Out Of Order [Expanded Edition]. 1988. Vídeo oficial ao vivo.

Ter um amigo / perder um amor

Capa do livro Poema a fumetti, de Dino Buzzati. 1969. Detalhe.

Faltam ao Tendências do Imaginário canções em catalão. Joan Isaac, nascido em Barcelona em 1953, com mais de vinte álbuns individuais publicados, é uma boa referência. Seguem duas canções: No, tu no (2017: o vídeo oficial apresenta uma coreografia notável) e Tenir un Amic (2020). Em jeito de anexo, acrescento um divertimento fugaz e maneirista dedicado a uma entidade abstrata, um amor qualquer, que tanto pode ser uma pessoa, um fenómeno ou uma instituição.

Joan Isaac. No, tu no. Manual d’amor. 2017. Vídeo oficial.
Joan Isaac. Tenir un Amic. L’estació dels Somnis. 2020.

Destino Passado
Vim p’ra te dizer
Que não sou aquele que te ama
Como podes ver
Já não me aquece a tua chama

Vim p’ra te dizer
Que não sou teu nem tu minha
Como podes ver
A nossa sombra já não caminha

Prefiro o vazio do abrigo
Ao brilho do sol contigo
Já não andas a meu lado
És meu destino passado

Se não me aquece a tua chama
Já não sou aquele que te ama
Se a nossa sombra não caminha
Não sou teu nem tu és minha
Deixei de te ter a meu lado
Passaste a destino passado

Berenice

“A principal regra é agradar e sensibilizar. Todas as outras existem para alcançar esta primeira” (Jean Baptiste Racine. Prefácio a Bérénice. 1670).

“Que o dia recomece e que o dia acabe, sem que jamais Tito possa ver Berenice” (Racine, Bérénice, Ato IV, Cena 5). Pois, hoje, Berenice visitou Tito. Chamo-lhe Berenice em homenagem a Racine. É a mais extrovertida das antigas alunas, tão jovem quanto eu. Trouxe alegria, energia, abraços e doces, incluindo o bolo que, durante uma das edições da Escola da Primavera, confidenciei preferir. Fico-lhe a dever um momento, como diria Racine, de prazer e emoção. Fiquei tão comovido com o seu gesto, que me permito brincar, partilhando uma ideia que, provavelmente, não lhe vai ser de nenhuma utilidade. Conheço o seu entusiasmo pela sociologia, mas também pelo vestuário, pela moda, pelo design e pela sua terra. A arte, o sentimento e gosto. Como passatempo, para os momentos de lazer, proponho-lhe um tema de investigação: “a influência da indústria têxtil na elegância vimaranense”. Não tanto pela vertente do vestuário, da moda e do design, mas pelo labirinto desafiante da organização e da mundividência sociais. Talvez um dia, quem sabe, pudesse inspirar uma dissertação de doutoramento em sociologia. Talvez “dê pano para mangas”. Como a Berenice sabe, tenho o vício de brincar a sério. Várias teses, algumas das quais me coube a sorte de orientar, sugerem que o modelo de industrialização do vale do Ave, em particular a relação dos patrões com as empresas e a cidade, propiciou a persistência histórica de uma espécie de “sociedade cortesã”, com convívio seleto de famílias aristocratas, burguesas e mistas, no berço de Portugal. Persistência que deixou, porventura, algumas marcas. Tito está a provocar Berenice, a sua vocação e o seu bairrismo, e não devia! Devia ter juízo, limitar-se a deliciar-se com mais uma fatia de bolo, uma rabanada ou uma colher de aletria.

Seguem a canção Titus et Bérénice, de Bénabar, e um excertoda ópera Bérénice, de Michael Jarrel, dois espelhos da verdade a refletir a Berenice antes e depois da tentação. “Quem se supera uma vez, pode superar-se sempre” / “Qui se vainc une fois peut se vaincre toujours” (Pierre Corneille, Tite et Bérénice, Ato II, Cena 2, 1670).

Bénabar. Titus et Bérénice (Version acoustique). Com Isabelle Nanty. Inspiré de faits réels. 2014.
Bérénice (excerto), de Michael Jarrell, com Barbara Hannigan, Palais Garnier, 2018.

Pós-modernidade avançada

Meow Wolf. 2021.

Tudo no anúncio Get Out And See The Worlds, da Meow Wolf (https://meowwolf.com/), é grande. Grande a Meow Wolf, “uma empresa americana de artes e entretenimento que cria instalações de arte imersivas em grande escala, bem como produz conteúdo de streaming, vídeos musicais e festivais de arte e música” (https://en.wikipedia.org/wiki/Meow_Wolf); grande a agência de publicidade, a Wieden+Kennedy, uma das melhores do planeta; a produtora Biscuit Filmworks; e o próprio anúncio, dois minutos e meio de imaginação e efeitos especiais. Anuncia-se a inauguração de um gigantesco “parque temático” em Denver, a Convergence Station, com resmas de km2, cenários, artistas, performances, mundos paralelos, alta tecnologia, imersão e emoção. Lembra-me o comboio fantasma da minha infância. Estimo o anúncio e o projeto tão interessantes que, caso regresse às aulas, que penso passa-lo aos alunos como exemplo de recurso à tecnologia, ao fantástico e ao grotesco na era da pós-modernidade avançada.

Marca: Meow Wolf. Título: Get Out And See The Worlds. Agência: W+K PortlandECD. Estados-Unidos, setembro 2021.

Bifes de presunto

Presunto fumado entre o Minho e Trás-os-Montes.

Em boa hora deparei na página da Alto Minho TV com um breve documentário sobre os “Bifes de presunto, o prato típico de Castro Laboreiro”, que contempla o contexto, a tradição, o modo e a atualidade. Não saboreio bifes de presunto desde a minha tenra juventude, mas desenvolvi uma receita alternativa, das poucas que, contanto raramente, cozinho.

Bifes de presunto, o prato típico de Castro Laboreiro. Alto Minho TV. 2020.

Receita alternativa.

Acompanhamento:

– Partem-se as batatas, descascadas, às rodelas não muito finas;

– Fritam-se numa sertã com uma quantidade generosa de óleo ou azeite, controlando a intensidade do lume de modo que não tostem demasiado e adquiram um aspeto mais cozido do que frito;

– Alcançado este ponto, cobrem-se as batatas com rodelas de cebola e abafa-se o conjunto tapando toda a sertã com um testo;

– Uma vez levemente “cozida” a cebola, rega-se com vinagre, e volta-se a abafar o conjunto. Aguarda-se quanto baste.

O acompanhamento está pronto.

Alternativa ao presunto:

– Estendem-se fatias de fiambre numa sertã com óleo (serve o de fritar as batatas);

– Estrela-se um ovo a cavalo de cada fatia.

Os ovos estrelados a cavalo de fiambre acompanhados por batatas fritas com cebola e vinagre estão prontos a servir. Uma bomba gastronómica. Bom apetite!