Archive | Maio 2021

Pilhas de salvação

Álvaro Domingues. Gaio.

Vi um gaio a atacar um melro, junto à cerejeira. A sete metros. A lei da vida. Há quem diga que, com a pandemia, a natureza se aproximou.

Há anúncios felizes. Revived, da Duracell, cativa a atenção durante cerca de cinco minutos. Conta a história, inspirada, sensível e bizarra, de uma criança que nasceu com um cordão nas costas, ficando dependente do único e inseparável amigo que lhe dá corda. Um dia o cordão solta-se. As pilhas Duracell são a salvação. Não há falha humana que a tecnologia não resolva.

Marca: Duracell. Título: Revived. Agência: Filmakademie Baden-Württemberg (obra de estudantes). Direção: Christian Schilling. Alemanha, maio 2021.

Outras sexualidades

Relate.

Na publicidade, o sexo anda armadilhado. Já teve outras cores, outro protagonismo. Alguém se lembra da Playboy? A sexualidade escorre para as margens. Para outras sexualidades. O que significa esta nova forma de libertação da sexualidade?

Anunciante: Relate NI Campaign. Título: The joy of sex in later life: Agência: Ogilvy. Direção: Rankin. Reino-Unido, Abril 2021.

Música japonesa

Ado.

O efeito de uma canção varia consoante a língua. Não obstante o predomínio atual da língua inglesa, continuo a preferir o italiano mesmo quando, passe o humor duvidoso, é cantado a boca fechada pelos alunos da Universidade do Minho (vídeo 2).

Ado. Usseewa. 2020.

Nipófilo, o meu rapaz mais novo envia-me esta canção japonesa: Usseewa, da Ado. Singular a música e singular a voz (vídeo 1).

Giacomo Puccini (1858 – 1924). Coro a bocca chiusa, da ópera Madama Butterflly. Interpretação da Orquestra da Universidade do Minho e do Coro de Alunos da Licenciatura em Música da Universidade do Minho, com direção de José Maria Moreno.

Existir demais

Gato com rabo de fora

Quando nos escondemos, existimos de menos ou existimos demais? Quando precisamos dos outros, estamos mais sós? E se tu não existisses, teria de te inventar?

Marca: Save the children. Título: Hide and Seek. Agência: Hjaltelin Stahl Copenhague. Direção: Anders Walter. Dinamarca, abril 2021.
Joe Dassin. Et si tu n’existais pas, 1975.

Acima do céu

A vida é um percurso pautado pela vocação:

“Eu sempre soube que queria ser arquiteta. Aos doze anos comecei a desenhar planos de casas”.

A vida é uma ascensão piramidal, com plataformas de lançamento. Uma odisseia individual. Uma provação qualificadora.

“Saí de Espanha pela primeira vez aos dezassete anos. Sair de Santiago de Compostela para o Norte de Inglaterra foi um grande choque cultural. Comecei a minha carreira em Manchester e consolidei-me em Londres durante dez anos (…) O maior desafio foi a mudança para Nova Iorque (…): fui para a grande maçã. Um momento de loucura, mas também um momento de determinação absoluta, perseverante, obsessiva (…).

Acima do céu, mora o sucesso merecido. O êxito. A consagração. A febre do chamamento.

“Três anos mais tarde, era vice-presidente de uma companhia de promoção imobiliária de grande talento e já tinha construído o meu primeiro edifício em Brooklyn (…) Dois anos depois montei a minha própria empresa”.

Qual é o etos desta arte do bom sucesso? Aproxima-se da ética protestante (Max Weber). Um modo de estar num mundo global teimosamente moderno.

“Não acredito nas casualidades. Creio na determinação, na perseverança, no esforço. O talento é apenas um veículo em que nos transportamos. O combustível”.

Berta Willisch, arquiteta reputada, está, sempre esteve, em estado de graça. Estado que soube aproveitar. Sempre a mesma Berta Willisch, do berço ao topo.

Marca: Abanca. Título: No creemos en las casualidades. Agência: Shackleton. Espanha, Maio 2021.

Música rara

Armas Järnefelt

Num tempo em que nem Santa Senhorinha consegue calar as rãs, segue uma versão rara de uma música rara: a Berceuse, do finlandês Armas Järnefelt (1869-1958), com interpretação de Risto Vuolanne (contrabaixo).

Armas Järnefelt. Berceuse. 1904. Contrabaixo: Risto Vuolanne. Palacio de la Ópera, A Coruña. Abril 2013.

Embalagens

Willie Nelson

Este anúncio da Fedex convoca o cantor Willie Nelson, bem como o realizador Noam Murro. À balada Always in my mind, da banda sonora do anúncio, acrescento a música Crazy, ambas de Willie Nelson.

Marca FedEx. Título: Delivering for Earth. Agência: BBDO (New York). Direção: Noam Murro. Estados-Unidos, abril 2021.
Willie Nelson. Crazy. And Then I Wrote. 1962.

A televisão

Mordillo

La télévision n’est pas le reflet de ceux qui la font, mais de ceux qui la regardent.
(Françoise Giroud).

A televisão é uma tempestade de críticas e apelos. Desde a testemunha ocasional até ao político consagrado. Pede-se, com egoísmo assumido, sem eufemismo. Pedir é uma tradição, reparadora da pessoa e dos laços sociais. O segredo é criticar mais do que melhorar. Corrigir o mundo à sua imagem. A televisão é uma ilusão enganadora? A televisão não captura nem engana, mostra!

Isabelle Mayereau. Coup de Gomme. Parcours. 2016.

Mãe

Agnolo Bronzino. Panciatichi Holy Family. 1541). Hands detail.

Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.
Carlos Drummond de Andrade

View Post

Thomas Newman. American Beauty. Main Theme. 1999. Intérprete: Thomas Newman.

O bombeiro, as pilhas e o cigarro

O meu rapaz mais novo enviou-me o anúncio japonês Fireman, um anúncio raro, original, simples e bem-humorado. Uma delícia! Degrau a degrau, o bombeiro não desiste e o cigarro não escapa. Um anúncio à minha cara, uma prenda à sua maneira e um riso refrescante para quem passar por aqui.

National Batteries, Snake Eater. Fireman, Japão, 1984.