Tag Archive | Espanha

Mais vida

nos-morimos-por-vivir

Aquarius. Nos morimos por vivir.

Morremos para viver? A tradução adequada do espanhol “nos morimos por vivir” talvez seja “estamos mortos por viver”. “Nos morimos por vivir” é um anúncio de sensibilização da Coca-Cola Journey España para a marca Aquarius. Incide sobre a doação de órgãos em Espanha, “o primeiro país do mundo em doação de órgãos”. Aposta na vitalidade e na jovialidade coroadas por um gesto que renova a vida: a doação de órgãos, a passagem da chama. Este anúncio, na linha de outros congéneres, suscita uma questão inconveniente mas difícil de contornar: por que motivo a qualidade e a criatividade das campanhas de sensibilização governamentais e de organizações não governamentais (ONG) tendem a ficar aquém das campanhas de sensibilização lançadas por entidades privadas? Por que é que umas conseguem fazer dois em um (sensibilizar e cativar para a marca) quando outras nem um conseguem alcançar (sensibilizar)?

Marca: Aquarius. Título: Nos morimos por vivir. Agência: McCann. Espanha, Janeiro de 2017.

Perfeição

tous-tender-stories-film-starring-gwyneth-paltrow

Perfeito é aquilo que nunca precisará de ser refeito (André Gide. Oeuvres complètes. 1933).

Duvidava da perfeição até encontrar este anúncio. Perfeito é algo que se perfez. Perfazer significa “conduzir qualquer coisa até ao seu completo desenvolvimento” ou “completar uma soma até que não falte nada”. Pois este anúncio perfez-se: tem tudo e não lhe falta nada.

Kate e Peter estão talhados um para o outro, mas não se conhecem. O cão dela chama-se Robin; o cão dele, Hood. Os sapatos prediletos de Kate foram desenhados pelo bisavô de Peter. O verso tatuado no braço de Kate pertence à canção preferida de Peter. Ela está a ler “Growing fruits”, ele, “Preserving fruits”. Quando ela veste azul, ele azul veste… O próprio ambiente coincide. Os cães condizem com os donos, ou vice-versa. Os quadros encaixam uns nos outros e a realidade encaixa-se nos quadros. E as cores? Não cansam de se casar umas com as outras. Mas Peter e Kate, apesar de tão próximos, permanecem alheios um ao outro. Até que o milagre do amor acontece. Uma alcoviteira? Uma flecha de Cupido? Uma agência de encontros? O mensageiro foi um brinco da Tous. Kate e Peter viram-se e, como previsto, apaixonaram-se. O todo ficou composto. Não são daqueles casais que começam perfeitos e acabam desfeitos. A perfeição existe, vi-a com os meus olhos. É um anúncio publicitário, onde tudo se harmoniza sem vestígio de falha. Esta história, mais do que terna, é geométrica. Com a actriz Gwyneth Paltrow, vencedora de um Óscar em 1998.

Marca: Tous. Título: Tender Stories Nº5. Agência: SCPF Madrid. Direcção: Victor Carrey. Espanha, Novembro 2016.

Natal virtual

loteria-de-espanha

Hoje, fui dar um pouco de mim à pequena cirurgia. Espírito natalício! Mas não não há maior generosidade do que tornar real o sonho de alguém. No anúncio espanhol Lotería de Navidad – 21 de Diciembre, a população local aceita ser cúmplice de uma ilusão.

Esta es la historia de Carmina, una maestra jubilada que tras escuchar su número en la tele, piensa que le ha tocado la Lotería de Navidad, y de cómo el pueblo entero se une para mantener viva su ilusión. Una nueva demostración de que la verdadera alegría de ganar está en compartirlo con los tuyos (Loterías e Apuestas del Estado).

Marca: Loterías e Apuestas del Estado. Título: Lotería de Navidad – 21 de Diciembre. Agência: Leo Burnett (Madrid). Direcção: Santiago Zannou. Espanha, Novembro 2016.

Paraíso fiscal

verdades-y-mentiras-en-la-webRessalvando os períodos de campanha eleitoral, a esfera política está sub-representada na publicidade para televisão e cinema. A léguas, por exemplo, do desporto e, até, da religião. Por que será? Não vende? O risco não compensa?

Há excepções. O anúncio Adiós Perrito, do canal de televisão EITB incide sobre o escândalo dos Panama Papers. De um modo explícito e sem rodeios, a partir da suposta morte de um suposto cão. “La verdad aunque nos duela” é o mote do programa Sin Ir Más Lejos, da EITB. O vídeo é falado em espanhol. Se prefere o anúncio com legendas em francês, carregue no seguinte endereço: http://www.culturepub.fr/videos/eitb-channel-siml-news-perrito/.

Marca: EITB. Título: Adiós Perrito. Agência: The Cyranos McCann. Direcção: Martin Kalina & Lluisa Kracht. Espanha, Outubro 2016.

Erótica política

patria-vimema

O Américo, antes de vir das arábias, enviou-me um anúncio escaldante relativo ao Salón Erótico de Barcelona Apricots 2016. O discurso da estrela porno aplica-se só a Espanha? Ou serão os nossos ouvidos? Se mal me lembro, a última vez que Portugal e Espanha partilharam alguma coisa foi, há cem anos, a gripe espanhola. Fico sossegado. Para terminar esta espécie de comentário, como classificar este discurso político a partir de uma almofada erótica recostada à Pátria? Uma ressurreição das gravuras de Goya? Uma erótica política? (Grau Duhart, O., 2013, “La materialidad de los vínculos para pensar una (im)posible erótica política”, disponível em http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/trab_eventos/ev.2910/ev.2910.pdf).

Anunciante: Salón Erótico de Barcelona Apricots 2016. Título: Pátria. Agência: Vimema. Direcção: Carles Valdes. Espanha, Setembro 2016.

A jangada

Cria cuevos

Carlos Saura. Cría Cuervos. 1976.

Temos uma percepção selectiva do mundo. O nosso “mapa mental” está distorcido: temos regiões hipertrofiadas e outras hipotrofiadas. Não somos míopes. Vemos bem ao longe e mal ao perto. Caricaturando, tudo o que é latino grita em bicos de pé e tudo que é anglo-saxónico entra pelos sentidos sem bater à porta. É o círculo da nossa quadratura cultural. Quem descura a humana diversidade empobrece. A Itália tem especificidades, a França e a Espanha, também. Não as considerar é não as ter. Não é uma honra, mas uma falha. “Vira costas a Castela” quem se habituou a viver dobrado, com a devida vénia. Face aos outros e face a si próprio. A Espanha tem um modo de musicar os sentimentos (e.g., Júlio Iglesias, Nino Bravo ou Luz Casal). Possuímos, ao nível da dança e da música, raízes comuns. Por exemplo, as influências celta e mourisca. Estas duas canções são espanholas, de meados dos anos setenta: Camilo Sesto, Quieres ser mi amante? (Camilo, 1974), e Jeanette, Porque te vas (da banda sonora do filme Cría Cuervos, de Carlos Saura, 1976). Bafejou-as a sina da popularidade? Sem dúvida. Não é estigma. Estiveram semanas a fio no primeiro lugar das tabelas. Tiveram sucesso em vários países, incluindo Portugal. Agora, soam um pouco a ferro velho.

Camilo Sesto. Quieres ser mi amante. Camilo. 1974.

Jeanette. Porque te vas. Cría Cuervos, de Carlos Saura. 1976.

Anglicismos

agencia_grey_rae_anglicismos

Ainda criança, a electricidade vinha de Espanha. O peixe fresco vinha de Vigo. As calças de ganga, o pão (cacetes), o bom chocolate e a Coca-cola, proibida em Portugal, também vinham de Espanha. A televisão era a espanhola. Para Espanha, contrabandeava-se, em batelas (pequenas embarcações do rio Minho): café, azeite, sabão, ovos, cobre, prata, ouro… Nós, os transfronteiriços, somos meio espanhóis. Mas nem os espanhóis diziam calças, nem nós, pantalones. Um dia, seriam jeans.

O anúncio Lengua madre solo hay una, da Real Academia de la Lengua e da Academia de La Publicidad Española, é duplamente feliz: porque reage à epidemia dos anglicismos, designadamente na publicidade, e porque não adopta a nossa política da língua.

Anunciante: Real Academia de la Lengua e Academia de la Publicidad Española. Agência: Grey Spain. Espanha, Maio 2016.

Cristo de Burgos

01. Cristo. Igreja da Irmandade das Almas de S. José das Taipas. Porto.

01. Cristo. Igreja da Irmandade das Almas de S. José das Taipas. Porto.

Uma amiga mostrou-me uma fotografia de uma pintura de Cristo com um “saiote” denunciando, aparentemente, traços femininos, ver andróginos. Por exemplo, as pernas. Encontra-se na Igreja da Irmandade das Almas de S. José das Taipas, no Porto. A inscrição, na base da cruz, identifica-o como “o Santo Cristo de Burgos” (Figura 1).
A imagem original do Santo Cristo de Burgos está, naturalmente, em Burgos, na catedral (Figuras 2 e 3). Data do séc. XIV. Uma lenda advoga que a escultura foi encontrada no mar, num galeão sem tripulação. Acompanhavam-no umas placas a pedir que fosse colocado em local magnificente e conveniente.

2. Santo Cristo de Burgos. Catedral. Espanha.jpg

2. Santo Cristo de Burgos. Catedral. Espanha.

3. Santo Cristo de Burgos. Catedral de Burgos. Espanha.

3. Santo Cristo de Burgos. Catedral de Burgos. Espanha.

Até ao séc. XIX, esteve à guarda do Convento dos Eremitas de Santo Agostinho. Figura proeminente da Semana Santa, a escultura é articulada (Figuras 2 a 4).A zona das articulações é coberta com pele, o cabelo é verdadeiro, bem como as unhas. Consta que o cabelo e as unhas não param de crescer. Imagens do Santo Cristo de Burgos estão disseminadas por todo o mundo, nomeadamente ibero-americano.

4. Santo Cristo de Burgos. Semana Santa. 2016.

4. Santo Cristo de Burgos. Semana Santa. 2016.

5. Santo Cristo de Burgos. Semana Santa. Espanha.

5. Santo Cristo de Burgos. Semana Santa. Espanha.

Para fechar o ciclo e regressar ao início, observe-se a estátua do Santo Cristo de Burgos na Igreja de S. Francisco de Assis (Figura 6), nas Filipinas (Saraya, Quezon). Não sou competente para discernir a eventual androginia das imagens do Santo Cristo de Burgos. Certo é que, tirando o saiote, a imagem do Cristo de Burgos não se distingue das demais (Figura 5).

6. Santo Cristo de Burgos. Saraya, Quezon. Filipinas

6. Santo Cristo de Burgos. Saraya, Quezon. Filipinas.

Mas a questão não é descabida. Carl Gustav Jung sustenta, apoiando-se em Georg Koepgen, a androginia não só de Cristo mas da própria Igreja.
“Koepgen fala do conflito apolíneo-dionisíaco da Antiguidade, cuja solução cristã consiste em “que na pessoa de Jesus o masculino esteja unido ao feminino”. “Somente nele se encontra esse lado-a-lado do masculino e do feminino em vigorosa unidade”. “Se no culto cristão a Deus se encontram reunidos homens e mulheres com direitos iguais, tem isso mais do que um significado casual: é a realização da androginia (…) tornada visível em Cristo (…) “A tensão e a lutas dos opostos do sexual se acha compensada em Jesus por meio da unidade andrógina”. A Igreja quanto à constituição é “hierarquicamente masculina, mas a alma da Igreja é de todo feminina” (…) Para Koepgen, pois, não apenas Cristo é andrógino, mas de modo considerável também a Igreja, conclusão cuja lógica não se pode negar” (Carl Gustav Jung. Mysterium Coniunctionis: Rex e Regina; Adão e Eva; A Conjunção. Editora Vozes, 04/03/2011, pp. 154-155).

 

Condom vs Baby Sitter

Mary PoppinsPor mais que uma língua se desdobre em palavras, nem sempre encontramos aquela que nos satisfaz. Como traduzir baby sitter? Babá, aia, ama, governanta, nutriz, ama-seca, perceptora… Por que não guardadora de crianças? O Constantino também era guardador de vacas e de sonhos. Em espanhol, destaca-se a palavra niñera. Seguem: nodriza, tata, institutriz, ama, aya, chacha, ñaña… Os franceses, habitualmente avessos a anglicismos, adoptaram a palavra baby sitter. Os portugueses, também. Quanto ao preservativo, entre condom, em inglês e em espanhol, e preservativo, em francês e em português, ainda sobram letras para a poesia: camisa-de-vénus e capote.

Vem este exercício de dicionário a propósito do anúncio espanhol “Ten Más Hijos”, para a Campanha de 2016 da empresa de baby sitters BePoppins, designação inspirada em Mary Poppins, uma das baby sitters mais célebres da história do cinema. A única, segundo consta, que voa (vídeo 2). A BePoppins parte em campanha a favor da natalidade contra a contracepção. As sequências do anúncio da BePoppins lembram outros anúncios, mormente a preservativos. Não é por acaso. A Bepoppins defende uma causa e zela pelos seus interesses. Não há motivo para puritanismos. Não é o facto de um comportamento, ou um pensamento, ser interessado que o torna errado.

Marca: BePoppins.com. Título: Ten Más Hijos. Campaña 2016. Agência: La Fuerza. Espanha, Maio 2016.

Mary Poppins. 1964. Flying Nanny Scene.

A primeira vez

Utopia tour

O mundo anda assim. Parece avariado. Espreita-se um anúncio e não se percebe nada. Um corpo, não se sabe se vestido ou despido, e uma voz, esticada das profundezas do inconsciente. Um corpo à David Hamilton? Uma reflexividade à Ingmar Bergman? Um vídeo pelo olhar de um fotógrafo? Presumivelmente, não. Há calendários para o iPhone? Saiu um novo perfume ou uma nova bebida light? Quanto à música, apenas uns acordes na parte final. Ou se ouvia a voz quase robótica ou a música electrónica. Acertaram: se não tem música, é sobre música: o anúncio de um festival de música dance, em Madrid. A nós, ninguém nos engana. Mas a primeira vez ainda está para vir. El mundo es de los jóvenes!

Marca: Festival Utopia 2016. Título: You won’t have another chance to experience this first edition. Agência: La Despensa Ingredientes Creativos. Direcção: Imanol Ruiz de Lara. Espanha, Abril 2016.