A Caverna dos Fantasmas de Estimação. The Cinematic Orchestra

Numa poltrona ampla, perto de uma lareira abençoada, pode-se viajar, no inverno, até ao infinito (Hippolyte Laroche)

Há anos que não me expunha assim, tão fora de casa e tão fora de mim. Deixei o mundo penetrar até aos ossos e a expressão soltar-se. Como desfecho, sinto-me massajado, amassado e moído. Surpreendo-me, por drástica que tenha sido a vacina, a desejar o torpor cálido da caverna. Com a visita desta frente nórdica, frio apenas tolero o da música, compassada, suave, minimalista… Etérea!

Por exemplo, a trompete do norueguês Nils Petter Molvær. Ao procurar nos discos, tropecei nos The Cinematic Orchestra. Afins, também servem. Talvez não sejam do agrado de todos, mas não me inibo em partilhar coisas que colidem com o gosto alheio, apenas não partilho aquelas de que não gosto. Acontece colocar música a pensar numa única pessoa, que, porventura, não vejo há uma eternidade e decerto não voltarei a ver. O suficiente. Fantasmas de estimação!

The Cinematic Orchestra – ‘To Build A Home’. Ma Fleur, 2007. Filme Step Up Revolution. 2012.
The Cinematic Orchestra – Arrival of The Birds & Transformation. Crimson Wings – Mystery of the Flamingos. 2008. Interpretado com a London Metropolitan Orchestra
The Cinematic Orchestra – Wait For Now (feat. Tawiah). Wait For Now. To Believe (Remixes), 2020
The Cinematic Orchestra – To Believe (feat. Moses Sumney). To Believe. 2019

Tags: , , , , , ,

Leave a Reply

%d bloggers like this: