Tag Archive | UK

Amanhecer

Nescafé Sunrise

Este anúncio da Nescafé (1988) faz, provavelmente, parte do património emotivo da humanidade. Ao amanhecer, numa praia deserta, dentro de um carocha, uma jovem reanima-se com uma chávena de Nescafé. A música é a segunda pele do anúncio: “I Can See Clearly Now” (original: Johnny Nash, 1972).

Marca: Nescafé. Título: Sunrise. Direcção: Derek Coutts. UK, 1988.

Johnny Nash. I Can See Clearly Now. 1973.

Pneus surrealistas

Tony Kaye

Tony Kaye

Acabar a avaliação justifica uma celebração. O Joel, aluno de Sociologia da Arte, da licenciatura em música, analisou o anúncio Tested for the Unexpected I (Dunlop, 1993) do realizador Tony Kaye, que dirigiu vários filmes, documentários e vídeos musicais (e.g., Red Hot Chili Peppers, Roger Waters, Johnny Cash). De anúncio para anúncio, vem à memória o Tested for the Unexpected II, para a mesma marca (1993). O primeiro, com música dos Velvet Underground (Venus in Furs), o segundo com música dos Doors (The End). Estes anúncios são insólitos, com uma invejável desenvoltura grotesca. Metamorfoses, figuras estranhas, contornos indefinidos, deformações, movimentos bruscos… Convocam o surrealismo, a pop art, o psicadelismo e outros movimentos artísticos. Este género de anúncio marcou os anos noventa. Atente-se nos anúncios Diablo, do Renault Clio (1998) e Ghosts (1997) e Vampires (1997), da Citroen: https://tendimag.com/2013/01/08/nos-limites/. Gosto de anúncios assim, sulfurosos. Je suis comme je suis, je plais à qui je plaît (Jacques Prévert).

Marca: Dunlop. Título: Tested for the Unexpected I. Agência: AMV. Direcção: Tony Kaye. UK, 1993.

Marca: Dunlop. Título: Tested for the Unexpected II. Agência: AMV BBDO. Direcção: Jason Harrington. USA, 1993.

Águas mortais

still_from_respect_the_water_breathe_film_660x315

Mais dois anúncios de sensibilização. Para não variar, chocantes. Educação pelo medo: diabolizar e exorcizar. Educação pelo exemplo: para determinados erros, a condenação é assustadora. Assim se pregou na Idade Media, na Contra-Reforma e noutras épocas a caminho do risco zero. Nestes anúncios, o medo é a pedra de toque, e o choque, a arma. “A educação pelo medo deforma a alma”. Não discordo de Coelho Neto (1864-1934), mas dá vontade de o retocar: A educação pelo medo é obra de almas deformadas.

Marca: RNLI. Título: The breathe test. Agência: Leo Burnett Change. Direcção: Tomas Mankovski. UK, Julho 2015.

Marca: RNLI. Título: Dangerously Unpredictable. Agência: Leo Burnett Change. Direcção: Tomas Mankovski. UK, Julho 2015.

Apanhados

ikea-monkeys-epO que fazem os macacos numa cozinha moderna implantada no meio da floresta? Aproximam-se, tacteiam, experimentam, procuram, brincam… Um novo anúncio da Mother London, desta vez para a IKEA. Para desarmar as críticas à utilização de macacos em anúncios, a IKEA produziu um “behind-the-scenes”. Mostra o modo como foram tratados os animais durante as filmagens e revela o papel desempenhado pela IKEA no que respeita à protecção de macacos. Hoje, criticamos tudo e todos. Paradoxalmente, com tanta crítica, o mundo não resulta mais criticado. A crítica não é acumulativa. Criticar a participação de macacos na publicidade? Não me tinha ocorrido, mas por que não? Já agora, vou criar uma nova associação. Uma associação, não, um movimento. Soa melhor, embora prejudique a candidatura a subsídios de Estado. O movimento de libertação dos apanhados (MLA). Tornaram-se populares os programas de televisão que colocam seres humanos em situações indecorosas e traumáticas? O princípio é simples. Sempre que uma peça audiovisual tratar pior um ser humano do que um anúncio um macaco, processa-se o prevaricador. Protejam os apanhados! Sobretudo, nos próximos meses…

Marca: Ikea. Título: Rediscover the joy of the kitchen. Agência: Mother London. Direcção: Juan Cabral. UK, Julho 2015.

“Behind-the-scenes”. Marca: Ikea. Título: Rediscover the joy of the kitchen. Agência: Mother London. Direcção: Juan Cabral. UK, Julho 2015.

Cheiro a Lisboa

puttin-on-the-ritz-mother-londonA agência Mother London resgata a canção Puttin’ on the Ritz, de 1929, numa animação dançante, com trejeitos psicadélicos e cenários inspirados nas ruas de Lisboa. Formas, cores e ritmos embriagantes. Um anúncio fantástico. Portugal está no vento!

Marca: Ritz. Título: Puttin’on the Ritz. Agência: Mother London. Direcção: Fredrik Bond. UK, Julho 2015.

A barba e o pecado

braun_next_level_03

O anúncio Ready for the next level, da Braun Rasierer, encara a existência como um videojogo. As etapas da vida são níveis de um videojogo do tipo Super Mario ou Sonic. E qual é o objetivo? Uma máquina de barbear. Divino, não é? Como diria Martinho Lutero:

“O pecado original está em nós do mesmo modo que a barba. Corta-se hoje, a nossa cara fica fresca, no dia seguinte volta a crescer; enquanto formos vivos, ela não para de recrudescer” (Les Propos de Table de Martin Luther, Paris, Garnier Frères, 1844).

Marca: Braun. Título: Next Level. Agência: AMV BBDO, London. Direcção: Keith Schofield. UK, Junho 2015.

Pessoas fora do comum

Finlandia vodka

As pessoas excepcionais são cada vez mais correntes na publicidade. E as vulgares, mais raras. O anúncio 1000 Years Of Less Ordinary Wisdom, da Finlandia Vodka, mostra pessoas invulgares acompanhadas por frases de sua autoria: “Be nobody’s bitch but your own”; “Get your ideas out of your head”; “Life is too short for bad drinks”; “Too old is a lousy excuse”; “Go out dancing”; “Stop thinking you are unique”; “Look out your partner and your feet”; “Never forget who you are”; “Save nothing for the way back”; “Get out before the mountain explodes”;  “Keep pushing or quit dreaming”. Belas imagens, bom ritmo, boa música…

Marca: Finlandia Vodka. Título: 1000 Years Of Less Ordinary Wisdom. Agência: Wieden+Kennedy, London. Direcção: Siri Bunford. UK, Junho 2015.

Pirilampo

Greenpeace sunshineA história do homem-máquina baralha-me os fusíveis. Nos anúncios indianos da Happydent, os dentes funcionam com lâmpadas (Dentes brilhantes). Neste anúncio, de 2007, da Greenpeace, os cús são candeeiros, à semelhança do pirilampo, também conhecido por caga-lume ou luzecu. É o advento do Homo Luzecus. Gosto do anúncio. Está no topo da escala do grotesco.

The Doors Brodsky window

The Doors Brodsky window

No meio de tanto nu, custa compreender a mensagem. Para poupar energia, acenda o rabo? Quando dispensar a luz, instale uma ventoinha eólica para aproveitar os “ventos de baixo”? Não, não é essa a mensagem. A mensagem é clara e contundente: use lâmpadas económicas com eficiência energética, como aquelas que tornam as cidades mais inteligentes. Enfim, uma Greenpeace pró-activa. Depois de tanta luz, deixemos os The Doors acender o fogo, numa interpretação ao vivo de Light My Fire (1968).

Anunciante: Greenpeace. Título: Sunshine. Agência: Escape Partners. Direcção: Sven Harding. UK, 2007.

The Doors. Light My Fire. Live in Europe 1968.

Cascata erótica

Coco de Mer 2Consta que o homem médio pensa em sexo cada seis minutos. Bom sinal, sinal que pensa. Esta obsessão percorre o anúncio X da Coco de Mer. Ao nível dos conteúdos, o peito é a parte do corpo que se destaca, seguindo-se as nádegas, as pernas e a boca, acompanhados por cascatas vertiginosas de símbolos sexuais. Tantos, que parecem esgotar os livros de Carl Jung e Gilbert Durand. Vislumbra-se um toque pavloviano neste anúncio: uma cavalgada de maçãs que fazem salivar o animal antes de o deixar trincar. A lingerie e os sex toys não são corpo mas fazem corpo. Pixel a pixel, desenham o limiar da interioridade. Vagas de luxúria na pele do desejo.

Marca: Coco de Mer. Título: X. Agência: TBWA London. Direcção: RANKIN. UK, Maio 2015.

Espinafres

8916-popeye-the-sailor-cartoons-spinach_1920x1080A leveza não é o único valor relevante na sociedade contemporânea. A potência, associada eventualmente à energia, à velocidade e ao sexo, também é um valor apreciável. O valor da potência destaca-se na publicidade em segmentos tais como os automóveis, as sapatilhas e as bebidas energéticas. Nos anúncios da NOS e da Burn (censurado), temos duas versões dos efeitos da “poção mágica”.

Marca: NOS. Título: With This NOS I Will. Agência: Mistress UK. Direcção: Ryan Hope. UK, Maio 2015.

Marca: Burn. Título: The morning. Agência: Fullsix. Direcção: Murat Gomullu. Itália, 2007.