Archive | Dezembro 2016

Cântico de Natal

Inspira-te nos reis magos e segue as estrelas até onde desejares.
Tendências do Imaginário.

A imagem Natividade, de autor anónimo, está exposta no Museu Nacional de Arte da Catalunha. Data da primeira metade do séc. XIII.

A música Personent Hodie remonta a 1360. Foi publicada em 1582 no livro de canções finlandês Piae Cantiones. Na presente versão, é interpretada, em latim, por The Columa Minstrels & Andrea Alonso (Celtic Christmas Carols, 2009).

natividade-catalunha

Natividade, de autor anónimo. Museu Nacional de Arte da Catalunha. Primeira metade do séc. XIII.

Obrigado pela visita!

Hieronymus Bosch Death Metal

hieronymus-bosch-tentacoes-de-santo-antao-1502-museu-nacional-de-arte-antiga-lisboa

Hieronymus Bosch. As Tentações de Santo Antão. 1502. Museu Nacional de Arte Antiga. Lisboa.

Os trípticos As Tentações de Santo Antão (c. 1500) e O Jardim das Delícias (c. 1503-1504), de Hieronymus Bosch, constam entre as pinturas mais marcantes da história da arte. Um delírio hipnótico, enigmático e inquietante. Entre os prazeres da vida e as penas da morte, prevalecem o desejo e o pecado. Os trípticos inspiraram várias animações, algumas particularmente sinistras, como, por exemplo, o vídeo musical Spokes for the Wheel of Torment, da banda de death metal Buckethead. Seguem imagens (carregar para aumentar) dos dois trípticos de Hieronymus Bosch e o vídeo musical dos Buckethead.

hieronymus-bosch-jardim-das-delicias-terrenas-museu-do-prado-1503-1504

Hieronymus Bosch. Jardim das Delícias Terrenas. 1503-1504. Museu do Prado. Madrid.

Buckethead. Spokes for the Wheel of Torment. Direcção Syd Garon & Eric Henry. 2010.

Amor laboral

bireleys-j-walter-thompson-bangkok-branding-in-asiaNão gosto de amores de torre do castelo; ele rasteiro, ela nas nuvens. Gosto mais dos amores duplex; ele na rua e ela à varanda, tipo Romeu e Julieta. Mas do que gosto mesmo é dos amores rés-do-chão; de bares, bailes e vielas; ambos à altura do corpo. Como no anúncio tailandês  Just One Sipe, da Bireleys. Um amor laboral, esforçado, com pele, carne e osso. O anúncio é fantástico: breve e acelerado, com uma urgência de palavras e uma orgia de objectos. A alteração de velocidade, música e carga sentimental, a meio do anúncio, é digna de registo. Longos ou curtos, os vídeos orientais ensinam-nos como criar e contar histórias.

Marca: Bireleys. Título: Just One Sipe. Agência: JWT Bangkok. Tailândia, Dezembro de 2016

Quinologia

Quino é um dos meus mestres. Se alguém perguntar se quero ler um livro disto ou daquilo, a resposta é imediata: um livro de Quino. Pena tê-los relido todos. Seguem quatro desenhos de Quinologia pura. Hoje, o meu rapaz mais novo está doente. Quero vê-lo sorrir.

1-em-busca-da-identidade-quino-cada-um-no-seu-lugar

1. Em busca da identidade perdida. Quino. Cada um no seu lugar.

 

2-cooperacao-quino-cada-um-no-seu-lugar

2. Cooperação. Quino. Cada um no seu lugar.

 

3-auto-realizacao-quino-cada-um-no-seu-lugar

3. Auto-realização. Quino. Cada um no seu lugar.

 

5-esperanca-de-vida-quino-cada-um-no-seu-lugar

4. Esperança de vida. Quino. Cada um no seu lugar.

 

4-impacto-social-quino-cada-um-no-seu-lugar

5. Impacto social. Quino. Cada um no seu lugar.

Manifesto contra a liquidez

quinoterapia

Quino. Quinoterapia. 1995.

Em O Amor Líquido (Relógio D’Agua, 2008), o sociólogo Zygmunt Bauman diagnostica um afrouxamento dos laços sociais. Mais passageiros e mais “escorregadios”. Pois o anúncio Valores, da MoviStar, parece um manifesto contra a liquidez. Atente-se no texto:

Dizem que o Natal já não é como dantes
Dizem que hoje as crianças já não escrevem cartas
Que já não nos olhamos nos olhos
E que se perdeu a magia
Dizem que antes eramos felizes com nada
Que já não compartilhamos
Dizem que hoje não ajudamos sem pedir algo em troca
E que já ninguém se coloca no lugar do outro
Dizem que as famílias já não estão unidas
Que digam o que quiserem.

As imagens do anúncio revelam o contrário. Curiosamente, trata-se de um anúncio de uma operadora de telecomunicações. Poucas profissões lidam tanto com os valores como a publicidade. Investiga-os e mobiliza-os. Na sociologia, um erro corrige-se, na publicidade, paga-se. Não se pode sustentar que a publicidade é anti-líquida; muitos anúncios apostam na liquidez, mas numa liquidez que pode vir de longe, como de longe vem a “solidez” do espírito de Natal. A contemporaneidade é sólida e “desfaz-se no ar”? Ou é líquida e escorre por entre os dedos? Talvez sólida como a areia e líquida como os coágulos.

Marca: MoviStar. Título: Navidad “valores”. Agência: Dhélet Y&R Latam. Direcção: Maxi Blanco. Argentina, Dezembro 2016.

O pós-sapatinho de Cinderela

dinosaur-adventureO meu rapaz mais novo desafia-me com um novo prodígio digital. O sucesso da futilidade na Internet é incomensurável. Este “cover” (vídeo 1) de um excerto de uma animação alemã (vídeo 2; minuto 9) colheu, desde Fevereiro de 2012, cerca de 17,5 milhões de visualizações! Trinta vezes mais do que o original. Ultrapassa a canção “While my guitar gently Weeps”, dos Beatles… Sinal dos tempos? Antigamente falava-se em “nadas muito bonitos”; agora, em “nadas muito insólitos”. As pessoas gostam daquilo que as exprime: faculdades, gestos e fantasias. Pós-verdade ou não, a Internet é o pós-sapatinho de Cinderela.

Yee. “I dinosauri antropomorfi hanno il sangue nel ritmo”. 2012.

The Little Dinosaur (Dinosaur Adventure, na versão da Phoenix). Direcção: Ludwig Ickert, Simone Greiss. Produção: Dingo Pictures. Alemanha, 2000.

The Beatles. While My Guitar Gently Weeps. The Beatles. 1968.

Corte de cabelo

das-handwerk

Recorda os filmes de Bruce Lee e a série Kung Fu? A sabedoria guerreira ilustrada, também patente nos anime e nos videojogos. A mensagem é secular: nas artes marciais como nos ofícios, aprende-se com os mestres e trabalha-se como um iniciado. O anúncio consiste numa paródia de um esquema que se repete no tempo. Paródia e repetição, eis uma boa receita para um humor aprazível.

Marca: Das Handwerk. Título: The way of the master. Produção: BigFish. Direcção: Daniel Warwick. Alemanha, Dezembro 2016.

Geometria do poder

linha-quino-hombres-de-bolsillo-1977

Linhas. Quino. Hombres de bolsillo. 1977.

Há séculos que se conhece a diferença entre uma linha recta e uma linha curva. A primeira é clássica e a segunda, barroca. Comparada com a linha recta, a linha curva acentua a sensação de volume, movimento, desequilíbrio, jogo luz e sombra e aproximação dos opostos. Para Quino as linhas também se distinguem na sua relação com o poder. A recta é mais obediente, mais disciplinada e, em suma, mais alinhada e mais correcta.

A aceleração da morte

Trail Cavalos.png

“Tarde, cerca da meia-noite, guiado pela juventude
Que comanda os enamorados, ia ver a minha amante.
Completamente só, além do Loire, e passando por um desvio
Aproximando-me de uma grande cruz numa encruzilhada,
Oiço, parecia-me, uma caça cheia de latidos
De cães que me seguiam, passo a passo, o rastro;
Vi perto de mim, sobre um grande cavalo negro,
Um homem que só tinha os ossos, ao vê-lo,
Estende-me uma mão para me montar na garupa.”

(Ronsard, Pierre de (1524-1585), Oeuvres complètes de Pierre Ronsart, Paris, P. Janet,1857-1867, pp. 134-135. Tradução minha, AG).

Anunciante: Rail Safety. Título: Horsepower. Agência: Marketforce Perth. Austrália, Agosto 2011.

O anúncio Horsepower, da Rail Safety, é um concentrado de símbolos e emoções. O galope é avassalador e imparável. Galopam os cavalos e galopa o anúncio. Galopam, ainda, o coração e a imaginação. O esquartejamento e barba sugerem as trevas medievais. As correntes metálicas e a carroçaria do comboio são frias e mortíferas. Os mitos associam os cavalos à morte, nomeadamente quando são negros como o cavalo que guia a manada. O final, em plena velocidade, sobressalta o espectador: um arrepio de quem sente passar a morte! Ameaçado entre potências, o ser humano descobre-se frágil, tão frágil como o viajante de Pierre Ronsart.

“Os cavalos da morte são, na maioria, negros, como Charos, Deus da morte dos Gregos modernos. Negros são também, na maioria das vezes, os corcéis da morte, cuja cavalgada infernal perseguiu durante muito tempo os viajantes perdidos, na França assim como em toda a cristandade (Chevalier, Jean & Gheerbrant, Alain, Dictionnaire des Symboles, Paris, Ed. Robert Laffont, 1969, p. 226).

Intimidade

proxemics-personal-zones

Proxemics. Personal Zones.

“A intimidade é funesta a qualquer grandeza, e importa preservar-se da familiaridade quando se aspira seriamente à glória” (Plutarco, ca. 42 d.C. – ca. 120 d.C.)

A intimidade tem os seus pequenos gestos e os seus pequenos segredos. Se a sua intimidade tiver nódoas, experimente o detergente Tide!

Marca: Tide. Título: Towel Habits. Agência: Saatchi & Saatchi New York. Direcção: Max Sherman. Estados Unidos, Outubro 2016.