Destribalizar

Syd Barret (1946-2006)

Syd Barret (1946-2006)

Em “tempo de tribos” (Michel Maffesoli), destribalizar é arriscado. Há tantas tribos! Umas cristalizadas e sólidas, outras moles e passageiras. Todas adubam a comunhão e a identidade. Destribalizar pode perfurar tecidos com laços frouxos e compromissos leves (Zigmunt Bauman).O défice de laços sociais, eventualmente a solidão, afasta-nos do húmus da interacção social (Michel Maffesoli).  As tribos constituem uma componente importante da vida social. Mas subsistem outras componentes. Por exemplo, os nichos e os grupos primários (Charles Cooley), tais como os retiros, a família e os amigos. Na aritmética social, meia dúzia de laços íntimos pode rivalizar com uma chuva de participações tribais. De qualquer modo, a destribalização comporta custos: menos solidariedades mecânicas, menos ecos simbólicos e menos combustões instantâneas. Acresce que a destribalização, o isolamento, é encarada como um ato suspeito, imputável à soberba, à melancolia, à misantropia, à depressão, ao autismo, à esquizofrenia ou a um outro distúrbio mental qualquer. A que propósito vem este reportório? A memória de Syd Barrett, membro fundador e mentor dos Pink Floyd, que foi substituído pelo amigo David Gilmour. Um dos compositores mais criativos da história do rock. Segue o vídeo Shine on crazy diamond, uma homenagem dos Pink Floyd a Syd Barrett.

Pink Floyd. Shine on crazy Diamond. Wish you were here. 1975.

Etiquetas:, , , ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: