Negro que te quero negro

Sempre que ouço os Aguaviva, convenço-me que são tetranetos do Francisco de Goya: um tom negro de sofrimento revoltado. Segue duas canções dos Aguaviva: Pon tu cuerpo a tierra (Poetas Andaluces de Ahora, 1975) e No nos dejan cantar (Apocalipsis (1971). Acresce uma selecção de gravuras da série Los Desastres de la Guerra (1810-1815), de Francisco de Goya.

Aguaviva. Pon tu cuerpo a tierra. Poetas Andaluces de Ahora. 1975.

Aguaviva. No nos dejan cantar. Apocalipsis. 1971.

Galeria: Francisco de Goya. Los Desastres de la Guerra. 1810-1815.

Etiquetas:, , , ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

Trackbacks / Pingbacks

  1. A cor do abismo | Tendências do imaginário - Julho 20, 2017

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: