Pêlo sim, pêlo não

BicNão há tréguas na guerra dos pêlos. Agora, o pomo da discórdia é a barba. Lembra os cabelos compridos dos anos sessenta. Naquele tempo, ouviam-se rumores alusivos à feminilidade e à androginia dos cabeludos: Mick Jagger, David Bowie, New York Dolls… Ressurgiu, entretanto, a moda dos cabelos compridos. Uma opção de pouca duração. E se quem deixou crescer o cabelo é o mesmo que deixa crescer agora a barba? Um cocktail simbólico de género? Além de emblema, a barba pode ser um estigma, um sinal de marginalidade e de descuido de si. É nesta tecla que aposta o anúncio “The Hipstervention”, uma paródia de anúncio de sensibilização, promovido pela Bic, empresa a quem a moda masculina não corre de feição. Importa desbarbear-se: Shave the beard. Save the world.

Marca: Bic. Título: The Hipstervention. Agência: McCann Erickson Melbourne. Direcção: Aaron Wilson / Airbag. Austrália, Agosto 2015.

Etiquetas:, , , ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

One response to “Pêlo sim, pêlo não”

  1. Beatriz Martins says :

    Épocas, ta bom, pêlo sim, pêlo não! 🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: