A Estética da Manteiga

Bernardo Bertolucci vulgarizou, nos anos setenta, a erótica da manteiga. Este artigo não visa, todavia, a erótica mas a estética da manteiga. Procurei, confiante, na obra de Andy Warhol, mas encontrei sopa, coca-cola e vodka. Resulta sempre alargar horizontes. No século XVII, a manteiga surge em primeiro plano nas naturezas mortas do pintor holandês Floris Gerritsz van Schooten (e.g., A natureza morta com copo, queijo, manteiga e bolo). Mais recentemente, no século XIX, Antoine Vollon pinta um vistoso pedaço de manteiga (Motte de Beurre, 1875-1885). Nos tempos que correm, a estetização mediática da culinária dá novo alento às saborosas naturezas mortas da idade barroca. Já não são quadros, mas vídeos, como este belíssimo anúncio da Lurpak em que o encanto da manteiga é de tal ordem que parece querer rivalizar com as latas de sopa Campbell’s.

Marca: Lurpak. Título: Good Proper Food. Agência:  Wieden + Kennedy (Londres). Direção: Vince Squibb. Reino Unido, Fevereiro 2013.

Floris Gerritsz van Schooten. (Holanda, 1585 - 1656) Natureza Morta com copo, queijo, manteiga e bolo.

Floris Gerritsz van Schooten. (Holanda, 1585 – 1656) Natureza Morta com copo, queijo, manteiga e bolo.

Antoine Vollon. Motte de Beurre. 1875-1885

Antoine Vollon. Motte de Beurre. 1875-1885

Etiquetas:, , , , ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: