Uma morte regalada

“Buvons à la mort qui danse à nos côtés” (Henry-Jacques, La Symphonie Héröique, Paris, Aux Editions des “Belles Lettres”, 1921, p. 19). Bebamos à morte, que a vida merece ser bebida. A morte risonha e as danças macabras tiveram o seu momento alto no fim da Idade Média. Mas, espantalhos ou ceifeiros, os esqueletos nunca nos largaram.

Marca: Schincariol. Título: Caveirinhas. Agência: Leo Burnett Brasil. Direção: Rafaela Carvalho. Brasil, Agosto 2012.

Etiquetas:, , , , ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: