Tag Archive | Rodrigo Leão

Televisão

A televisão é excelente para fechar os olhos. Discursos repetitivos, parciais e alinhadas. A televisão é boa para fechar os olhos e ouvir a música. Detesto catequeses, televisivas ou outras. Sou um ingrato do maná digital. Prefiro um Mozart a um milhão de jornalistas, convidados e moderadores.

Wolfgang Amadeus Mozart. Piano Concerto No. 21 – Andante. 1785. Intérpretes: Sir Colin Davis; Alicia De Larrocha.

Rodrigo Leão. Ruínas. Theatrum. 1996.

Ryuichi Sakamoto

Não é quando temos força que precisamos ser fortes.

Ryuichi Sakamoto é um músico, compositor, produtor e ator japonês radicado em Tóquio e em Nova Iorque. Colaborou com Rodrigo Leão.

Ryuichi Sakamoto. Put your hands up. Ryuichi Sakamoto: Playing The Piano 2009 Japan.

Ryuichi Sakamoto. energy flow. BTTB 20th Anniversary release. 1999.

Rodrigo Leão. Rosa. Cinema. 2006. Com Rosa Passos e Ryuichi Sakamoto.

O Método

Rodrigo Leão. O Malabarista.

Por um prazer simplificado.

Rodrigo Leão. O Método. O Método. Com Federico Albanese. 2020,

O mundo

Imago Mundi, o mais antigo mapa-múndi conhecido, século VI a.C., Babilônia.

“Quem tem uma mãe tem tudo / Quem não tem mãe não tem nada” (Zeca Afonso. Minha Mãe, Baladas e Cancões, 1964).

Não me entusiasma a mobilização para a internacionalização. Tão pouco a obsessão pelo rótulo internacional. Aprecio, no entanto, a internacionalidade. Mas mais do que ouvir, em Portugal, que o Fernando Pessoa, a Amália Rodrigues ou o Rodrigo Leão são internacionais, prefiro ouvir em Paris, em Roma ou em Berlim que são portugueses. Não é apenas uma questão de perspetiva. Não é preciso desaninhar nem acumular milhas para se internacionalizar. Basta fazer obra internacional. Existem instituições altamente responsáveis que pensam de outro modo.

“«O Mundo» é uma compilação lançada internacionalmente em 2006 por Rodrigo Leão”.

Rodrigo Leão – “O Mundo” (2006) – Ao Vivo / Live,

No teu olhar se perde o meu

Rodrigo Leão.

Separar-se sem partir; partir sem se separar. Há fados assim (AG).

Gosto do Rodrigo Leão e da Ana Vieira. Mas hesito. Em Portugal, quem não os conhece? Reconsidero. Em termos de receção, este blogue não é lusitano. Oito em cada dez visitas provêm do estrangeiro. Dedico-lhes música, voz e poesia. Dedico-lhes um País.

Rodrigo Leão. Voltar. O Mundo [1993-2006]. 2006. Ao vivo.
Rodrigo Leão. Vida Tão Estranha. A Mãe. 2009.

Je te salue, Marianne!

Busto de Maria com Brigitte Bardot como modelo.

Busto de Mariana com Brigitte Bardot como modelo.

Nas visualizações do Tendências do Imaginário da última semana (25 de Junho a 1 de Julho), a França ultrapassou Portugal. É uma situação excepcional que promete repetir-se. Se considerarmos o conjunto do mês de Junho, Portugal mantém-se à frente. Estes números vêm dar razão à Helena Amaro: a distribuição das visualizações decalca as comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo: Estados Unidos, Brasil, França…

Visualizações Junho 2018

Não deixo, porém, de saudar Mariana. Temos dado à França o melhor que somos. Amália Rodrigues nunca se cansou de cantar no Olympia. Os cantores que anunciaram Abril (Luís Cília, José Afonso, Sérgio Godinho, entre outros) gravaram as suas músicas, por volta dos anos setenta, em França. Grândola Vila Morena foi gravada em França. Desde os anos cinquenta, centenas de milhares de portugueses acudiram ao encanto do galo. Pois bem, continuemos fiéis a nós próprios: dar o que Portugal tem de melhor. Por exemplo, Rodrigo Leão, na língua de Racine.

Rodrigo Leão. La Fête. Cinema, 2004.

Rodrigo Leão. Jeux d’amour. Cinema. 2004.

A idade das máscaras

amalia-rodrigues-aranjuezO anúncio português Camané, da Mansarda, apresenta-se escorreito no seu preto e branco sóbrio. Um pouco enigmático na sua economia de gestos e palavras. Informei-me. Enigmático continuou. Pois que fique enigmático que não é coisa ruim.

“A MANSARDA pretende ajudar os profissionais que estão ou estiveram, durante uma parte significativa da sua vida profissional, ligados de forma principal ao mundo da língua, da arte e da cultura portuguesas e especialmente às artes performativas” (http://mansarda.pt/missao/).
“O spot da MANSARDA, que começará a ser divulgado ainda em Dezembro, pretende chamar a atenção para a necessidade de cuidar e valorizar os artistas nacionais, não apenas no auge das suas carreiras mas ao longo da sua vida (http://mansarda.pt/004garage/)”.
“A velhice não se mascara” (mote da campanha).

Cliente: Mansarda. Título: Camané. Agência: 004. Produção: Garage. Direcção: Ernesto Bacalhau. Portugal, Janeiro 2017.

Quando me sinto enigmado, gosto de ouvir o Rodrigo Leão, mesmo cantado em francês. O que é raro no País: nem compositores, nem interpretes. Acode-me a Amália. Muito cantou em francês e em França. Canções portuguesas e francesas. Seguem três canções: Um clássico da canção francesa, La vie  en rose (1960); uma composição espanhola, cantada por uma portuguesa em francês, Aranjuez, mon amour (1967); e um fado em francês, Aïe Mourir pour toi (1960).

Rodrigo Leão. Jeux d’amour. Álbum Cinema. 2004.

Amália Rodrigues. La vie en rose. 1960.

Amália Rodrigues, Aranjuez, mon amour. 1967.

Amália Rodrigues. Aïe Mourir pour toi. 1960.