No teu olhar se perde o meu

Rodrigo Leão.

Separar-se sem partir; partir sem se separar. Há fados assim (AG).

Gosto do Rodrigo Leão e da Ana Vieira. Mas hesito. Em Portugal, quem não os conhece? Reconsidero. Em termos de receção, este blogue não é lusitano. Oito em cada dez visitas provêm do estrangeiro. Dedico-lhes música, voz e poesia. Dedico-lhes um País.

Rodrigo Leão. Voltar. O Mundo [1993-2006]. 2006. Ao vivo.
Rodrigo Leão. Vida Tão Estranha. A Mãe. 2009.

Etiquetas:, ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: