Tag Archive | fábula

Lição de moral

Livro de Horas de Simon de Varie. França. 1455.

Livro de Horas de Simon de Varie. França. 1455.

O anúncio The Book, do United Overseas Bank, propõe uma comovente lição de moral: 1) não devemos apropriar-nos do que pertence a outrem; 2) o valor sentimental suplanta o valor pecuniário; 3) esta sabedoria deve passar de pais para filhos. Apostado no valor da honestidade, o anúncio lembra as fábulas de Esopo e de La Fontaine. Lembra, também, as histórias dos livros da escola primária: A Carochinha e o João Ratão, o rato do campo e o rato da cidade; São Pedro e a ferradura; as unhas dos candidatos a emprego e outros ensinamentos do género. A retórica das boas maneiras prosseguia no ciclo preparatório com uma disciplina chamada, creio, civilidade.

De pé, colados às carteiras, olhos postos no poder, entoávamos as nossas cantorias:

“Vamos cantar com alegria
E começar um novo dia
Para nós o estudo só nos dá prazer
E faremos tudo, tudo para aprender.

Não encontrei a letra desta canção na Internet. Creio que não a sonhei. Cantar, não a canto, que espanto o gato. Mas, ideologias à parte, não convém apagar a memória que à memória pertence. No que me respeita, vou compassar uma nova cantiga a caminho da Universidade: vamos cantar com alegria e começar um novo dia…

Marca: United Overseas Brank – UOB. Título: The Book. Agência: BBH (Singapura). Singapura, Fevereiro 2018.

Quatro patas e uma cauda

Jean_de_La_Fontaine_9095

La Fontaine

“Recorro aos animais para ensinar os homens” (Jean de La Fontaine, Dedicace a Monseigneur Le Dauphin, Fables, Livre Premier).

A Eduarda enviou de Bruxelas o anúncio Wiener Stampede, da Heinz Ketchup, do Superbowl 2016. O Superbowl é a final da liga de futebol americano, o evento desportivo com maior audiência nos Estados Unidos e o segundo a nível mundial (ultrapassado pela final da liga dos campeões da UEFA). A emissão de um anúncio de 30 segundos pode custar 5 milhões de dólares. São “anúncios de topo”. O anúncio Wiener Stampede, da Heinz ketchup, apresenta uma debandada de hot dogs com quatro patas. O nosso entusiasmo com estas correrias colectivas deve envolver algum arquétipo tribal guerreiro. De qualquer modo, funciona. Acrescento um segundo anúncio, também da Superbowl, Doritos Dogs, da Doritos, que destaca a astúcia e a persistência caninas.

Marca: Heinz. Título: Wiener Stamped. Agência: David / Miami. Direcção: Jeff Low. USA, Janeiro 2016.

Marca: Doritos. Título: Doritos dogs. Agência: Direcção: Jacob Chase. USA, Novembro 2015.

Mais real do que o real

Cartier. Winter Tale

“Je me sers des animaux pour instruire les hommes” (Jean de La Fontaine).

A Teresa, antiga colega na Universidade, decidiu prosseguir carreira no México. Agradeço-lhe o vídeo dos anúncios Bel été, de Nicolas Deveaux para a France 3.

Nicolas DeveauxNicolas Deveaux é um jovem talentuoso, graduado, em 2003, pela Escola Superior de Infografia “Supinfocom”. Iniciou no mesmo ano a sua carreira de realizador. Tornou-se reputado pelas curtas-metragens e pelos anúncios surrealistas com animais  “mais reais do que o real”. Palpita-me que Salvador Dali não se importaria de assinar alguns destes trabalhos. Permito-me seleccionar alguns vídeos:

– Uma série de sequências curtas com animais para a France 3: Bel été (desde 2003);

– “7 tonnes 2”, uma curta metragem com um elefante num trampolim (2004);

– “5m80”, um anúncio espectacular, para a Orange (2013), com girafas que mergulham, acrobaticamente, numa piscina (ver https://tendimag.com/2013/05/22/girafas-na-piscina/);

– O anúncio, Wintertale, para a Cartier (2014).

Marca: France 3. Produção: Cube Créative. Direcção: Nicolas Deveaux. Desde 2003.

“7 tonnes 2”. Produção: Cube Créative, Direcção: Nicolas Deveaux. 2004.

Marca: Cartier. Título: Winter Tale 2014, Direcção: Nicolas Deveaux. 2014.

Correr sentado

Mercedes. FableA publicidade anda zoófila. “A lebre e a tartaruga” é uma fábula de Esopo (séc. VI a.C), retomada por La Fontaine, no século XVII, e pela Mercedes, no século XXI. Cada versão propõe a sua moral.
Moral de Esopo: “Quem segue devagar e com constância sempre chega à frente”.
Moral de La Fontaine: “De nada serve correr, é preciso partir a tempo”.
Moral da Mercedes: “Correr sentado descansa as pernas”.

Marca: Mercedes. Título: Fable. Agência: Merkley + partners (New York). Direcção: Robert Stromberg. USA, Janeiro 2015.

Amai-vos uns aos outros

Freeview

Este anúncio da Freeview lembra-me a gata. Os pássaros, os ratos, as lagartixas e as moscas morrem de amores. E trá-los para casa para a família os abençoar.
Uma gata muito livre e muito sábia, que costuma dar alguns conselhos enquanto se ajeita no colo:
– Não peças ao Estado: entras num labirinto e sais num pântano.
– Se o Estado te pede um trabalho, olhos de gato e pernas de rato. O negócio, só por milagre, não resulta em ruinoso investimento.
– Quando comunicas, sabe qual é o teu público. Se local, comunica para os locais; se nacional, para os nacionais, se estrangeiro, para os estrangeiros. À partida, nenhum destes públicos vale mais que o outro. Quando muito, pode ou não ser adequado aos teus propósitos.
– Quando estudas e comunicas o local, é, normalmente, o local quem paga. Quando estudas e comunicas o nacional, é, normalmente, o nacional quem paga. Quando estudas e comunicas o estrangeiro, quem é que paga? Nenhuma destas três fontes deve secar as outras. E qual é o retorno? Não repitas estas perguntas. Serás considerado populista ou “terrorista”. Há quem gaste o dinheiro do povo e não tenha que prestar contas.
– Evita ser um eunuco linguístico. Na tua terra, na tua cultura, com a tua gente, fala a tua língua. Repara no teu blogue: escrito em Português, é acedido por 21,7% de internautas provenientes de Portugal, 37,8%, do Brasil e 40,5% de países não lusófonos. Como seria se fosse escrito em inglês? Não sei como seria, mas não seria certamente o teu blogue. Se calhar, seria o blogue de um conde andeiro qualquer.
– Não existe uma hierarquização? É velha a tendência para inclinar a escada para o lado que convém. De preferência, com a ajuda do vento. Em Portugal, há muitos cataventos.
Já agora, termino com uma brincadeira, com uma farsa: um dia virá em que os nossos nomes serão convertidos para língua estrangeira; será mais fácil dar-nos ordens!
Palavras de uma gata mimada que não exporta pássaros, nem ratos, nem lagartixas, nem moscas. Nem sequer, pêlos.


Marca: Freeview. Título: Cat and Budgie Love. Agência: Leo Burnett. Direcção: Ne-O. UK, Fevereiro 2014.

Galinha

Andes. The miraculous henEste anúncio argentino apresenta uma nova versão da fábula de Esopo “A galinha dos ovos de ouro”. Só que o ovo é, agora, uma garrafa. Gosto de galinhas. Em francês, ma poule (minha galinha) é uma expressão de afecto. Em Portugal, “galinha choca” aproxima-se do insulto. Saussure diria que a palavra poule em francês e a palavra galinha em português não têm o mesmo valor. Não se prestam ao mesmo.

Marca: Andes Barley. Título: The miraculous hen. Agência: Delcampo Saatchi & Saatchi. Direção: Agustin Alberdi. Argentina, Outubro de 2013.

 

Fábula das Abelhas

Toshiba BeeEm 1714, Bernard de Mandeville escreve a Fábula das Abelhas: ou, Vícios Privados, Benefícios Públicos, um texto tão inovador quanto polémico: se cada um se orientar pelos seus próprios interesses, acabará, no conjunto, por concorrer para o bem comum. Trezentos anos depois, a apicultura continua a aguilhoar os nossos espíritos: se cada abelha contribuir com uma pequena excreção de cera, o resultado pode ser uma maravilha tecnológica. Um belo anúncio de animação da Toshiba.

Marca: Toshiba Kira. Título: Bee. Agência: Goodness Mfg. Direção: Jens Gehlhaar. EUA, Julho 2013.

A Tartaruga Carochinha

Channel 4. Mating SeasonA tartaruga é um animal adorável. Neste anúncio, anda feita Carochinha à procura de um João Ratão. É primavera, a estação dos ovos! Acaba por encontrar um cão, como Cinderela, um príncipe e Carochinha, o João Ratão. Uma fábula de encantar.

Marca: Channel 4. Título: Mating Season. Agência: 4 Creative. Direção: John Allison. Reino Unido, Maio 2013.

O Coelho, a Vaca e o Burro

Este anúncio da Dell, com uma animação fantástica,  aposta na seguinte fórmula: inspiração + imaginação = criatividade. Dá vontade de ser criativo. Só um pouco, sem exageros: menos que os impostos e mais que o crescimento. Uma criatividade, à nossa moda, sem crédito. Inspirem-se, inspirem-se na vossa experiência. Imaginem uma nova arca de Noé e um presépio com três animais: no lugar do homem, um burro para albardar; no lugar do sapo, uma vaca pronta a mugir. Quanto ao coelho, esse já é coelho. Temos assim um coelho, uma vaca e um burro num comboio do tamanho de um país. E, pronto! Tanto inspirámos e tanto imaginámos que só nos falta criar uma indústria criativa alavancada, como se diz, pela crise. Como se sabe, todos os dias são carnaval. E ninguém leva a mal!

Marca: Dell. Título: Thomas and the Alternate Universe. Agência:  Y&R (New York). Direção:  Bjoern RUEHMANN. EUA, Fevereiro 2013.

“Reinforcing their position as the leader in character animation, (Fox’s VinnieFlyBuysCadburysNarnia’s Reepicheep and Eustace the Dragon) MPC introduces “Thomas,” a photo-real VFX-fuelled spot for Dell that reveals the transformative power of imagination. The creative effort highlights a strong partnership between MPC, live action production company Furlined and agency Y&R NY.”
“MPC took special care to define the personalities of all anthropomorphic characters, giving them life-like qualities and vitality. ‘The key to a spot like this is to capture the whimsical qualities of the animated pieces and connect those to the real world,” commented MPC NY Managing Director, Justin Lane. “The team worked painstakingly at designing and expressing personality in all of the characters and it truly shows…you really want to learn more about each of them.’”

A lebre e a tartaruga andam de barco

A lebre e a tartarugaFinda a corrida, a lebre e a tartaruga regressam a casa. Estavam cansadas. Ao passar pelas margens do rio, viram uma embarcação abandonada. Decidiram atalhar caminho atravessando o rio. Nunca o tinham feito, mas estavam tão cansadas… A lebre, lesta, pegou nos remos e a tartaruga acomodou-se na popa. No meio do rio, puxadas pela corrente, descobriram que o barco metia água. Com as pernas encharcadas, a tartaruga sugeriu que nadassem até à margem. Mas a lebre, incerta de saber nadar, tinha uma teoria: quanto mais rápido navegassem, menos água entrava. E desatou a remar no sentido da corrente. A teoria demorava a concretizar-se. A corrente era cada vez mais rápida, e a água não parava de alagar o barco. A tartaruga, que nunca se vira em semelhante apuro, decide abandonar o barco. Passado pouco tempo, a lebre começa a gritar alvoroçada: “Eu tinha razão! Sempre tinha razão! A esta velocidade, a água deixou de entrar”. Caíam a pique numa catarata sem fim. O barco com o arrombo, a lebre com a razão e a tartaruga sem tempo para sair do barco.

Moral da história: Se és lento, sai do barco a tempo.

Enquanto dormimos sobre o assunto, vale a pena rever a animação da fábula da Lebre e da Tartaruga produzida por Walt Disney em 1934.