A lebre e a tartaruga andam de barco

A lebre e a tartarugaFinda a corrida, a lebre e a tartaruga regressam a casa. Estavam cansadas. Ao passar pelas margens do rio, viram uma embarcação abandonada. Decidiram atalhar caminho atravessando o rio. Nunca o tinham feito, mas estavam tão cansadas… A lebre, lesta, pegou nos remos e a tartaruga acomodou-se na popa. No meio do rio, puxadas pela corrente, descobriram que o barco metia água. Com as pernas encharcadas, a tartaruga sugeriu que nadassem até à margem. Mas a lebre, incerta de saber nadar, tinha uma teoria: quanto mais rápido navegassem, menos água entrava. E desatou a remar no sentido da corrente. A teoria demorava a concretizar-se. A corrente era cada vez mais rápida, e a água não parava de alagar o barco. A tartaruga, que nunca se vira em semelhante apuro, decide abandonar o barco. Passado pouco tempo, a lebre começa a gritar alvoroçada: “Eu tinha razão! Sempre tinha razão! A esta velocidade, a água deixou de entrar”. Caíam a pique numa catarata sem fim. O barco com o arrombo, a lebre com a razão e a tartaruga sem tempo para sair do barco.

Moral da história: Se és lento, sai do barco a tempo.

Enquanto dormimos sobre o assunto, vale a pena rever a animação da fábula da Lebre e da Tartaruga produzida por Walt Disney em 1934.

Etiquetas:, , ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

One response to “A lebre e a tartaruga andam de barco”

  1. Luís says :

    devagar se chega ao longe

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: