Tag Archive | leite

Bem-estar animal

« Na produção de ovos, as galinhas poedeiras são sistematicamente abatidas por volta dos 18 meses, idade a partir da qual se tornam menos produtivas, logo menos rentáveis, quando podem viver, em média, 6 anos (…) A start-up compromete-se a alimentá-las, alojá-las, cuidar delas, durante toda a sua vida graças à venda dos ovos Poulehouse” (Poulehouse).

O anúncio L’Oeuf qui ne tue pas la poule, da Poulehouse, é uma iniciativa ética e estética notável. Um belo gesto, uma bela história e uma bela animação. Confesso não conhecer nenhum criador de galinhas que espere pela sua morte natural. Aguarda-se pelo direito à vida e à reforma dos frangos.

Há animais felizes. “A Queijaria de Melgaço cria cabras em ambiente de SPA” (Alto Minho TV). Têm música ambiente, massagens, espaços diversificados… Cabras descontraídas dão mais e melhor leite.

“As cerca de 400 cabras são massajadas e ouvem música relaxante, num autêntico ‘parque anti- stress’. O agradecimento é uma média diária de 250 litros de leite de qualidade, que originam seis variedades de queijo” (Alto Minho TV).

Alto Minho TV. Queijaria de Melgaço cria cabras em ambiente de SPA. Maio 2017.

A asneira como vocação

Já tinha saudades de asneiras. Asneiras colectivas, democráticas, com vocação burocrática. Das boas, com efeito insensato. Uma asneira é como um elefante francês: ça trompe énormément. A asneira tem uma conjugação sui generis: não fui eu, fomos nós; não fomos nós, fostes vós; não fostes vós, foram os alienígenas. A asneira é catártica. As consequências? Que interessam as consequências? Errámos de boa-fé. Com convicção! As asneiras são uma ternura. São congénitas. Acompanham-nos desde o berço. Como dizia o vizinho: o mundo é só aritmética; quem asneira sem saber asneira a dobrar. Mas tudo tem limites. O prejuízo alheio é um limite da irresponsabilidade.

Carregar na imagem para aceder ao primeiro anúncio.

Marca: The Strategic Milk Alliance. Título: Fun. Agência: DDB Canada. Canadá, 2013.
Marca: The Strategic Milk Alliance. Título: Every Moment. Canadá, 2014.

A mama extraterrestre

Saído esta semana, o anúncio Spaceship, da Rakunoh Mother, provocou uma enorme contestação. Pelo ar bélico da nave espacial? Porque o leite e a vaca roçam o sagrado? Pela ousadia da mama a ultrapassar o estilo de Jean Paul Gaultier? Adivinharam! O motivo é a mama da vaca: “A Japanese TV advert selling milk has been blasted by viewers who think it should be banned – or at least have the giant nipple pixelated” (Mirror, 28.09.2017: http://www.mirror.co.uk/news/world-news/viewers-call-milk-advert-showing-11254231).

Marca: Rakunho Mother. Título: Spaceship. Japão, Setembro de 2017.

Não há recanto em que os sapos da censura se coíbam de coaxar. Desta vez, coube ao Japão, o país dos anime. Se gosto dos anime? Não desgosto, mas, a bem dizer, não provei o suficiente. Não tenho gostos nem induzidos nem deduzidos. Aprecio, por exemplo, algumas músicas dos anime. Não soam estranhas. Acrescento dois excertos do Boku No Hero Academia (direcção: Kenji Nagasaki; roteiro: Yōsuke Kuroda; desenho: Yoshikiko Umakoshi; e música: Yuki Hayashi).

 

 

Do avesso

Assembly Anchor

Promover o leite deste jeito é, no mínimo, original. Um vídeo intertextual com imagem a preto e branco. Às vezes, parece arte. E para namorar a arte, é preciso talento.

Marca: Anchor. Título : Inside-out. Agência : Colenso BBDO (Auckland). Nova Zelândia, Abril 2017.

Vacas transparentes

Anchor transparênciaO leite faz mal? Cálcio a mais, lactase a menos, e um toque de osteoporose… A novíssima paranóia! Valham-nos os nutricionistas (vídeo 2). Precavidos, viveremos para sempre, até morrer. Se não fosse a Internet, o que seria de nós? Tem resposta para tudo. Anjo ou demónio?Vou mas é informar-me acerca do vinho e da água. Serão também uma ameaça?

Piscina de vinho para  celebrar a  nova colheita do Beaujolais Nouveau.

Piscina de vinho no Japão

Cleópatra embelezava-se com banhos de leite e os japoneses rejuvenescem com banhos de vinho. Segundo a Anchor, as vacas não se querem transparentes. O leite, tal como a água, dá-se bem no escuro.

Marca: Anchor. Título: If milk was meant to see the light, cows would be see-through. Agência: Colenso BBDO/Proximity New Zealand. Direcção: Damon Duncan. Nova Zelândia, 2003.

Denise Carreiro. Consumo do leite.

Via láctea

 

milch-machts_620x349

Tudo neste anúncio está perversamente bem concebido. Não há tempo para comentar. Nem é preciso.

Marca: Plain Milch. Título: Mutter. Direcção: Bernd Faass. Alemanha, Janeiro 2015.

Aqui há gato!

Eis dois anúncios publicitários que lembram os gatos de Edgar Allan Poe. De qualquer modo, como este autor repara, “a ciência ainda não nos provou se a loucura é ou não o mais sublime da inteligência”.

Marca: Cravendale. Título: Catnapped. Agência: Wieden + Kennedy London. Reino Unido, Setembro 2012.

Marca: Cravendale. Título: Cats with Thumbs. Agência: Wieden + Kennedy London. Reino Unido, Junho 2011.