Tag Archive | imaginação

Delírio

G2A. 2019.

De regresso a Braga, reencontro o Delírio. Tem bom aspecto! Fomos amigos. O delírio mais requintado é o delírio da intelligentsia. Com ou sem laços. Com uma varinha mágica na mão, o “intelectual” delira o mundo. No essencial, nada tenho a opor ao delírio. Não gosto, porém, quando o delírio alheio salpica a minha realidade.

Delirantes e vertiginosos, os videojogos ligam mundos: o nosso e o dos outros, dentro e fora do ecrã. A publicidade não hesita em reforçar esta propensão.

Marca: G2A. Título: You loose when you overpay. Agência: Change Serviceplan. Direcção: Szymon Pawlik. Polónia, Julho 2019.

Homenagem aos professores

Este anúncio é uma magnífica homenagem aos professores. Tem a marca do planeta do Principezinho. Tive bons professores. Estão a ensinar os anjos a voar sem asas. Sinto-lhes a falta. As ideias gostam de voar, nas nuvens ou nas aulas.

Carregar na imagem para aceder ao anúncio.

Teacher Training

Anunciante: Teacher Training. Título: Sonhos. Agência: Delaney Lund Knox Warren & Partners (London). Reino Unido, 1999.

Ecologia do Espírito

Quino

Quino

A originalidade é uma raridade. Um descuido dos deuses. Tanta criação antes de nós. Esta dificuldade em ser original sobressai, curiosamente, no universo da magia e da fantasia. Por isso, há tanta reciclagem da Alice, da Capuchinho Vermelho e da Cinderela. E do Pinóquio, do Peter Pan e do Aladino. A imaginação não é tão infinita quanto nos apressamos a acreditar. Daqui não advém mal ao mundo. As ideias coçadas podem ser brilhantes. São artes e manhas da “ecologia do espírito”. Nos anúncios Choose  Go, da Nike, e Rewind City, da Orange, a repetição dos gestos concorre para a mudança desejada.

Marca: Nike. Título: Choose Go. Agência: Must Be Something. Direcção: Edgar Wright. Estados Unidos, Fevereiro 2018.

Marca: Orange. Titulo: Rewind City. Agência: Publicis Conseil, Paris. Direção: Ringan Ledwidge. França, Maio 2008.

Fora de pista

Sherpa-cinemas-imagination

Há algo em nós de boneco de neve. Quando nos dá para a estoicidade, derretemos firmes e hirtos (AG).

Está frio! Mas podia estar mais. Partir para a neve. Para uma estância. Daquelas onde bronzeamos de dia e convivemos de noite. Nada como calçar aquelas botas que nos prendem os tornozelos e partir à aventura em cima de duas tábuas. Fora de pista, que a neve pisada é pasmada. O esqui quer-se mais voado do que deslizado. A modos como o protagonista do anúncio Imagination, da The North Face: um esqui Parkour, surf, nos limites, saltado e voado, à medida da imaginação de uma criança.

JP Auclair, a professional freeskier who passed away in an avalanche in 2014, developed the original concept. If you feel a pinch of melancholy, it’s not just your lonely search for lost time; “Imagination” is also an emotional tribute to Auclair from friends and collaborators (Produção).

Marca: The North Face. Título: Imagination. Agência: In House. Estados Unidos. Novembro 2017.

Imaginação

Nescafé

O anúncio da Nescafé, Those few people, é original. Uma tentação bem gizada. Faz sentido o exercício proposto. Eloquente, mas impossível. Parte das pessoas que nos comoveram não pode sentar-se num anfiteatro. Mas o exercício não perde o voo. É didáctico, mas continua impossível! Confrontado com uma realidade que te embaraça, imagina, sonha uma realidade que te liberte. Vê com o olho interior. Imagina! Para Albert Einstein, a imaginação é mais importante que conhecimento. Imagina!

“Se sonhássemos todas as noites a mesma coisa, ela nos afectaria tanto quanto os objectos que vemos todos os dias; e, se um artesão estivesse certo de sonhar, todas as noites, durante doze horas, que é rei, creio que ele seria quase tão feliz quanto um rei que sonhasse, todas as noites, durante doze horas, que era artesão” (Pascal, Blaise, 2002, Pensamentos, eBooksBrasil.org, Artigo XX: XIII).

A música do anúncio é um cover do Stand by me, do John Lennon, por coincidência o autor da canção Imagine.

Marca: Nescafé. Título: Those few people. Agência: Publicis (London). Direcção: Henry Mason. Europa, Outubro 2017.

John Lennon, Imagine. Imagine, 1971

As rodas da imaginação

Einstein Imagination

Este anúncio da Ford EcoSport resulta de uma mudança de conceito explicitamente assumida: “Tuvimos un cambio de posicionamiento respecto a la libertad: dejamos de relacionarla sólo al aire libre y pasamos a asociarla a la imaginación, que no tiene hora ni lugar para suceder” (Vico Benevides, director criativo executivo da GTB Brasil). O anúncio Imaginación mostra que se pode ser claro sendo plural e original, citando os outros.

Marca: Ford EcoSport. Título: Imaginación. Agência: GTB. Direcção: Nico Perez Veiga. Iberoamérica, Setembro 2017.

 

 

Gestos

wongderland traviesoOs filmes de animação resgatam o valor dos gestos. Imersos nos actos, nas palavras e nas ideias, descuidamos os gestos. O anúncio Wongderland, da Cencosud, é, precisamente, uma animação centrada nos gestos, gestos que unem mundos e gerações. Brincadeira, partilha, fantasia, libertação. A imaginação continua a levar-nos mais longe do que a razão. Se alguém te disser “vai acolá”, a razão segue o GPS, a imaginação leva-te a outro lado qualquer.

Marca: Cencosud. Título: Wongderland. Agência: Wonderman Phantasia. Perú, Agosto 2016.

O caso do planeta apagado

Orange

Coitados dos astronautas! O planeta sumiu. Pintaram-no com tinta preta. Toda a humanidade. Não sobrou um pincel.

Amália Rodrigues (2)

Amália Rodrigues

À semelhança das farsas medievais, os anúncios da Orange não perseguem objectivos morais. Lembram o Principezinho e o reino do coração e da imaginação. “O importante é a Rosa” é uma frase do Principezinho que inspirou a canção homónima de Gilbert Bécaud. Desta vez, é interpretada por Amália Rodrigues. No planeta do Principezinho, se não imaginamos, não vemos.

Marca: Orange. Título: Planet. Agência: Publicis Conseil Paris. Direcção: Frederic Planchon. França, 2007.

Amália Rodrigues. C’est la rose l’important. Ao vivo, em França, em 1968.

Memória

LOBO ANTUNES 1A imaginação é a memória fermentada. Quando se perde a memóriaperdese a faculdade de imaginar (António Lobo Antunes).

A memória não é reacionária. A memória é o principal recurso de que dispomos para aprender que o futuro é imprevisível. O futuro é imprevisível não obstante as prospetivas, os projetos, os programas e as medidas inadiáveis. O futuro é imprevisível apesar das ciências, das técnicas e dos peritos. Relancem o olhar para trás! O que aconteceu às previsões e aos projetos mais robustos? Erraram, felizmente. Que vai ser da Europa daqui a dez anos? A memória não é reaccionária, “lembra” que o presente e o futuro são relativos e incertos. Recordar e imaginar faz bem à sabedoria e à capacidade de decisão.

Segue uma canção grega de Mikis Theodorakis, Asma Asmaton (Mauthausen), interpretda por Maria Farantouri. Com imagens do Holocausto.

O último refúgio

ikea The joy of storage

Este anúncio do IKEA é aprazível, onírico, uma boa aposta na estética. Uma ideia simples bem explorada. T shirts associadas a aves, aves que não encontram pouso a não ser nos armários IKEA. Este anúncio lembra outro, magnífico, da Ariston Aqualtis (Underwater World, 2006). Recoloco-o porque o anúncio merece! E nós. também. Há dias, mencionei a relação entre o eu e o outro como chave mestra da publicidade. Anúncios como este mostram que não convém esquecer o sonho.

Marca: IKEA. Título: The Joy of Storage. Agência: Mother (London). Direcção: Dougal Wilson. UK, Janeiro 2015.