Tag Archive | Doritos

O armário

Egon Schiele. Weibliches (Couple de femmes amoureuses). Liebespaar. 1915.

“Sair do armário”, assumir-se perante si e perante os outros (familiares, vizinhos, os outros). Descobrir-se, transformar um estigma num emblema. “Sair do armário” é uma noção que costuma aplicar-se ao percurso identitário dos homossexuais. No anúncio mexicano The Best Gift (2021), da Doritos, não é o filho, homossexual, quem se assume mas o pai. Paulatinamente e com alguma dramatização. Episódio a episódio, esboça-se um olhar das relações de género. O anúncio está no vento. Pelo tipo, um anúncio de sensibilização, e pelo tema, a homossexualidade.

O anúncio canadiano Girlfriend (2005), da Toyota, aborda, também, a homossexualidade, mas de um modo distinto. A homossexualidade é, agora, feminina. O humor substitui a gravidade, com recurso a um registo curto e compacto: Girlfriend dura 39 segundos, The Best Gift, 2:16. Enfim, The Best Gift mostra uma conversão, Girlfriend aposta numa surpresa. Ambos encaram positivamente a homossexualidade.

Marca: Doritos. Título: The Best Gift. Agência: Slap Buenos Aires. Direção: Nico Perez Veiga. México, Janeiro 2021.
Marca: Toyota. Título:Girlfriend. Agência: Saatchi & Saatchi. Direção: Erich Joiner. Canadá, 2005.

Wasabi

Um anúncio ao tempero Wasabi, falado em japonês e com imagens típicas da televisão japonesa, de que país é? Do Brasil, naturalmente. Um anúncio aos novos Doritos Wasabi.

Marca: Doritos. Título: Wasabi. Agência: Almap BBDO Brasil. Direcção: Henrique Bueno. Brasil, setembro 2020.

O superpoder do homem banal

 

Gigliola

Gigliola Cinquetti

Os artigos anteriores pecam por excesso de pretensão intelectualóide. Costuma curar-se com uma pitada de humor, se possível, brejeiro, acompanhada por um dedo de música ligeira. É um excelente oxigenante cerebral.

O anúncio Power of the Crunch, da Doritos, convoca a magia e o superpoder. Como a poção mágica do Asterix ou os espinafres do Popeye. Uma dentada num dorito e o maravilhoso acontece. Uma “mulher objeto” fica toda despida, excepto a lingerie; a caixa do multibanco tem uma disenteria de dinheiro; o polícia fica reduzido a um macaco. O que passa pela cabeça de um homem quando come um dorito? O mesmo de sempre: sexo, dinheiro e poder! Apenas falta a desmancha-prazeres do costume: a morte num autocarro. Mas, para uma vida de prazer, a morte é pequeno estorvo.

Marca: Doritos. Título: Power of the crunch. Direcção: Eric Heimbold. Estados Unidos, Janeiro 2009.

“Sexo, dinheiro e poder”. Não resisto a recordar a canção espanhola “Salud, dinero y amor”. A saúde, a padroeira do século, no lugar do poder! A versão original data de 1967 e é interpretada por Cristina y los Stop (https://www.youtube.com/watch?v=q6VapvI_uv0). Opto pela interpretação de Gigliola Cinquetti (1968), tão fresca e tão bonita! Não é a primeira vez que coloco uma canção de Gigliola Cinquetti; aproveito para acrescentar a canção Dio come ti amo, de 1966.

Gigliola Cinquetti y El Trío Los Panchos. Salud, Dinero y Amor. 1968.

Gigliola Cinquetti. Dio, Come Ti Amo. Filme Dio, Come Ti Amo. 1966.

Dieta Paradisíaca

Doritos. Adam+EveA expulsão do paraíso é um tema incontornável do nosso imaginário. Com o tempo e as circunstâncias, tem sofrido revisões, cortes e enxertos (ver https://tendimag.com/2012/11/13/vestir-os-nus/). Alguns, espantosos, como o anúncio Adam+Eve, da Doritos. Se Eva tivesse comido a maçã e Adão se tivesse contentado com os Doritos, como ficava o mundo? Um inferno paradisíaco?

Marca: Doritos. Título: Adam+Eve. Director: Stephen Schuster. EUA, 2010.

É do caneco!

A publicidade contempla o feio. Contempla também o estúpido. Contempla ainda o mau. Dá quase para o título de um western spaghetti. A Royco Cup a Soup e os Doritos são uma fonte de prazer indescritível. Despertam qualidades humanas de todas as idades: a preguiça (vídeo 1), a luxúria (vídeo 2) e a avareza cruel (vídeo 3). Todos, pecados capitais. Beba uma colher de Royco Cup a Soup, trinque um dorito, e terá direito a um fim-de-semana num resort à sua escolha no inferno. São muitos os anúncios que convocam a tentação e o pecado. Veja-se, a título de exemplo, os anúncios das massas Panzani (https://tendimag.com/2012/10/09/o-pecado-na-publicidade/).

Marca Royco cup a soup. Título: É do caneco. Portugal, 1997

RoycoMarca: Royco cup a soup. Título: Rêve de Tarzan. Bélgica, 2003.

Marca: Doritos. Título: Road Chip. EUA, Janeiro 2013.