Arquivo | Pintura RSS for this section

Excitação

Hugo Simberg.’The death and the girl. 1890s.

Nestes tempos de repetição ansiosa, uma pitada de excitação não é pecado. Seguem três exemplos de riffs de guitarra.

Led Zeppelin. Heartbraker. Led Zeppelin II. 1969. Ao vivo: Madison Square, 1973.
Creedence Clearwater Revival. Hey Tonight. Pendulum (40th Anniversary Edition). 1970. Ao vivo em 1972.
The Troggs. Wild Thing. From nowhere. 1966.

Imundície

Adriaen Brower. Youth Making a Face. 1632-1635

Tudo é passível de nos atrair. Até a porcaria. O mau gosto sabe-nos bem. Por exemplo, no carnaval ou nas anedotas. O anúncio Xmess, da Plenty, é um atropelo de imundícies. E o público ri, regala-se, à espera da porcaria que segue.

Adriaen Brower. O sentido do olfato (deveres paternos desagradáveis), c. 1631.

O baixo faz cócegas ao diafragma até à gargalhada. Não existe obra dedicada ao grotesco que não aborde esta tentação. Nada que resista à arte do papel higiénico. Salva-se, deslocada, a música Love Hurts, dos Nazareth.

Marca: Plenty. Título: Xmess. Agência: AMV BBDO (London). Direção: Steve Rogers. Reino Unido, Novembro 2020.

Madrigal de Monteverdi

Bernardo Strozzi. ClaudioMonteverdi, c.1630.

Claudio Monteverdi (1567-1643), compositor maneirista, merecia mais reconhecimento. Selecionei o madrigal “Hor che’l ciel e la terra”, pela música e pela interpretação (Les Cris de Paris). Espero não ser o único a gostar. Carregar na seguinte imagem para aceder ao vídeo.

Claudio Monteverdi. Madrigals, Book 8 “Hor che’l ciel e la terra” (Les Cris de Paris, Geoffroy Jourdain)

O armário

Egon Schiele. Weibliches (Couple de femmes amoureuses). Liebespaar. 1915.

“Sair do armário”, assumir-se perante si e perante os outros (familiares, vizinhos, os outros). Descobrir-se, transformar um estigma num emblema. “Sair do armário” é uma noção que costuma aplicar-se ao percurso identitário dos homossexuais. No anúncio mexicano The Best Gift (2021), da Doritos, não é o filho, homossexual, quem se assume mas o pai. Paulatinamente e com alguma dramatização. Episódio a episódio, esboça-se um olhar das relações de género. O anúncio está no vento. Pelo tipo, um anúncio de sensibilização, e pelo tema, a homossexualidade.

O anúncio canadiano Girlfriend (2005), da Toyota, aborda, também, a homossexualidade, mas de um modo distinto. A homossexualidade é, agora, feminina. O humor substitui a gravidade, com recurso a um registo curto e compacto: Girlfriend dura 39 segundos, The Best Gift, 2:16. Enfim, The Best Gift mostra uma conversão, Girlfriend aposta numa surpresa. Ambos encaram positivamente a homossexualidade.

Marca: Doritos. Título: The Best Gift. Agência: Slap Buenos Aires. Direção: Nico Perez Veiga. México, Janeiro 2021.
Marca: Toyota. Título:Girlfriend. Agência: Saatchi & Saatchi. Direção: Erich Joiner. Canadá, 2005.

Adrenalina

Pieter Paul Rubens. A queda de Ícaro. 1636.

Cosmos, estratosfera, voo, liberdade. Vertigem, aceleração, velocidade, adrenalina. Queda, mergulho, regeneração, biografia. Instante, Intensidade, vitalismo. Emoção, corpo, plenitude. Radical, risco, ousado, não convencional. A estética e a sensualidade como marcadores da experiência humana. Flores da nossa (pós)modernidade, valores do tempo presente. Cupra, marca do novo automóvel do grupo SEAT, aposta vigorosamente neste anúncio. Com a participação da atriz Nathalie Emmanuel (A Guerra dos Tronos) e música original de Loyle Carner, o anúncio estreia no intervalo do jogo de futebol entre o Real Madrid e o Barcelona.

Pieter Brueghel O Velho. Paisagem com a queda de Ícaro (ca. 1558).

As imagens do anúncio lembram a figura de Ícaro. Seguem duas pinturas: uma de Pieter Brueghel (Paisagem com a queda de Ícaro, 1558), a outra de Pieter Paul Rubens (A queda de Ícaro, 1636).

Marca: Cupra. Título: Drive, live, feel another way. Agência: &Rosas. Direção: Nicolas Mendez. Espanha, Janeiro 2021.

A canção dos pássaros. Pablo Casals

Juan Fernández. Portrait du violoncelliste Pablo Casals. 1958.

A música expulsa o ódio dos que vivem sem amor. Dá paz aos que não têm descanso, e consola os que choram (Pablo Casals).

A tempestade promete a bonança. Pablo Casals, compositor, maestro e violoncelista catalão, foi um acérrimo defensor da democracia em tempos adversos de franquismo, fascismo e nazismo. Song of the birds (El cant dels ocells), uma composição para violoncelo de Pablo Casals, inspirou várias interpretações. Retenho duas: a interpretação pelo próprio Pablo Casals, na Casa Branca, em 1961; e a adaptação da ucraniana Nataliya Gudziy, caraterizada por uma singularidade e uma simplicidade amigas da beleza.

Pablo Casals. Song of the birds (El cant dels ocells). White House. 1961.
Nataliya Gudziy. Song of the Birds (El Cant dels Ocells). Kobzar / Nataliya3. 2014.

Oremos

Salvador Dali. Angelus. 1932.

“O PÚBLICO sabe que a excepção de manter as escolas abertas, caso o Governo avance para um novo confinamento geral, se deve a dois factores: a importância do ensino presencial no processo de aprendizagem; e a conclusão de que os alunos obedecem melhor às regras sanitárias e estão mais protegidos de contaminações dentro das escolas – uma certeza que é fundamentada com a baixa incidência de casos de covid-19 nos estabelecimentos de ensino” (https://www.publico.pt/2021/01/08/politica/noticia/regresso-confinamento-geral-mantera-escolas-abertas-1945463).

Alguém pode dizer a este ignorante qual é a “incidência de casos de covid-19 nos estabelecimentos de ensino” em Portugal? Tantos por 100 000… Presumo que existe quem saiba. Dispenso os pormenores da polémica da escolha do procurador europeu nacional na Procuradoria da União Europeia. Receio nunca me encontrar com esse senhor. O mesmo não garanto em relação à Covid-19. Informem-me, por favor, sobre importâncias importantes. Dispenso os intermináveis tangos palacianos. Sejam políticos, que ser político é missão nobre!

Apraz-me saber que os “alunos (…) estão mais protegidos de contaminações dentro das escolas”. Mais protegidos do que na Irlanda, na Alemanha ou na Holanda, que fecham as escolas, embora alcancem incidências de infetados próximas de Portugal: respetivamente, 455,6; 319; 757,9; e 517 por 100 000 habitantes (https://www.ecdc.europa.eu/en/covid-19/country-overviews). Serão as escolas portuguesas especialmente protetoras? Será a sociedade portuguesa mais mórbida, mais ameaçadora? Talvez seja um milagre. Oremos.

Pieter Bruegel The Elder. The parable of the blind. 1568.

Nove meses

Gustavo Rosa. Ela grávida laranja amarelo. 1971.

O José Neves enviou-me o anúncio 9 meses, da Volkswagen. Interpretar é jogar o jogo. Um coro trágico recita notícias pandémicas. Um automóvel segue o seu destino. O coro silencia-se e o automóvel estaciona junto a um hospital. Sai um casal. O homem ajuda a mulher grávida. O ambiente ambarino, “o âmbar de um tempo humano e divino” (https://tendimag.com/2017/06/28/despasmar-o-prazer/), é complementado pela tranquilidade do azul celeste. Apesar das ameaças, o Volkswagen transporta, seguro e sereno, a vida. O anúncio é marcado pelo sentido de oportunidade: nove meses de gravidez, nove meses de pandemia. Recorre a dualidades clássicas: a morte e a vida: a ameaça e a proteção. Não obstante o momento trágico, o anúncio emana esperança: “apesar de todo, la luz siempre encontra el caminho”.

Marca: Volkswagen España. Título: 9 meses. Espanha, dezembro 2020.

Peluches sem espinhos

Corey Wolfe. Mona Lisa como urso de peluche.

O Natal já passou. Vivam os Reis! Nesta ternura de anúncio da Butlins, o monstro é uma relva fofa, a bola uma flecha de Cupido e a música, Dust in the Wind em versão retocada, um regalo (Facebook, 27/12/2010).

Anunciante: Butlins. Título: Leaving. Agência: Mother London. Director: Nic & Sune. UK, Dez. 2010.

Agarrar o vento e sentar-se ao sol

Giulio Parigi. O espelho de Arquimedes. 1599-1600.

Cativar o sol e o vento é arte antiga. Arquimedes engenhou, durante o cerco romano a Siracusa, um espelho côncavo cujos raios solares incendiaram os barcos inimigos. O vento soprava nas velas romanas e o sol grego queimava os cascos.

O anúncio The Collectors, da Energy Upgrade California, propõe múltiplas formas, efetivas ou poéticas, de capturar o vento e o sol. Brilhante e original. Belas imagens, bom ritmo, boa música. Um oásis de prazer nas dunas da Internet! Sejam louvadas as energias eólica e solar!

Marca: Energy Update California. Título: The Collectors. Produção: The Corner Shop. Direção: Peter Thwaites. Estados-Unidos, novembro 2020.