O fogo da noite

Francisco Goya El Fuego de La Noche. 1794

“Em última análise, cada sombra é também filha da luz, e só quem tenha vivido a claridade e a escuridão, a guerra e a paz, a ascensão e a queda, só esse terá verdadeiramente vivido.” (Stephen Zweig, O Mundo de Ontem. 1ª edição: 1941)

A maior parte das canções do grupo espanhol Aguaviva (1969-1979) são sombrias, de dor e resistência. O que se canta não precisa de ser gracioso, pode ser terrível. Canta-se para louvar, mas também para esconjurar. A cada um, o seu catavento.

Aguaviva. Aquí Estuvo El Amor. Poetas Andaluces De Ahora. 1975
Aguaviva. Dos Cuccillos. Poetas Andaluces De Ahora. 1975

Etiquetas:, ,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: