A viragem gastronómica

Banquete. BnF, Ms fr 9002, 18v, Século XV.

Este mundo é um grande banquete a que natureza convida todos os seres vivos, com a condição de os convivas se comerem uns aos outros: De morte vita datur” (Antoine de Rivarol, Pensées Inédites de Rivarol, Paris, Imprimerie de J. A. Boudon, 1836, pp. 63-64).

Comemos, logo somos! O apetite é a mola da nossa existência. O banquete medieval era servido com músicos e saltimbancos. Hoje, a animação subsiste, mas o espectáculo é o próprio banquete, estilizado e estetizado. Como no anúncio The Party, da Barilla, o centro tende a deslocar-se da sala para a cozinha.

1440s – Le Livre des Conquestes et Faits d’Alexandre. – Jean Wauquelin – burgundian.

A culinária assemelha-se a uma arte média expressa em livros de receitas, séries de televisão, concursos, anúncios e fotografias digitais. Comemos cada vez mais com os olhos e os ouvidos um manjar audiovisual. Mas, embora mergulhados na hipermodernidade neobarroca, ainda não saímos da “galáxia Gutenberg” (Marshall McLuhan, A Galáxia Gutenberg, 1962). O gosto enrola-se em discursos e cenários. O paladar descentra-se. Ocorre uma segunda deslocação do ritual alimentar: do privado para o público, da casa para praça e para a Internet, a grande omnívora. A alimentação valorizou-se: subiu uns degraus, do estômago para a cabeça.

Marca: Barilla. Título: The Party. Agência: 72andSunny (Amsterdam). Direcção: Gary Freedman and Giampaolo. Holanda, Fevereiro 2019.

About tendências do imaginário

Sociólogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: