Vitral

Auguste Rodin. La Cathédrale. 1909.

Auguste Rodin. La Cathédrale. 1909.

Há dias sombrios em que a lua pasma dentro de nós. Mas há sons que são raios de sol. Esgueiram-se pelos poros da pele convertida em vitral. Iluminam-nos com lágrimas coloridas num colar de esperança.

Camille Saint Saens. Introduction et Rondo capriccioso en la mineur. Op. 28. 1863. Excerto.

Etiquetas:,

About tendências do imaginário

Sociólogo.

One response to “Vitral”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

<span>%d</span> bloggers like this: