Tag Archive | vocação

Motivação

Parece que é preciso fazer-nos sentir mal para nos conduzir a praticar o bem.

Anunciante: Rama Foundation. Título: Motivations. Agência: Audacity. Direção: Jon Chalermwong. Tailândia, Dezembro 2021.

“The above “film, directed by Audacity’s Jon Chalermwong for Thailand’s Rama Foundation, is a bit tough to watch. But that’s exactly why it works. Chalermwong tells Campaign that the film, entitled ‘Motivations’, is based on real-life stories of young people who as young kids witnessed the deaths of loved ones, and then went on to pursue careers in medicine. If you feel like it’s difficult to look into their eyes as they realise a loved one is dead, imagine how difficult it would be for them to live through those moments. And if they decide to turn their tragedy into a career helping others, don’t they deserve decent equipment on which to train? That’s the argument the film makes, and Ad Nut expects it could be an effective one.   The foundation, which supports Ramathibodi Hospital, is accepting donations at www.ramafoundation.or.th. (campaign. Deadly moments lead to lifetimes of medical servisse: https://www.campaignasia.com/video/deadly-moments-lead-to-lifetimes-of-medical-service/474808)”.

Acima do céu

A vida é um percurso pautado pela vocação:

“Eu sempre soube que queria ser arquiteta. Aos doze anos comecei a desenhar planos de casas”.

A vida é uma ascensão piramidal, com plataformas de lançamento. Uma odisseia individual. Uma provação qualificadora.

“Saí de Espanha pela primeira vez aos dezassete anos. Sair de Santiago de Compostela para o Norte de Inglaterra foi um grande choque cultural. Comecei a minha carreira em Manchester e consolidei-me em Londres durante dez anos (…) O maior desafio foi a mudança para Nova Iorque (…): fui para a grande maçã. Um momento de loucura, mas também um momento de determinação absoluta, perseverante, obsessiva (…).

Acima do céu, mora o sucesso merecido. O êxito. A consagração. A febre do chamamento.

“Três anos mais tarde, era vice-presidente de uma companhia de promoção imobiliária de grande talento e já tinha construído o meu primeiro edifício em Brooklyn (…) Dois anos depois montei a minha própria empresa”.

Qual é o etos desta arte do bom sucesso? Aproxima-se da ética protestante (Max Weber). Um modo de estar num mundo global teimosamente moderno.

“Não acredito nas casualidades. Creio na determinação, na perseverança, no esforço. O talento é apenas um veículo em que nos transportamos. O combustível”.

Berta Willisch, arquiteta reputada, está, sempre esteve, em estado de graça. Estado que soube aproveitar. Sempre a mesma Berta Willisch, do berço ao topo.

Marca: Abanca. Título: No creemos en las casualidades. Agência: Shackleton. Espanha, Maio 2021.

Trelas Electrónicas

Tomar uma torre de controlo de um aeroporto por um videojogo pode ser perigoso. O trabalhador e o posto de trabalho devem estar em harmonia. Esta é a preocupação da agência de emprego Keljob: a cada um o emprego para que está vocacionado.

Não há registo na história da humanidade de sociedades com tantos meios de vigilância e controlo como a actual. Os poderes (governo, justiça, finanças, empresas, redes) transbordam de recursos de vigilância e controlo. O mundo alberga paradoxos: A vigilância e o controlo nunca foram tão intrusivos e nós nunca nos sentimos tão livres! Há trelas e trelas! Algumas devem ser confortáveis.

A canção Space Oddity, de David Bowie, vem a preceito. Não é animadora, mas a vida não é um eterno magusto.

Carregar na imagem para aceder ao vídeo.

Packman

Marca: Keljob. Título: Tour de Contrôle. Produção: Byzance. Direcção: Gérôme Rivière. França, 2002.

 

David Bowie. Space Oddity. Ao vivo em 1969, ano de estreia da música.

 

Incerteza

 

DNBBank_Clones18-1024x683

Janus tem duas faces. Cristo, três. Hoje, os jovens parecem ter dezenas. Têm resmas de identidades e fronteiras. E cabe tudo na cabeça. No anúncio Clones, do DNB Bank, as faces são muitas e conflituosas. Todos nos comprazemos a receitar incerteza, uma palavra para uns, um desafio corrosivo para outros.

Marca: DNB Bank. Título: Clones. Agência: try. Direcção: Joe vanhoutteghem. Noruega, Maio 2018.

Um traço de giz

With-A-Piece-Of-Chalk6

Há muitos patinhos feios. E poucos cisnes. O inferno mora em todo o lado. “São os outros”, diria Jean-Paul Sartre. Em casa, na escola, na rua… Mas há um traço de giz que pode marcar a diferença. Pode desenhar a ilha que nos habita. A ilha da excepção. A ilha do tesouro. A ilha da vocação. A todos o inferno, a cada um o seu pedaço de giz.

JuBaFilms. With a piece of chalk. Alemanha. 2012.

ARE YOU A LIKER OR A DO-ER?

LENOVOARE YOU A LIKER OR A DO-ER? Segue a chamada (vocação). Atende à revelação. “Make your DO come true”. Serás empreendedor, ídolo ou santo. PALAVRA DE EMPRESA! Assim vai a publicidade: interacção, performance, simulação, circo, caridade, responsabilização, intervenção, concurso… Desde que o isco funcione. Trata-se de uma reactualização do espírito do capitalismo. MORDE! CONCORRE! A EMPRESA vela por ti.

Marca: Lenovo. Título: Make your DO come true. Agência: Fitzroy Amsterdam. Holanda, Março 2014.