Tag Archive | Equador

Contos de solidão e mal viver

Vincent Van Gogh. Sorrowing Old Man (At Eternity’s Gate). Detalhe. 1890

Podem repetir os sábios que não existem velhos, que velhos são os trapos. Mas o envelhecimento persiste. Até os trapos envelhecem. Sinto-me a envelhecer: as pernas pesam, os olhos turvam-se e a memória esquece-se. A rede de relações encolhe, como um polvo na panela, rumo à solidão. E nós insistimos que não há velhos, que velhos são os trapos. Recorremos à esconjuração retórica, como se o envelhecimento fosse uma figura de estilo ou um descuido da perfeição. Como se não rezássemos todos no templo do abraço perdido…

Quem me mergulhou neste estado de desentendimento lamentável foi o Nick Cave. Dos três anúncios que seguem, o último é o mais confrangedor: os netos “visitam” o avô mas para assistir a uma emissão de futebol facultada aos idosos por um canal televisão.

Marca: Re-Engage. Título: Stella. Direcção: Izzy Burton. Reino Unido, Dezembro 2019.
Marca: Silver Line. Título: Visiting Gramps. Agência: M&C Saatchi. Direcção: Chris Thomas. Reino Unido, Abril 2015.
Marca: Direct TV. Título: En casa del abuelo. Equador, Novembro 2016.
Nick Cave & The Bad Seeds. Into my arms. The Boatman’s Call. 1997. Live in Copenhagen.

Nas tuas mãos

01.Eduardo Kingman. Mãos.

Eduardo Kingman. Mãos.

“Se precisas uma mão, recorda que eu tenho duas” (Santo Agostinho).

Gosto do expressionismo. De Edvard Munch, Otto Dix, Georg Grosz, Cândido Portinari… (ver A Falha Humana e Portinari e o burro montado às avessas) O expressionismo foi a corrente artística pioneira na exploração da subjectividade.

02. Eduardo Kingman. Maternidad

Eduardo Kingman. Maternidad

“O Expressionismo é a arte do instinto, trata-se de uma pintura dramática, subjectiva, “expressando” sentimentos humanos. Utilizando cores irreais, dá forma plástica ao amor, ao ciúme, ao medo, à solidão, à miséria humana, à prostituição. Deforma-se a figura, para ressaltar o sentimento (História das Artes, Expressionismo).

Inquietas e carregadas, as pinceladas expressionistas desafiam o poder e a potência. Abordam temas marginais, subterrâneos, incómodos.

“O expressionismo usava paleta cromática, dando vida às temáticas angustiantes: miséria, ansiedade e solidão. Essa era o principal enredo das obras nos anos antes e pós Primeira Guerra, na Alemanha.

Eduardo Kingman

Eduardo Kingman

A arte expressionista primava pela liberdade individual e escancarava polêmicas, temas que até então quase não eram retratados: o fantástico, perverso, sexual e outros. A principal ideia era revelar a expressividade subjetiva desses temas, da realidade (A arte expressionista)”.

Eduardo Kingman (1913-1997), pintor expressionista do Equador, exprime nas suas telas a pobreza e o sofrimento, sobretudo, dos indígenas (indigenismo). É conhecido como o “pintor das mãos”. Por quê? A seguinte galeria com algumas das suas obras é esclarecedora.

Galeria de imagens: Eduardo Kingman.

Em tempos, costumava alinhar as imagens num vídeo, acompanhadas com música. Muito trabalho e pouco proveito. Se fizesse, hoje, um vídeo com as pinturas de Eduardo Kingman, a música seria, provavelmente, El Pastor Solitario. Adoptada por muitos grupos sul americanos, o compositor, James Last, é alemão, e o melhor intérprete, Ghjeorge Zamfir, romeno. Mais uma história de Babel bem sucedida. Segue um vídeo com um excerto de um concerto com James Last e Gheorghe Zamfir, em Londres, no ano de 1978.

James Last & Gheorghe Zamfir. El pastor Solitario. Londres. 1978

Húmus

José Saramago, Ensayo sobre la ceguera.

A Librería Española, do Equador, adoptou um método interessante para promover a leitura. Criou um diário sensacionalista composto por excertos de livros. O princípio é conhecido dos agricultores: as sementes germinam melhor onde há húmus ou, eventualmente, um simulacro de húmus. A alguns intelectuais custa-lhes perceber esta química. Tomam-se pelo húmus, pela semente, pela folha, pelo fruto e pelo sumo. Vêem-se a um espelho cego. O anúncio Best Sellers Amarillistas acarinha José Saramago de um modo impressionante: O Ensaio sobre a Cegueira partilha o pódio com As Cinquenta Sombras de Grey, de Erika Leonard James, e O Principezinho, de Antoine Saint-Exupéry. Bem-haja! Por cá, húmus do costume.

Marca: Librería Española. Título: Best Sellers Amarillistas. Agência: McCann Quito. Direção: Javier Cotrona. Equador, Maio 2014.

História ecológica com final feliz

“Get the world to pay Ecuador to do nothing.” Eis uma ideia! Este anúncio acaba de ganhar um Leão de Ouro em Cannes.

Anunciante: Equador Government. Título: Yasuni ITT. Agência: MARURI GREY Guayaquil, ECUADOR. Direção: Felipe León (Maruri Producciones). Equador, Junho 2012.