Archive | Junho 2013

A emancipação dos pés

ShoeDazzleOs pés merecem bom calçado. Suportam tudo e andam de rastos. Pés e Povo começam pela mesma letra. Mera coincidência. Mas os pés estão em vias de emancipação. O povo, não! A estética é crucial em qualquer processo de emancipação: o feio torna-se bonito graças a uma reciclagem do gosto. E os pés estão mais bonitos! E mais inteligentes. O anúncio da ShoeDazzle confirma-o. Proliferam as cinderelas. Quanto à inteligência, nada como ler este excerto do poema “dans ma maison”, de Jacques Prévert  (Paroles, 1946). Em suma, não convém menosprezar os pés nem espezinhar o povo.

Marca: ShoeDazzle. Título: Hashtag. Agência : SelectNY. Direção : Maz Makhani. EUA, Junho 2013.

Jacques Prévert, excerto de “dans ma maison” (Paroles, 1946)

Eu não fazia nada
Isto é nada de importante
Às vezes de manhã
Lançava uns gritos animais
Zurrava como um burro
Com toda a força
E isso dava-me prazer
E depois brincava com os pés
São muito inteligentes os pés
Podem levar-nos longe
Quando queremos ir longe
E quando não queremos sair
Eles ficam a fazer-nos companhia
Quando há música dançam
Sem eles não se pode dançar
É preciso ser-se estúpido como o homem tantas vezes é
Para dizer coisas tão estúpidas
Como estúpido como um pé alegre como um tentilhão
O tentilhão não é alegre
Só é alegre quando está alegre
É triste quando está triste ou nem alegre nem triste
Aliás ele nem se chama assim
Foi o homem quem lhe deu esse nome
Tentilhão Tentilhão Tentilhão

Je ne faisais rien
C’est-à-dire rien de sérieux
Quelque fois le matin
Je poussais des cris d’animaux
Je gueulais comme un âne
De toute mes forces
Et cela me faisait plaisir
Et puis je jouais avec mes pieds
C’est très intelligent les pieds
Ils vous emmènent très loin
Quand vous voulez aller très loin
Et puis quand vous ne voulez pas sortir
Ils restent là ils vous tiennent compagnie
Et quand il y a de la musique ils dansent
On ne peut pas danser sans eux
Il faut être bête comme l’homme l’est souvent
Pour dire des choses aussi bêtes
Que bête comme ses pied gai comme un pinson
Le pinson n’est pas gai
Il est seulement gai quand il est gai
Et triste quand il est triste ou ni gai ni triste
Est-ce qu’on sait ce que c’est un pinson
D’ailleurs il ne s’appelle pas réellement comme ça
C’est l’homme qui a appelé cet oiseau comme ça
Pinson pinson pinson pinson

Elvis não morreu!

Elvis is deathElvis não morreu! Ele é a morte em pessoa. Anda por aí, justiceiro, a dar cabo de quem dá cabo da música. Pelo menos, na MTV Brasil. Tamanha multiplicação de cadáveres e tanta  ênfase na morte regeneram-nos? Mikhail Bakhtin responderia afirmativamente.

Marca: MTV Brasil. Titulo: Elvis is Death. Agência: Loducca. Direção: André Godoi. Brasil, Maio 2013.

 

Pontos e Pontes

Apple-ad-Designed-by-Apple-IntentionCom poucos pontos, poucas linhas e poucas letras se resume o essencial da condução de um projecto. Há banquetes de palavras que nem um ponto, nem uma linha, nem uma letra conseguem esboçar. Recomendo este vídeo a quem esteja a elaborar um projecto de investigação ou de intervenção. Uma pequena confidência de bastidores: sinto o fantasma de Jacques Prévert a pairar em cada ponto, linha ou letra deste vídeo. Não há como ler o poema “Comment Peindre un Oiseau” e comparar. Deve ser isto o tal benchmarking.

Marca: Apple. Título: Designed by Apple in California. Agência: TBWA/Media Arts Lab. Direção: Buck. EUA, Junho 2013.

Momentos de verdade

Strongbow. Moment of TruthTrês momentos de verdade, três momentos de viragem no jogo da vida: uma tacada, um remate e um discurso de boda. Os momentos de viragem são a nossa perdição. Há quem dê a volta e há quem dê o flanco… Para vibrar, nada como a Fortuna de Carmina Burana, de Carl Orff.

Marca: Strongbow. Título: Moments of Truth. Agência: St Luke’s, London. Direção: Sam Brown. Reino Unido, Junho 2013

Tansomania

LG. The Smartest Baby in the WorldAté que ponto conseguimos ser tansos? Será a nossa boa-fé inesgotável? A onda dos apanhados faz parte desta “tansomania”. Neste anúncio israelita, os futuros pais acreditam em quase tudo, desde que seja garantido e gratificante. Com tanta burla, tanto apanhado e tanta arte oculta, estranho como ainda não foi criada uma licenciatura ou uma pós-graduação em “tansologia”. Quanto às marcas, somam e seguem: associam cada vez mais o lançamento de um novo objecto tecnológico ao nascimento de um ser humano. Pelos vistos, vende.

Marca: LG – Smart TV. Título: The Smartest Baby in the World.Agência: Yehoshua TBWA, Israel, Maio 2013.

Escola de Primavera – Monção e Melgaço

Escola da Primavera. Seminário e Simpósio. Melgaço, 15 de junho. Cartaz feito pela Câmara Municipal de Melgaço

A Escola da Primavera é uma iniciativa conjunta do curso de doutoramento em Sociologia e do curso de mestrado em Comunicação, Arte e Cultura, ambos da Universidade do Minho. Em Monção e em Melgaço, nos dias 14 a 16 de Junho, são promovidas, com o apoio da Casa Museu de Monção e da Câmara Municipal de Melgaço, várias atividades formativas de interação com as comunidades locais, de índole científica, cultural, artística e ambiental. Seguem:
– O programa da Escola da Primavera;
– Uma montagem do desdobrável relativo à exposição Momentos Rurais (Monção);
– O cartaz do colóquio Tendências da Comunicação (Monção, 14 de Junho);
– O cartaz do Seminário e do Colóquio Dinâmicas Sociais (Melgaço, 15 de Junho).
– Um link para um artigo com fotografias de locais situados na área dos trilhos (Melgaço: montanha e rio Minho).

Escola de Primavera - Programa

Escola de Primavera – Programa

Momentos Rurais. Montagem do Desdobrável

Escola de Primavera. Momentos Rurais. Monção. Montagem do Desdobrável, da autoria de Teresa Barreto

Colóquio Tendências da Comunicação. Monção. Cartaz

Escola da Primavera. Colóquio Tendências da Comunicação. Monção. Cartaz, da autoria de Teresa Barreto

Escola da Primavera. Seminário e Simpósio. Melgaço, 15 de junho. Cartaz feito pela Câmara Municipal de Melgaço

Escola da Primavera. Seminário e Colóquio. Melgaço, 15 de junho. Cartaz feito pela Câmara Municipal de Melgaço

Carregar na imagem:

Melgaço. Branda da Aveleira

Melgaço. A Pedra e a Água. Imagens

Oratória

Sempre que um político fala, inquieta-me uma pergunta: será o povo assim tão estúpido? Rafael Bordalo Pinheiro desenhou, a seu tempo, uma resposta. Mas foi há mais de um século!

Rafael Bordalo Pinheiro (Fundação Mário Soares).

Rafael Bordalo Pinheiro. O Dia de Hoje. Em O António Maria.

Rafael Bordalo Pinheiro. O Dia de Hoje. Em O António Maria.

caprichos-plate-42-they-who-cannot

Francisco Goya. Caprichos.

Consensualizar

OBI. No jobEste anúncio russo proporciona uma lição sobre como ultrapassar rupturas e instaurar consensos. Nada mais simples: aplanar e cimentar diferenças e vontades. Sociedades ajustadas e consensualizadas são fantasmas disfóricos que assombram a ficção científica. Costumam ser terríveis quando se tornam realidade.

Marca: OBI Russia. Título: No job is too big. Agência: BBDO Moscow. Direção: Leo Gabriadze. Rússia, Junho 2013.

Dança com fios: Nicolas & Guillemette

NIcolas et Guillemette 2Esta curta-metragem de animação de Virginie Taravel (2008) é uma pequena obra de arte.

“Dans une boutique de personnages en fils de scoubidou, Nicolas le petit musicien est le seul personnage terminé. Il se réveille et décide de fabriquer Guillemette la petite danseuse. Malheureusement, il se trompe en assemblant les fils : elle danse de travers et se transforme en monstre à mille têtes.”

Quem envelhece criança dá muito valor à ternura. Para aceder, carregar na imagem.

Nicoslas & Guillemette

Humor Chinês

Windows 8. Make up.Não foi por acaso que os chineses entraram em força na EDP. Gostam de ideias luminosas. Bem como de bom humor. De preferência, com um toque desconcertante. Estes anúncios do Windows 8 são cintilações. Cintilações hilariantes. Gosto! Mas este género de humor não é completamente original. Nós, os portugueses, já o cultivamos há imenso tempo. O concurso das melancias lembra-me uma anedota lusitana homóloga. Um francês, um inglês e um português. O francês pega na espada, atira um ananás ao ar, descasca-o e fatia-o em rodelas antes de cair ao chão. O inglês avança, atira uma laranja ao ar, descasca-a e retira-lhe as sementes antes de atingir o solo. O português avança, concentra-se, retalha o ar com a espada e imobiliza-se. Os outros perguntam: então? E o português, condescendente, esclarece: Então! Estão a ver aquele mosquito? Nunca mais será pai… Os chineses aprenderam, provavelmente, esta arte de gracejar connosco. São muitos séculos de convívio. Desde o tempo em que parecíamos macacos pendurados nos mastros das naus.

Marca: Microsoft. Títulos: Water Melon – The Power of Touch; Make Up – Beautiful and Fast; Piano and Ping Pong – Multitask. China, 2013.