Tag Archive | pecado

Verticalidade

René Magritte. Golconda. 1953.

C’est d’abord le symbolisme de la verticalité que suggèrent « la voûte étoilée au-dessus de nos têtes » et le simple zénith du ciel azuré diurne. Cette verticalité ascendante est liée à l’une des données les plus caractéristiques de l’anthropologie, mais en même temps elle dépasse en dignité et en puissance cette donnée existentielle. Les anthropologues, les paléontologues, les psychologues généticiens et les poètes (A. Leroi-Gourhan, P. Werner, G. Durand, R. Desoille, M. Montessori, H. Wallon, G. Bachelard) se rencontrent pour affirmer que la verticalité dressée de l’homo sapiens est, selon le mot de Bachelard dans L’Air et les Songes, « une métaphore axiomatique » (Gilbert Durand, « Verticalité et transcendance », Encyclopaedia Universalis : https://www.universalis.fr/encyclopedie/symbolisme-du-ciel/1-verticalite-et-transcendance/).

Marca: MTV. Título: Chuva de Homens. Agência: John Doe (Amsterdam). Direcção: Hein Mevissen. Canadá, 2006.

No anúncio Chuva de Homens, da MTV (2006), os seres humanos caem das nuvens como ícaros ou anjos negro. Ou peixes e sapos (ver excerto do filme Magnólia: https://www.youtube.com/watch?v=TCJsZBK1JKE). Às centenas. É bom sinal, sinal de que a “MTV is in the air”.Temos tendência a pensar o mundo na vertical. A começar pelo sagrado. Deus desceu à terra e Cristo subiu aos céus. A ascensão dos santos, a queda dos anjos e a descida aos infernos constituem um sobe e desce incessante. Nesta “metáfora axiomática”, a horizontalidade converte-se num patamar ou num contraponto.

Uma boa ideia tem a sina de ser, mais cedo ou mais tarde, retomada. No anúncio The Fallen Angel, da Axe (2011), uma dúzia de anjos femininos precipitam-se atraídos pela fragância do desodorizante masculino Axe. É pecado? Pelo menos, renunciam às auréolas. Excelente, o anúncio peca pelo sobressalto de masculinidade.

Marca: Unilever / Axe. Título: The Fallen Angel. Agência: BBH London. 2011.

O anúcio The Fallen Angel foi proibido na República de África do Sul. Não por excesso de masculinidade mas por heresia: os anjos não resistem ao apelo da carne. Segundo a Advertising Standards Authority (South Africa):

The problem is not so much that angels are used in the commercial, but rather that the angels are seen to forfeit, or perhaps forego their heavenly status for mortal desires… This is something that would likely offend Christians in the same manner as it offended the complainant (https://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/africaandindianocean/southafrica/8850294/Deodorant-commercial-banned-for-offending-Christian.html).

Ganância

Centrepoint

A publicidade tira-me do sério. Soltar as rédeas à ganância, onde é que tal se viu? Ganância, muita ganância, se faz favor, que as nossas tendas estão à espera. Creio que até Hieronymus Bosch assinava esta procissão de pecados. Quem resiste à cobiça e à gula? Nem as crianças, senhor.

Marca: Centrepoint. Título : Unleash Greed. Agência : BBDO Dubai. Dezembro 2017.

A barba e o pecado

braun_next_level_03

O anúncio Ready for the next level, da Braun Rasierer, encara a existência como um videojogo. As etapas da vida são níveis de um videojogo do tipo Super Mario ou Sonic. E qual é o objetivo? Uma máquina de barbear. Divino, não é? Como diria Martinho Lutero:

“O pecado original está em nós do mesmo modo que a barba. Corta-se hoje, a nossa cara fica fresca, no dia seguinte volta a crescer; enquanto formos vivos, ela não para de recrudescer” (Les Propos de Table de Martin Luther, Paris, Garnier Frères, 1844).

Marca: Braun. Título: Next Level. Agência: AMV BBDO, London. Direcção: Keith Schofield. UK, Junho 2015.

É do caneco!

A publicidade contempla o feio. Contempla também o estúpido. Contempla ainda o mau. Dá quase para o título de um western spaghetti. A Royco Cup a Soup e os Doritos são uma fonte de prazer indescritível. Despertam qualidades humanas de todas as idades: a preguiça (vídeo 1), a luxúria (vídeo 2) e a avareza cruel (vídeo 3). Todos, pecados capitais. Beba uma colher de Royco Cup a Soup, trinque um dorito, e terá direito a um fim-de-semana num resort à sua escolha no inferno. São muitos os anúncios que convocam a tentação e o pecado. Veja-se, a título de exemplo, os anúncios das massas Panzani (https://tendimag.com/2012/10/09/o-pecado-na-publicidade/).

Marca Royco cup a soup. Título: É do caneco. Portugal, 1997

RoycoMarca: Royco cup a soup. Título: Rêve de Tarzan. Bélgica, 2003.

Marca: Doritos. Título: Road Chip. EUA, Janeiro 2013.

O Pecado na Publicidade

Séculos de cultura judaico-cristã habituaram-nos a associar o prazer e o desejo ao pecado. Tradição que a publicidade reinterpreta num novo triângulo infernal: a mercadoria é pecado, o consumidor desejo e o anúncio tentação. Muitos anúncios, como o célebre Bouteille, da Perrier (1976), convocam o pecado (ver https://tendimag.com/2011/10/19/a-mulher-o-homem-e-o-objecto/). Acrescentemos dois casos:

O primeiro, Don Patillo, das massas Panzani, é uma paródia da saga do cinema Don Camilo. Um padre de aldeia não resiste, anúncio após anúncio, ao sabor das massas Panzani. Deus admoesta-o, mas compreende.

Marca: Pâtes Panzani. Título: Don Patillo. França. 1975?

O segundo caso diz respeito ao anúncio Les  p+echés capitaux, da Mercedes (1998). Seis pecados envolvem, sucessivamente, o automóvel: a inveja; a luxúria; a ira; a preguiça; o orgulho; a avareza. Só falta a gula (do Don Patillo). Como ressalta a voz-off, “ do 13 ao 16 de Setembro, os novos mercedes são um convite ao pecado”. Trata-se, de algum modo, de uma atualização da roda dos Sete Pecados Mortais de Hieronymus Bosch (1500).

Marca: Mercedes Benz. Título: Les péchés capitaux. Agência: FCB. França, 1996.

A publicidade é uma feira que não vende indulgências mas antes lenha para a fogueira. O pecado na publicidade, eis um tema de investigação interessante.

Hieronymus Bosch, The Seven Deadly Sins. 1500.