Tag Archive | épico

Épico de massas

Parismacht

Repeti vezes sem conta que alguns desportos são simulacros de guerra. Mas nem todos. Talvez o futebol ou o rugby, mas não o esqui, o mergulho ou o asa delta. Estes últimos lutam, quando muito, com a natureza. Mas não é essa a filosofia, a intenção reside em fazer da natureza (neve, água, ar) um parceiro. Mas estamos sempre a aprender. O anúncio ucraniano Epic Battle, da empresa de apostas Parimatch, vai mais longe: às tantas não sabemos se estamos a praticar desporto com tiques de guerra ou a fazer a guerra como desporto. Epic Battle é um épico de massas, que lembra outro épico de massas, a Big Ad, da Carlton Draught.

Marca: Parimatch. Título: Epic Battle. Produção: Electric Sheep Film. Direcção: Macar Severin, Andrei Copots, Ucrânia, Outubro 2017.

Marca: Carlton Draught. Título: Big ad. Agência: George Patterson Partners. Direcção: Paçul Middleditch. Austrália, 2005.

 

Sociologia sem palavras 17. A publicidade.

 

licornesA publicidade é um repositório do imaginário contemporâneo. Lembra um livro de horas votado à salvação pela mercadoria. O anúncio Os unicórnios do Canal Plus é fantástico.

Sociologia sem palavras 17. A publicidade. Canal Plus. Les Licornes. BETC.  Jan 2015.

Queda e ascensão

UFC136Gal

Este anúncio da agência brasileira Africa é impressionante. Centra-se no processo de “ressurreição” de Anderson Silva, o Spider, lutador célebre de artes marciais mistas, que, com uma perna partida no último combate, esteve afastado do “octógono”. O vídeo retrata, e glorifica, o “regresso do herói”. Inicia com o momento do acidente, culminado com uma chuva simbólica de ecrãs que o soterram no fundo de um poço. O essencial do vídeo é dedicado ao ressurgimento, ao esforço, extremo, para escalar o poço. Trata-se de um épico, bem concebido e bem realizado. As imagens são de uma escuridão lancinante.

Marca: Budweiser. Título: Be Spider. Agência: Africa. Direcção: Pedro Becker. Brasil, Dezembro 2014.

A recriação do mundo

As marcas de cerveja têm queda para os anúncios épicos. Neste, um grupo de homens (re)anima ou (re)cria o mundo. Naquele tempo ainda não apareciam mulheres ou, pelo menos, não bebiam cerveja. Um anúncio merecidamente super premiado. Monumental, fantástico e refrescante.

Marca: Guinness. Título: Bring it to life. Agência: AMV BBDO, London. Direção: Johnny Green. Reino Unido, 2009.

Épico cósmico

Não é habitual Bruno Aveillan dedicar-se ao épico. Assume-o, no entanto, neste anúncio da Samsung. Reconhece-se a sua arte da imagem e o seu sentido estético do pormenor. Atente-se, por exemplo, na sequência com os pés do enforcado.

Marca: Samsung. Título: Epic. Agência: Leo Burnett USA. Direção: Bruno Aveillan. EUA, Agosto 2010.

Até os símbolos perdem as penas

O anúncio “The Hawk of Achill” conta uma história: a lenda irlandesa do Falcão de Achill, ave ancestral que voava entre este e outros mundos. Graças ao generoso whiskey Jameson, ficamos a saber qual foi o seu trágico fim: cozido e assado numa travessa. Na publicidade, como no cinema e nos videojogos, o épico, ou a sua paródia, continua a marcar boa presença. Este anúncio brinda-nos com uma história bem (re)contada, com excelente imagem, assinada por Noam Murro.

Marca: Jameson. Título: The Hawk of Achill. Agência: Biscuit Filmworks. Direcção: Noam Murro. EUA, Outubro 2011.