Tag Archive | encontro

Quando um cego chora

Pieter Bruegel. A parábola dos cegos. 1568

O domingo é sagrado, dia de ansiolíticos e antidepressivos naturais. Há quem combine uns e outros. Na vida quotidiana também se entrelaçam (Norbert Elias e Eric Dunning, A busca da excitação, 1986). Por exemplo, durante um espectáculo de futebol as doses alternam-se (Albertino Gonçalves, Vertigens, 2009). Domingo é dia de compensação. Mais vale jogar à sueca em casa do que labirintar no poker de massas. Gosto de namorar o passado. O passado não para de crescer! O presente não o agarro e o futuro não o conheço. O meu passado é um contrabandista: atravessa as fronteiras do tempo. O domingo é dia de música. Música ultrapassada. Um rosário de pérolas barrocas, amuleto contra os carneiros de Panurgo (François Rabelais, Pantagruel, c. 1532). Já coloquei no Tendências do Imaginário a canção When a blind man cries, dos Deep Purple (https://tendimag.com/2015/10/01/when-a-blind-man-cries/). Uma espécie de gata borralheira para o Ritchie Blackmore, a música foi editado num single em 1972. Esperou pelos anos noventa para subir aos palcos e figurar nas antologias. A versão de 1999 de Ritchie Sambora, ex Bon Jovi, pouco difere do original. Mas o vídeo musical é pedagógico. Ensina que 1) não existem abraços electrónicos; 2) Os média podem estimular abraços; 3) Por detrás dos média, há sempre alguém; e 4) os sonhos existem e são humanos.

Só agora, concluído o texto, me apercebi, enquanto procurava um vídeo com melhor resolução, que esta curta-metragem foi escrita e realizada por um português: Nuno Rocha, para a LG Portugal. Pontes.

Richie Sambora (Deep Purple cover) – When A Blind Man Cries | LG — «Momentos». Guião e realização de Nuno Rocha. 2010.

O primeiro passo

Bianco. The Lift. 2019.

O anúncio dinamarquês The Lift, da Bianco, revela-se inteligente, criativo, original, minimalista, lento e convincente. A interacção no elevador peca por incomunicação verbal e não verbal. Desejo sem iniciativa, sentimento sem risco, corpos sem contacto. “Amor que arde sem se ver”. Convenha-se que a interpelação do outro, seja qual for a orientação sexual, é cada vez mais problemática. E, no entanto, a menina até perdeu o emprego por excesso de utilização do elevador. Feitos um para o outro e faltou-lhes uma acendalha. Aperta-nos este nosso cerco interior, sem janela nem tranca, que nos separa de quem nos atrai!

Marca: Bianco. Título: The Lift. Agência: & Co. Direcção: Daniel Kragh-Jacobsen. Dinamarca, Março 2019.

Estou em crer que se o elevador tivesse música, o desfecho seria diferente. O primeiro passo culminaria num passo de dança. A música reduz a censura dos afectos. Para ajudar, acrescento duas músicas do compositor irlandês Phil Coulter: In Loving Memory (1998) e Tranquility (1984).

Phil Coulter. In Loving Memory. Serenity. 1998.
Phil Coulter. Tranquility. Sea of Tranquility. 1984.

Para além do céu azul

Órgão de Tibães

Órgão do Mosteiro de Tibães

Acabou o Encontro de Sociologia (mosteiro de Tibães). Quando a realidade ultrapassa o sonho, a gente sente-se assim, não sabe bem como; sente-se também assado, não sabe bem como. Hoje, levantamos a cabeça, erguemos o olhar e rasgamos horizontes. Fomos “para além do céu azul”.

Seguem duas músicas do álbum beyond the Missouri Sky (1997), de Charlie Haden e Pat Metheny: The Moon is a Harsh Mistress e Spiritual.

Contratempos do amor

Sixt

O amor, além de cego, pode ser parvo, não pode? Amar requer mais resiliência do que inteligência? Certo é que a confusão do Tom pode acontecer a muito boa gente, não pode? Celebremos São Valentim, dia santo profano dos namorados.

Marca: Sixt. Título: A Sixt Love Story. Agência: Thjnk. Direcção: Laurent Chanez. Alemanha, Fevereiro 2018.

Escola da Primavera em Melgaço

Escola da Primavera - Cópia 3.png

Realiza-se nos dias 30 de Abril e 1 de Maio, em Melgaço, a terceira edição da Escola da Primavera, organizada pelo curso de Mestrado em Comunicação, Arte e Cultura, pela Câmara Municipal de Melgaço e pelo Centro de Estudos Comunicação e Sociedade, com a colaboração do curso de Doutoramento em Estudos Culturais.

As actividades, contempladas no cartaz anexo (carregar para aumentar), estão abertas ao público.

Segue uma galeria com fotografias dos locais a visitar.

Anelar

cartierCartier é Cartier. Pode dar-se ao luxo de fazer anúncios de seis minutos. Não foi Cartier quem descobriu o dedo anelar. Mas podia ter sido! Sabe, como ninguém, o valor de um encontro e de um beijo em Paris. Do anúncio, só me apetece falar do Musée Rodin. Uma joia da arte, uma joia de prazer. Estar no jardim do Musée Rodin é, a cada vez, estar como nunca. Morei junto ao Musée Rodin. Nem cinco minutos a pé. Nunca tive o paraíso tão perto. Estudar, pasmar, ler e namorar, de bronze em bronze.

Marca: Cartier. Título: The Proposal. Produção: Psycho. Direcção: Sean Ellis. França, Fevereiro 2015.

Mulheres Chanel Nº5

Chanel 5 Gisele Bundchen

Gisele Bündchen, supermodelo brasileira, é a actual mulher Chanel Nº5. O corpo, o rosto e os gestos enchem o anúncio dirigido por Baz Luhrmann. Pode falar-se em mulher objecto? No anúncio, como na vida, Gisele é mãe, companheira, modelo e desportista. O anúncio cola-se a esta quádrupla faceta. Foi gizado a pensar em Gisele. Existem mulheres objecto de luxo? Neste caso, uma mulher de luxo para uma marca de luxo? Protagonizar um anúncio para o Chanel Nº5 é ascender a um pedestal. Quem não se lembra do anúncio Nicole Kidman da Chanel Nº5? Foi há dez anos, em 2004. Há pedestais para mulheres objecto? A história é uma narrativa minimalista, quase nula. O cantor, Lo-Fang, coro grego nada discreto, pouco diz: “You’re The One That I Want”. Procurem e encontrem-se. Pode haver mulheres sujeito em narrativas ténues que sejam mulheres objecto? Em suma, a categoria “mulher objecto” depende das propriedades sociais da mulher representada? Neste anúncio, Gisele não é uma actriz que interpreta um guião. Gisele é o anúncio, um anúncio associado ao seu nome. Pode Gisele Bündchen ser considerada uma mulher objecto? Quem é uma mulher objecto?

Marca: Chanel. Título: The One That I Want. Direção: Baz Luhrmann. Internacional, Outubro 2014.

Marca: Chanel. Título: Nicole Kidman. Direção: Baz Luhrmann. Internacional. 2004.

A Tartaruga Carochinha

Channel 4. Mating SeasonA tartaruga é um animal adorável. Neste anúncio, anda feita Carochinha à procura de um João Ratão. É primavera, a estação dos ovos! Acaba por encontrar um cão, como Cinderela, um príncipe e Carochinha, o João Ratão. Uma fábula de encantar.

Marca: Channel 4. Título: Mating Season. Agência: 4 Creative. Direção: John Allison. Reino Unido, Maio 2013.