Tag Archive | Branda da Aveleira

Abrigo

Ó visão, visão triste e piedosa!
Fita-me assim calada, assim chorosa…
E deixa-me sonhar a vida inteira!

(Antero de Quental)

Branda da Aveleira, 2003.
Verdi. La Traviata. Excerto.

A Pedra e a Água. Imagens de Melgaço

Uma parte do corpo aquece enquanto o resto permanece morno. Doença? Há quem lhe chame morrinha ou saudade… Apetece partir, enfiados em nós, na carroça do ensimesmamento. Com o coração febril, a cabeça lá faz a sua travessia. As imagens são marcos de que a saudade é devoradora. A minha terra é tão bonita quanto outra qualquer! Talvez mais se, como diria Pascal, a visitamos com os olhos do coração. Desta amostra de fotografias, apenas as três primeiras foram tiradas por mim. As demais, algum caçador furtivo as colheu na internet.